Avançar para o conteúdo principal

O caráter social da mulher

Depois deste meu post, percebi que ainda existem muitas dúvidas em relação ás coisas que as mulheres afirmam e querem.
fonte
Quando eu digo que não quero ser mãe, toda a gente manda exclamações para o ar e chama-me maluca. Já nem me dou ao trabalho de considerar isso um insulto, mas não gosto que coloquem a minha escolha em causa. Não questionei as mulheres que foram mães nem os motivos pelo qual engravidaram, então porque é que me dizem "um dia podes mudar de ideias?".
Porém se um homem disser que não quer filhos parece que está tudo bem e poucas ou nenhumas exclamações são proferidas, e quase nenhum desses homem teve um atestado de maluco passado pelas pessoas que pensam que ele pode mudar de ideias. Na mais louca das hipóteses ouve-se a frase "Um dia vais encontrar uma mulher que te faça mudar de ideias?".

Aliás quantas mães se lamentam de ter filhos? Terei eu o direito de lhes dizer "vez como um dia mudaste de ideias!"
O facto de a gravidez ser algo feminino, não quer que dizer que TODAS as mulheres tem que a sentir. Também não gostamos todas de cor-de-rosa!

Mais uma vez percebo que a mulher fica limitada por ser mulher. Existem aqueles papeis que uma mulher tem que fazer. Não deve fumar porque fica mal. Não deve falar alto nem dar gargalhadas, deve cuidar da casa e parir. As regras são estas. Se estou a ser drástica? Talvez, mas é em pequenas coisas que se vê o quanto ainda existem expectativas para as mulheres que são tacanhas.
Felizmente as mentes estão a mudar, mas a verdade é que a maioria das mulheres continua a limitar-se aos papeis que tem e aceita por gosto, vontade ou frustração aquilo que a sociedade espera dela.

Comentários

  1. Sendo um homem, talvez o meu voto na matéria tenha um peso muito menor, ainda assim concordo...muito. Ainda há muitas mulheres que se querem prender ao preconceito de "Não deve fumar porque fica mal. Não deve falar alto nem dar gargalhadas, deve cuidar da casa e parir."

    http://umaquestaodeespaco.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Se é uma decisão tua ninguém tem de se meter , pois só nos sabemos o que queremos dela não os outros .
    Concordo contigo em algumas das coisasBeijinhos
    CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  3. Concordo demais contigo! É triste saber que ainda hoje sofremos com certas limitações simplesmente pelo fato de sermos mulheres, isso me irrita pra caraba também. Mas aos poucos as coisas estão mudando, pelo menos parece, né? Vamos torcer pra que a gente ouça cada vez menos frases como essas que você tem que ouvir sempre que diz que não quer ter filhos!
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♡

    ResponderEliminar
  4. As pessoas são livres de tomarem as suas próprias decisões...ser mãe não é uma obrigação, é preciso querer muito...há por aí muitas mães que nunca o deviam ser.


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  5. Hmmm assunto controverso, nao? E logico que que cada um sabe de si... e concordo que todos nos devemos ter o direito de escolha... mas na minha humilde opinião, acho que a natureza mais tarde ou mais cedo acaba sempre por falar mais alto, e instintivo... mas como disse e so a minha opiniao :)
    Bjinhosss e boa quinta*
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. respeito por completo a tua opinião, mas a verdade é que existem instintos que nem toda a gente tem da mesma maneira!

      Eliminar
  6. As pessoas são livres de tomarem as suas decisões. Ninguém tem que "obrigar" ninguém a nada :)
    beijinhos

    amarcadamarta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Nem mais, isso é uma decisão muito pessoal, que tem de ser tomada no máximo a dois.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Olá linda... concordo plenamente contigo... as mulheres acham que só têm um caminho a seguir e têm que ter só aquelas regras....Ainda bem que existem mulheres firmes como tu que sabem o que querem... As pessoas ainda não perceberam que são livres... e que não são os outros que decidem... Gostei muito de ler o teu post... beijinhos grandes
    Ana Negrão Makeup

    ResponderEliminar
  9. Ainda vivemos numa sociedade conservadora, com algumas reminiscências do Salazarismo e de outros movimentos. Ainda há dogmas para as mulheres se comportarem. O machismo ainda prevalece mas acredito que a mulher vai ganhando o seu espaço e fazer ver aos homens que também é livre de escolher por si. Cada um é dono da sua vida e cabe a ti escolher o rumo da tua vida. Gostei do teu post.. beijinho
    https://area-escritalhada.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. Numa sociedade conservadora espera-se que todas as pessoas se enquadrem nos papéis definidos mas e onde fica a liberdade?
    E você está certa. É uma decisão que não cabe questionamento
    Um beijo Teresa

    ResponderEliminar
  11. Tem pessoas com cabeças muito pequenas neh, falam mulher não pode isso, mulher não pode fazer aquilo, isso me irrita.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  12. Concordo com o que dizes, quando um sabe de si! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  13. ;D

    Sempre tem alguém pra julgar negativamente. E nunca pra respeitar opiniões e gostos diferentes!

