Bodycon Dresses, como usar em qualquer altura?

Não existem motivos para não usar esta tendência!

Como manter o estilo nos dias frios?

3 camisolas bem quentes e com muito estilo.

Mudar de visual nunca foi tão fácil!

As perucas são cada vez uma boa opção para mudar de visual e apostar em looks mais arrojados.

Como sobreviver ao frio com estilo?

Vestir por camadas é a melhor opção, para nunca ter nem muito frio nem muito calor.

Elas vieram para ficar

As perucas estão ai e vieram para ficar

terça-feira, 20 de novembro de 2018

7 do momento... nº49

Chegou o momento de vos falar do que tenho andado a ver, ler e a usar. Prontos para mais um leque de sete sugestões?
As sugestões deste mês começam com a série de documentários televisivos "The World's Most Extreme". Em casa episódio conhecemos várias situações extremas, desde salvamentos, a construções de aeroportos ou até mesmo pontes. A ideia destes documentários é apresentar situações tão extremas mas reais para que possamos pensar duas vezes sobre a realidade que nos rodeia.
Para reforçar as minhas sugestões literárias apresento-vos um dos livros que mais gostei de ler nos últimos tempos. "A Elegância do Ouriço" é uma obra de Murial Barbery, é uma obra inteligente, com a pitada certa de humor, que nos apresenta três personagens que são tão inteligentes que perceberam que o ideal não é mostrar tudo o que sabem sem estragar a expectativas que o mundo tem sobre elas.
Eu sei, as minhas sugestões de cinema são sempre (ou melhor quase sempre) sobre filmes de terror, mas depois de alguma pesquisa, acabei por ver na noite de Halloween o filme "Verónica" é um filme espanhol dirigido por Carlos Algara e Alejandro Martinez-Beltran que nos conta a história de uma adolescente que descobre estar possuída por um demónio, porém enquanto ela tenta resolver esta situação e proteger os irmãos, acaba por os colocar em grande risco.
No meu novo trabalho tenho a possibilidade de ouvir rádio enquanto trabalho, e por isso, muitas das horas do meu dia são passadas a ouvir a M80, primeiro porque passam sempre músicas que ouvi durante anos, e ainda por cima músicas que eu adoro. Só esta semana ouvi umas quantas das minhas músicas favoritas, além disso tem alguns programas bem animados e originais. Se ainda não ouviram, experimentem de certeza que não se vão arrepender.
Já não é novidade nenhuma que eu sou viciada em sapatos e em compras online, por isso não resisto em juntar o melhor destes dois mundos, daí que tenho colocado entre as minhas sugestões, uma página do facebook, chamada "Calçado Barato" que visito regularmente e da qual sou uma consumidora. Além de o calçado ser sempre muito bonito e estar sempre na moda, a qualidade é verdadeiramente boa, já compre lá dois pares e adorei a combinação entre a qualidade e o preço.
E porque tenho tenho tido a sorte de ter ver algumas séries, hoje optei por incluir na minha lista a série "Band Of Brothers". Já me tinham dito que esta era uma série forte, por era baseada nos relatos reais de membros do exercito, sobre tudo aquilo que passaram na segunda guerra mundial, e apesar de muitos episódios serem fortes, existiu um que me marcou particularmente, pois a verdade é que aquele era o relato dos homens que abriram a libertaram judeus de um campo de concentração.
Finalmente e para acabar estas sugestões em grande, mais uma loja online que me cativou. Já não é a primeira (e provavelmente não vai ser a última) vez que vou falo da Dresslilly. Estamos aqui a falar de uma loja online, cheia de peças fabulosas com preços atrativos. O tempo de entrega não é o ideal se tiverem com muita pressa (as minhas encomendas demoram sempre em média 20-30 dia), mas vale sempre a pena.

Espero que tenham gostado destas sugestões. Já conheciam alguma?

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

#Resumo da Semana nº46/2018

Ultimamente as semanas não só têm passado rápido como cansativas e esta última semana não foi exeção.. Entre o trabalho e o blog tenho trabalhado em média 10 a 12 horas por dia e o cansaço começa a acumular. Este fim de semana, tive mesmo que parar umas horas para descansar, e acho mesmo que se continuar com este ritmo, em breve talvez vá passar um fim de semana a um hotel ou fazer algo relaxante, alguém tem ideias?
Entretanto já tenho andado a pensar nas prendas de natal e já comprei/encomendei algumas. Em breve começo a pensar na decoração cá de casa.
Legenda:

1. Quando tens uma gata que é o elemento mais fotogénico da família!
2. "Isy tens alguns vício?
Hum... Deixa-me pensar..."

3. Muitas vezes as refeições mais simples são as melhores!
4. Quando a minha mais velha fica aborrecida mas mesmo assim quer mimos!
5. Facto da vida nº67: A luz viaja mais rápido que o som, é por isso que algumas pessoas parecem brilhantes até abrirem a boca...
6. Bom dia e bom almoço!
7. Andei a arrumar os meus globos de neve e decidi fotografar aquele que veio comigo nas férias de verão.

Recordo que podem ver todas as fotografias nas redes sociais, mas ultimamente também tenho feito algumas publicações no instastories, por isso e se não querem perder nada, comecem já a seguir o blog no Instagram (@pequenabonecadetrapos).

Acompanhem também as novidades no Twitter e no Google +

Recebidos da Banggood

Esta não é a primeira vez que vos falo das minhas compras na Banggood, isto porque é cada vez mais usual fazer as minhas compras sem sair de casa.
Desta vez comprei um rato para o computador portátil da minha mãe, e umas meias de rede para usar com aquelas calças que não sendo corsários nos deixam com os tornozelos à mostra.
Mais uma vez, o prazo de entrega foi o estipulado, e apesar de terem sido feitas duas entregas diferentes, como alguns dias de diferença entre si, veio tudo em boas condições. 
O rato poderia ter vindo mais bem embalado, mas chegou sem qualquer defeito.

E vocês, são clientes desta loja? Querem partilhar a vossa experiência?


Este texto foi pago ou patrocinado.

domingo, 18 de novembro de 2018

"Não sabia se era uma pessoa de confiar ou não mas não tive outra alternativa."

"While You Stay at home" (enquanto tu ficas em casa) é o mote e o nome do blog da Paula Carvalho, a jovem de 27 anos que pediu uma licença sem vencimento para conhecer o mundo. Durante quatro meses a Paula conheceu o sudeste Asiático completamente sozinha.

Ontem é só Memória: Li na imprensa que a ideia de viajar e partir à descoberta surgiu depois de veres o filme "Comer, Orar e Amar". O que as pessoas devem querer saber é quem é a Paula, e porque é que mesmo inspirada por um filme, fez algo que poucas pessoas têm coragem para fazer?
Paula Carvalho:
Sempre gostei de viajar, e que sonho que era poder viajar em sítios com realidades tão diferentes da nossa... Nunca tinha pensado em fazer algo do género, pois para mim seria sonhar alto demais, até ao dia em que vi o filme, e decerto outros fatores que estavam a acontecer na minha vida pessoal motivaram a que a história me tocasse mais do que noutra altura qualquer da vida. Fui pesquisando nos intervalos do filme ingenuamente mal sabendo que aquele gesto seria o inicio de toda uma pesquisa de meses que me levou a concluir que poderia viajar por meses seguidos. A pesquisa decorria sem eu saber que o iria mesmo fazer, mas depois de tanto trabalho e perceção de que não é impossível, a vontade estava demasiado entranhada para que não fosse pôr em prática todo o trabalho de meses.

Paula passou longos meses a planear a sua viagem, procurou várias dicas e os locais mais baratos, tinha um orçamento estipulado para cada local que pretendia visitar, porém assim que chegou à Índia percebeu que meses de planeamento iam ter que ser adaptados. Logo no primeiro dia gastou quase todo o orçamento que tinha disponível para o país, uma vez que teve mudar de estadia. E esse era apenas um dos momentos menos bons da viagem.

Ontem é só memória: Qual foi a situação mais traumatizante da tua viagem?
Paula Carvalho: Penso que a pior foi mesmo durante uma viagem de comboio na Índia, de Varanasi para Calcutá. Já tinha bilhete mas o meu comboio foi cancelado, e como já sabia que supostamente os comboios na Índia estão sempre cheios, não sabia bem como fazer para me conseguir deslocar nesse mesmo dia para onde queria.
Quando cheguei à Índia a ideia que me venderam era que para comprar bilhetes eram precisos cerca de dois dias de avanço porque está sempre tudo esgotado. Comecei a entrar em pânico pois não poderia esperar tanto tempo já que tinha um avião para a Birmânia em dois dias. Tenho de ir para Calcutá neste dia. Direciono-me ao departamento de ajuda a turistas que não ajudou nada mas ao menos encaminhou-me a um senhor que me ajudou a perceber como devia proceder. Não sabia se era uma pessoa de confiar ou não mas não tive outra alternativa. Tinha de confiar nele e fazer o que me dizia, mas pareceu-me boa pessoa e o meu julgamento estava correto.
Na Índia os comboios têm várias classes, o bilhete geral dá acesso a uma área que tenho em mente ser muito assustadora e foi esse bilhete que comprei. Paguei uns cêntimos por um bilhete de comboio que ia durar horas e horas e o bilhete que tinha comprado 10 vezes mais caro ficou sem efeito pelo que ia ter de comprar outro. O que este senhor me disse é que não podia então comprar o bilhete para a classe que eu queria (aquela com camas para dormir) e teria assim de comprar o bilhete geral e no comboio pedir um upgrade para a tal classe. Todos os bilhetes de comboio têm um lugar assegurado e eu sabia disso. Sabia que não tinha um lugar para mim mas tinha de ir neste comboio e arriscar. A experiência foi assustadora e muito desagradável, não só pela forma como os indianos olhavam para mim, mas também por todo o cenário possível e imaginário que ia pintando na minha cabeça.
Ora, ali estava eu sentada no espaço entre carruagens em cima da minha mochila. Quem já andou de comboio na Índia sabe que este não é sítio para ninguém. É barulhento, aberto e muito desconfortável. Era o sítio onde até os serviçais do comboio tinham um lugar para se sentar e eu ali num canto. Começam a olhar para mim e a rir, como que a fazer chacota, o que não estava a ajudar nada à situação. Vêm ter comigo e perguntam o que estou ali a fazer, mas não falam quase nada de inglês. Vão chamar outras pessoas e dou por mim a ser abordada por umas 10 pessoas diferentes a perguntarem porque estava ali, portanto tive de explicar essas vezes todas que estava à espera do pica do comboio para me fazer upgrade no bilhete e me arranjar um lugar vago. Sabia lá eu quanto tempo isso podia demorar…
Começo a ficar muito assustada pois os olhares não são simpáticos. São quase como de desdém. Começo a pensar: e se mandam borda fora pois não paguei para estar naquela carruagem? Que vou eu fazer numa estação indiana sozinha a meio da noite? Foi o pensar em todas as coisas más que me podiam acontecer que me deixou mesmo muito nervosa.
Até que vem mais um senhor indiano perguntar-me o que estava a fazer ali sentada e, depois de mais uma explicação, diz-me para o seguir. Nem penso, sigo-o. Ele leva-me até ao sítio onde a sua família estava e diz-me para me sentar lá com eles. Nesse momento nem sei explicar como consegui não verter lágrimas. Era um misto de sensações muito grande. Sentia-me mal por estar a rogar pragas a todos os indianos e agora vem este senhor que me ajuda e a sua família é tão simpática comigo. As crianças até me ofereceram comida. Senti alívio, muito alívio por sentir que não estava sozinha e que tinha ali alguém para me apoiar com um gesto tão simples como aquele. Falei com eles em inglês pois eram fluentes, o que também me acalmou. Sentar-me naqueles centímetros de banco naquele momento foi a melhor coisa do mundo. Fiquei com eles por um bom tempo pois o pica do comboio nunca mais aparecia e já lá iam umas horas. Na verdade, ele nunca apareceu. Se não tivesse sido esta família não sei o que teria sido feito de mim…
Eles pediram ao serviçal que me havia estado a mandar olhares de ódio para me encontrar um lugar e ele lá o fez. Agradeci-lhes muito e fui para um sítio onde podia finalmente descansar e estar confortável.
Ao chegar a Calcutá, como o pica não tinha aparecido e eu não tinha feito o upgrade do bilhete, o tal serviçal de sempre vem fazer a cobrança. Até aí tudo bem até que ele me diz o preço do bilhete. Sabia bem que esse não era o preço justo e argumentei com ele. Até lhe mostrei um print screen que tinha tirado da net com o valor do bilhete. O que mais me irrita é que todos os outros indianos à volta estavam a ver que ele me estava a cobrar bem mais, mas ninguém teve a decência de dizer nada. Discuti com ele por uns minutos até que interiorizei que aquilo não me levaria a lado nenhum e lá tive de pagar. Num acesso iluminado qualquer, lembro-me de lhe pedir o recibo. Dado isto, ele foi falar com um outro senhor indiano que vem com um caderno de recibos e me dá metade do dinheiro para trás, afirmando que eu tinha pago a mais. Concluo que se não tivesse pedido o recibo, o empregado tinha ficado com o dinheiro todo para ele. Mas, ao menos, esta pessoa honesta não o permitiu.
Foi mesmo a situação mais stressante da viagem.