    Ótima quinta!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  14. Acho que é uma decisão pessoal e as pessoas só tem que respeitar nada mais...

    ResponderEliminar
  15. Sei bem como é, tenho ouvido muito isso quando me dizem que estou a ficar velha e que tenho de ter filhos rápido, mas a verdade é que nem se preocupam se eu quero ou se tenho estrutura física, psicológica e financeira para tal, até porque parece que mulher que não tem filhos deixa de ser mulher e passa a ser um extraterrestre.
    Xerim :)
    www.trilouca.com
    Canal no YT: http://www.youtube.com/c/blogtrilouca

    ResponderEliminar
  16. Sempre ouvi dizer «temos 5 dedos em cada mão e nenhum é igual».
    Tudo de bom.
    :)
    ;)

    ResponderEliminar
  17. Já falei desse assunto lá no meu canto, como sabes, mas sim tens razão, também eu fui criticada por não ter querido filhos, mas quem me criticou há uns anos, hoje acho que gostava de estar no meu lugar. Adiante.
    Sim, as mulheres não foram feitas para estar em casa a cuidar dos filhos e marido, mais essa agora.
    Bjxxx
    Instagram ∫ Facebook

    ResponderEliminar
  18. Ui, o que eu já aturei por não querer e não ter filhos! Se as pessoas se metessem na sua triste vida... ;)

    ResponderEliminar
  19. Olá, Teresa, admiro a sua coragem num mundo, ainda predominantemente machista...
    Luto pela liberdade de escolha da Mulher, seja lá que assunto for, somos seres humanos, nem melhor, nem pior que os homens, apenas humanos e temos o direito de decidir sobre nossa Vida!
    Quanto a fumar, sou contra para homem e mulher, pelos malefícios que causam, mas a escolha é de cada um, não podemos, nem devemos discriminar...
    Felizes dias, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

TAG| 100 perguntas que ninguém pergunta

Sabendo como eu gosto de responder a TAGs a Matilde do blog "O Cantinho da Tily", nomeou-me para este desafio bem simples e divertido. As regras são simples, responder às 100 perguntas, e nomear quem quisermos. Vamos a isso? 1. Você dorme com as portas do seu armário aberta ou fechada? Prefiro fechada por uma questão de organização, mas não me faz diferença. 2. Você leva embora os shampoos e condicionadores dos hotéis? Sim!!! 3. Você dorme com seu edredão dobrado para dentro ou apra fora? Tanto faz! 4. Você já roubou uma placa de rua? não, mas confesso que gostava de ter uma! 5. Você gosta de usar post-it? Adoro! 6. Você corta cupões, mas depois nunca usa? Sim! 7. Você prefere ser atacado por um urso ou um enxame de abelhas? Venha o diabo e escolha! 8. Você tem sardas? Nop. 9. Você sempre sorri para fotos? Quase sempre! 10. Qual é a sua maior neura? Ui se as coisas não levarem o rumo que eu quero fico do pior! 11. Você já contou seus passos enquanto você andava? Sim. 12. Você já fez x…

As férias acabaram... Como é que ficaram os animais abandonados?

Existe uma dura realidade que após as férias de verão fica esquecida. Se no inicio do verão as campanhas de sensibilização são muitas (e mesmo assim não são suficientes), a verdade é que depois dos dias dourados de verão, já ninguém pergunta o que aconteceu ao cão idoso que abandonaram às portas de uma instituição, ou então como está aquele cachorrinho que deixaram na beira da estrada.
A minha pergunta para vocês é: Afinal o abandono está a diminuir?
E infelizmente a resposta é não! No final do verão contactei várias instituições que recolhem animais e as respostas são sempre iguais: Não! Não diminuiu.
Para vos ilustrar esta realidade, pedi a várias instituições dados sobre o abandono de animais durante os meses de verão, porém só a Associação Midas no Porto é que se ofereceu para disponibilizar dados concretos:

2015 - 53 animais acolhidos pela instituição.
2016 - 107 animais acolhidos pela instituição. 
2017 - 71 animais acolhidos pela instituição.

Porém antes de começarem a bater palma…

A menina bonita

Decerto que lhe conhecem a imagem, a menina de nove anos, chama-se Kristina Pimenova, e é já considerada uma das raparigas mais belas dos últimos tempos.
A criança, é modelo para marcas como Armani, Vougue e Dolce & Gabanna, e desde os 3 anos que assina contratos milionários. Kristina Pimenova, nasceu em Moscovo, e está inscrita em agências de modelos desde tenra idade. Quem patrocinou tudo isto?! A sua mãe, Glikeriya Pimenova, também uma ex-modelo, tem levado a filha à ascensão, porém, tem também sido criticada por isso. Além de muita gente a criticar por não permitir que Kristina tenha a vida de uma criança normal, a mãe da mesma é ainda mais criticada por ter permitido que recentemente a filha pousasse maquilhada e vestida de forma pouco própria para a sua idade. Glikeriya Pimenova, gere os contratos milionários da filha, bem como as redes sociais da mesma que já tem mais de 300 mil seguidores. Porém não é o numero de seguidores que vai determinar a infância que muitos dizem p…