Atualmente a Paula prepara-se para abraçar um novo desafio, percorrer Myanmar duma bicicleta dobrável.

Ontem é só Memória: Quais são os teus maiores receios e expectativas, relativamente a este novo desafio?
Paula Carvalho:
Sei que não vai ser fácil andar sempre com a bicicleta, mesmo sendo ela dobrável ainda é um objeto grande de carregar. Só tenho receio que ela me falhe com alguns problemas que possa dar. De resto estou tranquila pois como já lá estive, já sei como é o país. Espero passar momentos tão bons ou melhores dos que já lá vivi anteriormente, e que se deram em dias onde a bicicleta esteve presente.

A bicicleta dobrável surgiu de uma parceria com a Ympek, e tem cerca de 153 cm largura e 102 cm altura, porém dobrada as suas medidas reduzem-se a 90 cm largura e 65 altura. E apesar de mesmo assim ainda não ser fácil de transportar, vai ser a companheira de viagem da Paula pelo Myanmar.

Ontem é só Memória: Já referiste várias vezes que um dos objetivos principais da tua viagem é conhecer os os Bayingyi, mas de certeza que tens uma série de coisas que queres ver, conhecer e aprender, fala-nos um pouco sobre isso.
Paula Carvalho:
Sim, gostava de ter contacto com estas pessoas que descendem dos nossos antepassados, mas também tenho muitas outras coisas que quero ver e experienciar. Desde andar de bicicleta, de comboio, que são coisas que te permitem ver de forma mais genuína como é a vida dos Birmaneses, até templos de beleza inquestionável. O pôr-do-sol e o nascer do sol com balões de ar quente até perder de vista entre templos de outros séculos. No entanto existe um sítio que tenho mais vontade de conhecer do que os outros todos: Mrauk-U. Digamos que este sítio tem pouquíssimos turismo e templos ancestrais que me vão invocar para outra era. É disto que gosto mais, locais genuínos.

Depois de conhecer as aventuras da Paula pelo Sudeste Asiático, é difícil esquecer, e desde que regressou que a Paula percebeu que esta sua aventura se tornou menos anónima do que aquilo que ela pensava inicialmente.

Ontem é só Memória: Partiste para a tua primeira viagem como uma turista anónima, mas quando regressaste muitas coisas foi dita sobre ti e tua viagem, este reconhecimento mudou a tua vida?
Ontem é só Memória:
Se mudou foi na perspetiva de conseguir concretizar este projeto devido à projeção que advém da primeira viagem. De resto continuo a ser uma turista muito anónima.

Ontem é só Memória: Tendo em conta que estamos a viagens com uma duração relativamente longa, não achas que seria interessante para ti teres uma companhia, ou simplesmente não sentes falta de ter uma pessoa ao teu lado durante a aventura?
Paula Carvalho: Antes de ir pensei que ter companhia seria muito melhor, mas depois, quando voltei, fiquei muito feliz por ter ido sozinha e se tivesse de fazer tudo outra vez ia sozinha novamente. É óbvio que há momentos em que sentimos falta de alguém a nosso lado, pois a felicidade é melhor quando partilhada, no entanto também me lembro de vários momentos em que queria estar sozinha e não conseguia. Existem tantos outros viajantes a solo, que para mim, ir sozinha acabou por não ser tão solitário quanto se possa pensar.

Ontem é só Memória: O que é mais difícil, ir ou regressar?
Paula Carvalho: Regressar! Sem dúvida.

De certeza que a aventura da Paula já inspirou muitas pessoas a fazerem o mesmo, mas tal como no inicio Paula ouviu coisas assustadoras e várias opiniões que lhe diziam que a ideia era louca, é normal que existam receios nos novos viajantes.

Ontem é só Memória: Que conselhos dás para quem está a pensar seguir os teus passos?
Paula Carvalho: Primeiro gostava de dizer a quem tem medo de ir por estar sozinho, não o tenha. Viajantes a solo conseguem conhecer ainda mais pessoas e estão dispostos a essa abertura até mais do que o normal. Ter medo de ir sozinha para a Índia é normal, sendo mulher, mas também não é um problema, tal como referi acima.
Aconselho a não preparar tudo em demasia, go with the flow é o melhor que podemos fazer numa aventura destas. Conheço vários viajantes que mudaram rotas por terem conhecido outras pessoas fantásticas e juntos decidiram por novos planos.
Estar aberto à diferença e aceitar os outros. Analisar bem o ambiente em redor e adaptar-se a essa realidade sem preconceitos. Meias rotas e andar com a mesma roupa dias seguidos não vão fazer de ti um alvo de chacota. Os viajantes querem é viver com alegria cada momento sem preocupações com coisas superficiais.
Levar só o necessário, em todos os sítios existem serviços de lavandaria, portanto levar o armário às costas não faz sentido, até porque tudo o que se leva terá de ser carregado às costas debaixo de temperaturas bem altas.
Por fim, estar atento e não se envolver em situações complicadas, e tudo vai correr bem!

Quanto ao futuro a Paula afirma que "gostava que se abrissem portas para continuar com este conceito da bicicleta, se isso não acontecer, irei voltar ao Vietnam e ficarei lá por uns tempos a ajudar crianças com a prática de inglês." Por cá vamos esperar e ver o que acontece.

Se ficaram contagiados e curiosos saibam que podem acompanhar tudo através do Instagram e do blog da Paula.

sábado, 17 de novembro de 2018

Tinha tudo para correr mal (11º Capítulo)

Quem é que ainda se lembra da festa do que aconteceu na festa de Halloween? Pois bem, uma vez que as pessoas ficaram curiosas em relação ao Filipe  decidi que seria interessante dar uma oportunidade a essa personagem, mas ainda não vai ser já. Mas fiquem atentos


"- Agora já podemos pensar no Natal. Quem é que organiza a festa este ano? - Perguntou a Joana.
- Acho que este ano é a minha vez. - Respondo colocando o telemóvel em cima da mesa, eu e o Filipe temos passado muito tempo a falar e estamos a pensar em breve marcar um café ou um jantar.
- Precisas de ajuda? - Perguntou a Ana que gosta tanto do Natal como uma criança de cinco de cinco anos que ainda acredita no Pai Natal.
Ela continuou a falar, mas não a ouvi, tinha uma nova mensagem no Filipe, andava curiosa em relação a uma situação que não queria nem devia comentar ninguém.
Mas afinal qual é o motivo de tanta curiosidade? Não sei o nome do Filipe e nem sei se ele se chama mesmo Filipe, ele pode se chamar Zé Zarolho e eu nem imagino.
Qual é a melhor maneira de saber a vida de uma pessoa? Adiciona-la no Facebook!
Mensagem enviada, pedi-lhe para me adicionar no facebook.
PLIM! Novo seguidor! Cá está aquela carinha bonita e cá está o nome dele... Filipe Cunha Alves. Nem conseguia acreditar no que os meus olhos viam. Sorri e propus um jantar a dois para o dia seguinte.
- EDU! - Gritou a Ana. Falta mais de um mês para o Natal, mas ela já está com ganas.
- Diz, desculpa, estava distraída. - Respondo atirando o telemóvel para a carteira.
- Estava a dizer que podias fazer o teu delicioso bacalhau com natas...
- Pode ser, já vou comer bacalhau com broa no jantar de trabalho dia 22 de dezembro, bacalhau gratinado no jantar da igreja dia 21, bacalhau de qualquer forma no jantar do clube de gays e lésbicas da terrinha no dia 20... Porque não comer bacalhau com natas no dia 23? - Reclamo.
- Jantar da igreja? - Perguntou a Joana a rir.
- Jantar do clube de gays e lésbicas? - Perguntou o Rodrigo.
- Isso nem sequer existe. - Reclamou o Artur.
- Pois não, mas perceberam a ideia. Toda a gente enfarda bacalhau nas festas de natal. Nós próprios nos queixamos todos os anos que passamos dias a comer bacalhau e depois os restos das festas... - Explico aguentando a minha forte curiosidade de ver o telemóvel.
- Nisso tens razão, todos os anos é a mesma coisa. - Concordou o Ivo bebendo o seu fino.
- Vamos comer sushi! - Gritou a Carlota dando um salto e batendo com a mão na mesa, como se a escolha do jantar de natal fosse a mesma coisa que declarar guerra a uma grande potência.
- Aguenta os póneis! - Disse-lhe o irmão rindo.
- Não querias dizer cavalos? - Perguntou a Ana.
- Não, queria mesmo dizer póneis, além de mais nova e mais ela é a mais baixa, se nós aguentamos os cavalos ela tem que aguentar os póneis. - Explicou o Artur, obviamente que isto era daquelas coisas que só os irmãos entendem.
- Tive uma ideia! E que tal um churrasco? - Sugiro. Ficam todos a olhar para mim como seu fosse um pónei cor-de-rosa.
- E vamos fazer isso na tua varanda? - Pergunta o Ivo.
- Tens um plano melhor? É diferente a nível gastronómico, é original, e completamente fora do contexto! - Respondo.
- Eu alinho no churrasco! - Disse a Joana. - E só porque sou uma gaja fixe, vamos para minha casa fazer a festa de natal. - Acrescentou ela que tem uma casa térrea com um pátio bem simpático.
- Vamos já fazer o sorteio do amigo secreto! - Disse a Ana em euforia.
Pior que Ana em euforia é ver os outros todos em euforia. Alguém arranjou um papel e uma caneta, meterem os papéis no gorro do Rodrigo e cada um tirou um papel.
Surpresa! O meu amigo secreto é a Carlota. Alguma coisa me diz que lhe vou dar a prenda antes do natal, mas vai ser épica.
Peguei no telemóvel e respondi à mensagem do Filipe, o jantar de amanhã está combinado, e claro que pela conversa dele ele vai querer sobremesa.
- Joana, estás livre amanhã de tarde?
- É fim-de-semana, claro que estou livre. Ao fim-de-semana os meus clientes como são homens de família, estão obviamente com a família!
- Boa! Às três da tarde passo em tua casa, sou capaz de precisar que me emprestes uma meias.
- Primeiro, porque é que vocês vão às compras sem mim? - Perguntou a Ana aborrecida.
- Segundo, porque é que a Joana te vai emprestar meias? - perguntou o Artur.
- Primeiro - e fito a Ana - Não sejas curiosa, já pensaste que tu podes ser o meu amigo secreto? - Ela calou-se e sorriu contente com a possibilidade. - Segundo, - e fito o Artur - Não sabes que meias estou a falar! - confesso que não tinha uma resposta melhor para lhe dar.
PLIM! Recebi uma mensagem, abri animadamente a pensar que era do Filipe, mas era uma mensagem simples da Joana que apenas dizia: MEIAS???
Tive que me controlar para dar uma gargalhada, estava a gerar um plano na minha cabeça. Apenas respondi "Daquelas que usas para amarrar os teus clientes à cama!"
A Joana não se controlou e soltou uma gargalhada a ler a mensagem. Todos a fitaram.
- O que foi? Já não se pode ser feliz?"

Acompanhem também as novidades no Instagram (@pequenabonecadetrapos) ou no Google+.

Playlist do mês de novembro (ªParte)

À semelhança do que aconteceu o mês passado decidi voltar a partilhar com vocês as músicas que têm marcado o mês.
Como da última vez as pessoas disseram que 30 músicas eram demais para um só post decidi dividir isto mais ou menos a meio, mantendo a lógica de uma música por dia.

1. HMB - O amor é assim
 2.  Pink - So what
 3. Christina Perri - Jar of Hearts
 4. Placebo - Pure Morning
Devo confessar que esta não era uma música que eu gostasse particularmente, mas desde que no ano passado fui ver Placebo ao vivo e eles abriram o concerto com esta música, ela me trás boas memórias.

5. Nneka - Heartbeat
6. D.A.M.A - Era Eu 
7. Dido - Don't Believe In Love
8. Ponto Quattro - Ter Aqui
Por coincidência esta semana, cruzei-me com esta música de que eu gosto mesmo muito e que marcou uma fase muito importante da minha vida. Agora, anos depois voltei a ouvir e acreditem, faz ainda mais sentido para mim.

9. Brandi Carlile - The Story
10. Amor Electro - A Máquina
 11. Bryan Adams - Summer Of '69
 12. GNR - Sangue Oculto
Nestes últimos dias a minha rádio de eleição tem sido a M80 e acreditem em mim, encontro lá muitas músicas que adoro. A "Sangue Oculto" é uma daquelas músicas que adoro e que faz parte da banda sonora da minha vida, por isso dou sempre por mim a cantar.

13. The Black Eyed Peas - Shut Up
14. Eminem - Lose Yourself
15. System Of A Down - Chop Suey!
16. Spice Girls - Spice Up Your Life

Caso queiram, podem sempre clicar aqui e ir diretamente para a lista que criei no canal do blog youtube.

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos) 

 

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

39 dias para o natal

Vamos lá outra vez à pergunta da praxe: Como vão essas compras de natal?

O que oferecer ao sexo masculino?

Faltam apenas 40 dias e muitos de vocês ainda não sabem o que oferecer, ao melhor amigo de 30 anos, ao vosso pai de 50, aquele tio que tanto gostam de 40 anos, ou até mesmo ao filho dos vossos primos que só tem 5 anos, então voltem a tirar o vosso bloco de notas, porque à semelhança do que aconteceu a semana passada, esta semana tenho um leque bem grande de sugestões de prendas para o sexo masculino para todas as idades e carteiras.
Dos 0 aos 9 anos:
- Roupa;
- Triciclo ou bicicleta;
- Jogo "Super Mario Odyssey";

Dos 10 aos 19 anos:
- Jogo "The Legend Of Zelda: Breath of the wild"
- Livro "Assassins Creed";
- Gorro, cachecol ou luvas.

Dos 20 aos 29 anos:
- Pulseira em aço;
- Box com as temporadas da série "Teoria do Big Bang";
- Jogo "Call of Duty: Black Ops 4"


Dos 30 anos 39 anos:
- Livro "A Guerra dos Tronos";
- Jogo "Shadow of the Tomb Rider"
- Gravata;

Dos 40 aos 49 anos:
- Jogo "Assassin's Creed Odyssey"
- Livro "Receitas saudáveis de Jamie Oliver";
- Kit de barbear;

Dos 50 aos 59 anos:
- Botões de punho;
- Relógio;
- Garrafa de vinho;

Dos 60 aos 69 anos;
- Livro "A causa das coisas":
- Decantador de vinho;
- Cinto;

A partir dos 70 anos:
- Pijama;
- Quadro;
- Lenços da mão.

Aproveito para agradecer ao PumPum que me ajudou muito na escolha dos melhores jogos.
Mais alguma sugestão que pretendam acrescentar? Que prendas mais gostam de receber?

Acompanhem as novidades no Twitter e no Google +

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

12 casacos perfeitos para usar este inverno

Dizer que os casacos são uma peça chave desta estação pode parecer óbvio, na verdade, eu própria considero isso cliché, mas não quer dizer que não seja verdade.
Se em tempos falei que a melhor maneira de "sobreviver" ao inverno com estilo era optar por vestir por camadas. E quando falamos em camadas de certeza que todos concordam que o casaco é fundamental pois ele vai ser a nossa última e derradeira barreira de proteção.
Por isso temos que escolher casacos bem quentes e que nos isolem o melhor possível do frio. E porque pensar não basta partilho com vocês algumas sugestões de casacos bem quentinhos.
1; 2; 3; 4; 5; 6;
7; 8; 9; 10; 11; 12
Na loja Fashion Mia de certeza que vão encontrar os melhores casacos e as melhores malhas para completar os vossos looks basta conhecerem a secção women's knitwear sale.
Entretanto e porque o foco deste post eram os casacos, se estavam a pensar renovar o vosso armário o o meu conselho é que escolham uma cor neutra e um modelo mais cumprido. Se por outro lado vocês são como eu e acham que casacos nunca são demais e gostam de ter vários modelos e cores, então apostem em algo diferente como um estampado, ou uma cor mais fora do vulgar como laranja, amarelo (que está muito na moda este ano), ou até mesmo vermelho.
O importante não ter muitos casacos, mas sim casacos que com os quais a gente se sinta bem. Se gostam de estar na moda, lembrem-se que nem todas as modas e tendências nos ficam bem.
Se depois deste se sentiram com vontade de comprar casacos então não deixem de conhecer a seleção de cheap coats da Fashion Mia.
 



Este texto foi pago ou patrocinado.

40 dias para o natal

Eu sei que 40 dias ainda é muito tempo, e que para a maioria das pessoas, ainda é muito cedo para pensar no natal. Contudo, sei que um pouco por todos existem pessoas como eu, que apesar de não serem loucas com o natal, gostam da data e de preparar as coisas com alguma antecedência. Por isso, e a pensar em mim e nessas pessoas, aqui está mais um post especial natal.

Vestir e entrar no espírito.

Se não querem se preocupar já com a árvore, com as prendas ou com a decoração, porque não tirarem uns minutos para entrar com o pé direito na época e escolherem um vestido de natal?
Não sabem do que estou a falar? Pois bem, estou a falar nada mais, nada menos que vestidos com motivos natalícios. E se pensam que estou maluca, primeiro visitem o site da Dresslilly e vejam com os vossos próprios olhos.
1; 2; 3; 4; 5; 6; 7; 8; 9; 10
Here are the new arrival: Dresslily-crazy November!
Adoro as novidades de novembro, e apesar de estar ansiosa para ver o que é que a Dresslilly está a preparar para dezembro, tenho noção que se quiser que o meu vestido chegue a tempo das festas de natal, o tenho que encomendar já, pois as entregas demoram cerca de 1 mês (pelo menos este é o tempo que tenho esperado).
Se ainda não pensaram em adquirir roupa com motivos natalícios, está hora de renovar o vosso guarda-roupa! A DressLily está a preparar os melhores produtos de alta qualidade, mas de baixo preço para vocês, para assim estarem dentro do espírito em todas as ocasiões para segunda a sexta-feira.

Aproveito para vos perguntar se vocês usam roupa com motivos natalícios nesta época? Ou se é algo que habitualmente só se vê em filmes? Usavam alguma destas peças?



Este texto foi pago ou patrocinado.


Acompanhem também as novidades no Instagram (@pequenabonecadetrapos) ou no Google+.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Hora da Póóóchete#113

No outro dia em conversa com BFF.
BFF: Nem sei o que se passa com as pessoas, desde quando é que o amor ser tornou tão instantâneo?
Eu: Vamos ver as coisas desta maneira, o amor é como um bolo.
BFF: Um bolo?
Eu: Sim. Antigamente era habitual fazer-se a massa do bolo batendo a massa à mão, depois passados uns anos começaram a usar-se as batedeiras, e agora já se compra a massa pronta, e é só preciso meter no forno...
BFF: Metáfora estranha, mas realista!

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Deixem-se inspirar por perucas

A semana passada falei aqui sobre cabelos coloridos e sobre como podemos recorrer a perucas para mudar-mos a cor do nosso cabelo sem estarmos a recorrer a processos químicos.
Porém, estive a pensar, e afinal as perucas podem não ser só uma boa aposta no caso de cores mais fora do comum. Podemos recorrer a perucas para conseguirmos mudar a cor do nosso cabelo, mesmo que estejamos a falar de cores mais normais e convencionais.
De qualquer forma, e sempre que falamos de perucas é importante saber o que é que pretendemos e o que é se enquadra melhor naquilo que procuramos, o mais usual são as ombre wigs, pois devido ao seu acabamento dão um ar mais natural na zona do escalpe, e assim, uma vez que estamos a falar de mudar a cor do cabelo, evitamos que se vejam qualquer desnivelamento entre o tom do couro cabeludo e os fios. Obviamente que ninguém quer que os outros reparem que se está a usar uma peruca.

Mas vamos ao que interessa, se por aqui alguma menina está a ponderar ficar loira, as blonde wigs, são a solução perfeita.
1; 2; 3;
Se por outro lado, querem ser maus audazes desafio-vos a experimentar ver os vossos cabelos ruivos. Se aceitam este desafio as red wigs são a aposta ideal.
4; 5; 6
De qualquer forma e porque nesta questão das cores dos cabelos, existem inúmeras opções, o ideal é ver para querer. Por isso, porque não visitar a Everydaywigs e fazerem as vossas próprias escolhas?
Eu como já tenho o cabelo claro, acho que seria menina para apostar nos ruivos, aliás já tive os fios ruivos uma vez e adorei, acho que vai ser desta que volto aos velhos hábitos.

Agora contem-me lá, gostavam de mudar a cor do vosso cabelo? Que cor escolheriam? Preferiam optar por uma cor mais ou menos convencional?


Facebook Eveyday Wigs | Site da Eveyday Wigs




Este texto foi pago ou patrocinado.

Acompanhem também as novidades no Instagram (@pequenabonecadetrapos) ou no Google+.

5 coisas que valorizo na minha vida

Sempre fui daquelas pessoas que acordam de manhã gratas e felizes com a vida que tem, porém, com o passar dos anos aprendi a valorizar a minha vida.
1. Ter um pai e uma mãe que me amam.
Infelizmente nem toda a gente pode dizer o mesmo.

2. Ter um trabalho
Pode não ser o melhor trabalho do mundo, mas também podia ser bem pior.

3. Não tenho dívidas nem créditos
Vejo muita gente individuada, por isso nos dias que correr não dever nada a ninguém é motivo de orgulho.

4. Sou "mãe" de duas meninas que precisam de mim.
Saber que a Becas e a Egas me vêem como uma mãe, deixa-me feliz pois sei que estou a fazer um bom trabalho com elas.

5. Todos os dias luto por uma vida melhor
Desistir nunca deve ser opção e ter força e coragem para lutar todos os dias é motivo de orgulho.

E vocês, o que é que mais valorizam na vida?

Acompanhem também as novidades no Instagram (@pequenabonecadetrapos) ou no Google+.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

#Resumo da Semana nº45/2018

Acho que o meu corpo está a criar uma espécie de defesas contras as segundas-feiras. Há duas semanas tive aquela ligeira gastrite e tive que vir para casa, esta semana tive uma enxaqueca que só com medicação e muitas força de vontade que não me arrastou para casa. Cheguei ao fim do dia de trabalho de rastos, mas pelo menos aguentei. Detesto estas crises de enxaqueca! Mais alguém sofre disso? Se sim quais são as vossas dicas para minimizar as dores?
E porque não existem duas sem três, acabei a semana constipada. Claro que um azar nunca vem só, fiquei constipada logo no fim de semana em que ia fazer um passeio até Resende para tirar fotos e estar com a minha prima. Terei agora que esperar pela próxima oportunidade. 
Legenda:

1. Não quero pressionar ninguém, mas só faltam 47 dias para o natal!
Por isso, no blog (link na bio) podem encontrar várias sugestões de prendas para mulheres de todas as idades.

2. Acho que ela me vai pedir alguma coisa!
3. Facto da vida nº66: Existem tradições de família que nunca devemos esquecer, principalmente aquelas em que uma parte da família se reúne para falar mal da outra parte.
4. Para mim só é oficialmente outono/inverno depois de comer castanhas! Quem mais é assim?
5. Apesar de cansativo adoro ter dias cheios e ter sempre muita coisa para fazer. Por isso e porque hoje é segunda-feira no blog (link na bio) falo um pouco sobre a minha semana
6. Além de frio e sono, esta menina tem também muito mimo!

Recordo que podem ver todas as fotografias nas redes sociais, mas ultimamente também tenho feito algumas publicações no instastories, por isso e se não querem perder nada, comecem já a seguir o blog no Instagram (@pequenabonecadetrapos).

Acompanhem também as novidades no Twitter e no Google +

domingo, 11 de novembro de 2018

Guest Post: A (des)educação

Olá a todos,

Para quem não me conhece, eu sou a Green do blogue GreenLand. A Teresa desafiou-me para escrever um texto para o seu blogue sobre um tema à minha escolha, eu aceitei o desafio e resolvi escrever sobre a minha realidade profissional. Eu sou professora de Música no 1º ciclo e é dessa experiência que vos venho falar hoje.

Voltando uns 20 anos atrás, nessa altura os professores abusavam do poder que tinham e achavam que os alunos aprendiam e respeitavam mais através do medo e por isso batiam por tudo e por nada, eu sou do tempo de levar palmadas, reguadas e ainda com uma cana enorme que a minha querida professora da escola primária (ironia, muita ironia no querida) batia diariamente nos meus colegas, por tudo e por nada, se iam ao quadro e não sabiam a resposta, levavam até acertarem, o que hoje em dia seria punido e muito bem pela lei. No entanto hoje em dia as coisas mudaram e é cada vez mais difícil ser-se professor, e não falo aqui das condições de trabalho, pois isso daria para um novo post!

Claro que isto não era correto, nem há 20 anos atrás nem agora nem em momento nenhum desta vida, no entanto passámos de um extremo ao outro, hoje em dia se um professor levanta a mão a um aluno, corre o risco de nunca mais poder dar aulas o resto da vida, o que não faz sentido. As crianças são cada vez mais mal-educadas e os pais e mães são cada vez menos preocupados e mais tolerantes com as faltas de educação e respeito.

Sempre ouvi dizer que uma palmada no momento certo, faz milagres, e é bem verdade, e da mesma forma que sou contra os professores que batem por tudo e por nada e batem com réguas e canas diariamente como foi no meu tempo, também acho que os professores deveriam ter autoridade para dar uma palmada no rabo dos alunos quando estes estão a ser mal-educados, pois não faz mal a ninguém, não são maus tratos e surtiria um belo efeito em muitos alunos que não trazem de casa um pingo de educação e respeito, o que infelizmente existe numa grande quantidade hoje em dia.

Mas atenção! Não estou a generalizar pois tenho perfeitamente a noção de que felizmente ainda existem muitos pais e mães que dão educação aos filhos e que não admitem que estes sejam mal educados e desrespeitadores para com os professores e os funcionários das escolas, mas infelizmente cada vez mais acho que são uma minoria.

Não me interpretem mal, atenção que eu não sou a favor da violência, mas há coisas onde deveria existir um meio-termo e este assunto é um belo exemplo disso mesmo.



Muito obrigada Green pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.

Acompanhem também as novidades no Instagram (@pequenabonecadetrapos) ou no Google+.

sábado, 10 de novembro de 2018

Tinha tudo para correr mal (10º Capítulo)

A pedido de muitas famílias portuguesas... Vá OK algumas, eis que hoje publico o primeiro capitulo de TTPCM em analepse. Hoje todos nós vamos ficar a saber como é que a Eduarda e o Artur se conheceram e como é que ficaram amigos.
Não se esqueçam de deixar a vossa opinião sobre a história, pois adoro saber o que estão a achar.


"Se por algum motivo alguém observar o meu grupo de amigos, de certeza que se deve perguntar como é que um grupo de pessoas tão díspar se dá assim tão bem. A verdade é que nem sempre foi assim, durante muito tempo fomos sete estranhos, mas a verdade é que as lágrimas, o sangue e suor nos uniram e hoje somos sete pessoas diferentes mas com laços em comum.

Algures em 1995

A minha mãe mandou-me vestir uma roupa bonita e portar-me bem. A nova vizinha veio cá a casa tomar um café e trouxe os filhos, o rapaz é da minha idade, a rapariga mal anda e fala de uma maneira esquisita.
- Eduarda vai mostrar ao Artur os teus brinquedos. - Ordenou a minha mãe, afastei-me para o meu quarto com aquele miúdo magrelas e de óculos.
- Boa! Tens muitos brinquedos, mas são todos de menina! - Disse ele quando entrou no meu quatro.
- Eu sou menina! - Digo eu admirada pela observação dele. - Mas se quiseres da próxima vez que vieres cá a casa podes trazer os teus brinquedos para brincarmos juntos!
- Não gosto de ti! Tens tudo cor-de-rosa!
- Também não gosto de ti, és mau!
- E tu és gorda!
Sabem aquele momento em que nem pensamos duas vezes? Pois bem, chateada corri para ele com toda a minha força e atirei-o ao chão.
Foi o fim do mundo no meu quarto, num segundo ele estava de pé, noutro estava a empurra-lo e depois ele estava estendido no chão a chorar com o nariz a escorrer sangue.
Lembram-se de eu ter dito que a nossa amizade começou à base de sangue lágrimas, sangue e suor? Pois bem cá estão as lágrimas e o sangue a parte do suor foi quando eu tive que fugir da minha mãe porque ela me queria bater e colocar de castigo.

Alguns meses depois, primeiro dia de aulas da escola primária.

Estava a tentar encontrar o melhor lugar para me esconder. Gosto de brincar às escondidas com os meninos da minha turma. Já estou no segundo ano, por isso já sou mais crescida que os bebés da primeira classe, e por isso posso escolher os melhores sítios para brincar.
- És um menino da mamã! - Gritou um rapaz mais velho empurrando um dos bebés da primeira classe.
- Caixa de óculos! - Atacou outro voltando a empurrar o bebé que já tinha os óculos desalinhados e a camisa por fora das calças.
- Não me batam! - Pedia ele.
Ah! Finalmente reconheci o bebé da primeira classe, é o filho da vizinha a quem eu parti o nariz. Tenho duas opções, ou deixo que ele se torne o saco de boxe dos miúdos do terceiro ano, ou faço dele um homem e talvez a minha mãe possa ir tomar café com a mãe dele outra vez.
- Ei! - Gritei. - Deixem-no em paz!
- Está mas é caladinha chavala senão batemos-te! - Ameaçou o miúdo mais velho.
- Se me bateres faço queixa de ti!
- Se fizeres queixa de nós amanhã batemos-te outra vez.
- E eu volto a fazer queixa. - Ameacei, apesar de já sentir os joelhos a tremer. O bebé Artur olhava para mim incrédulo.
- Ela tem razão! Se nos fizerem mal, nós fazemos os dois, queixa de vocês! - Atacou o Artur para minha surpresa.
Fiquei admirada com a atitude dele, mas ao mesmo tempo ganhei uma coragem renovada contra os miúdos do terceiro ano. Peguei no walkman que tinha no bolso e atirei-o ao chão. A minha mãe não ia ficar nada feliz.
- E agora vou dizer que vocês me partiram o walkman!!! Larguem-no já! - Gritei ao ver a funcionária a passar pelo corredor. Comecei a chorar mesmo a tempo dela chegar junto de nós.
- O que é que se passa aqui? - Perguntou a mulher.
- Eles bateram-me a atiraram o meu walkman para o chão, e depois começaram a bater a ele... - Disse apontando para o Artur.
- É verdade, eles iam fazer-nos mal! - Continuou o Artur.
A funcionária levou os dois miúdos com ela e assim que se afastou o suficiente aproximei-me dele.
- Deves-me uma! - Disse.
- Tu mentiste! - Atacou ele, agora com mais coragem porque não tinha ninguém a ameaça-lo.
- Tu também! - Respondi com um sorriso malandro - Mas eu não conto a ninguém. Agora se quiseres, logo à tarde depois das aulas podes ir brincar comigo.
- Gostas de andar de bicicleta?
- Sim.
- Vou falar com a minha mãe para irmos passear ao parque. - Terminou ela sorrindo.

Atualidade

Desde esse dia sempre me senti na responsabilidade de cuidar do Artur, apesar de (e contra aquilo que eu gosto de assumir perante ele), ser ele a cuidar de mim várias vezes.
Para ser honesta, foi ele que segurou na minha cabeça quando eu apanhei a minha primeira bebedeira e passei a noite a vomitar no jardim, foi ele o primeiro a chegar a minha casa quando eu lhe disse que me ia divorciar, e foi o primeiro a dizer-me que eu era a melhor amiga que uma pessoa podia ter."

Espero que tenham gostado desta analepse. Por favor deixem a vossa opinião para eu saber se posso ou não continuar com estes capítulos alternativos.

TAG | O que eu mais gosto

No outro dia (OK, confesso, já foi à muitos dias) a Matilde do blog "O Cantinho da Tily" desafiou-me para responder a uma TAG, e aqui estou eu a aceitar o desafio.
1- Carnaval ou ficar em casa?
Não sou grande fã do carnaval, por isso normalmente fico por casa.

2- Beber refrigerante ou beber água?
Água sempre!

3- Jogar playstation ou no telemóvel?

Depende do jogo.

4- Apanhar sol ou fugir dele?
Depende, mas a não ser que queira bronzear, habitualmente fujo do sol.

5- Calça jeans ou bermudas?
Calças!

6- Som alto ou fones?
Depende da música.

7- Lavar o cabelo todos os dias ou de vez em quando?
Dia sim, dia não, por causa da queda de cabelo.

8- Pintar o cabelo ou deixar natural?
Depende do que me apetecer na altura.

9- Acampar ou ir a concerto?

Nunca acampei, por isso...

10- Comer à mesa ou no sofá?

Depende.

11- Computador fixo ou portátil?
Portátil é sempre mais prático.

12- Falar muito, ou escutar muito?
Ambos, mas depende das pessoas com quem estou.

13- Óculos de sol ou boné?
Óculos de sol.

14- Comer em casa ou na rua?
Sair para jantar e passear é sempre um bom plano, principalmente porque assim não se tem que arrumar a cozinha.

15- Ver um filme em casa ou no cinema?

Depende do filme, mas habitualmente prefiro ver em casa.

Agora os nomeados:

Sofia Veloso do blog "Cantinho da Sofia";
Andreia Morais do blog "As gavetas da minha casa encantada";
Cynthia do blog "Bitaites da Cy";
Quase Cinderela do blog "Deliciosamente... Quase Cinderela";
Mena do blog "Entre os meus dias";
Diana Fonseca do blog "A vida de Diana";
Lívia do blog "Tofu Colorido";
Green do blog "Green Land"


sexta-feira, 9 de novembro de 2018

8 vestidos estilo bodycon que todas as mulheres devem ter

OK, quando eu digo todas as mulheres, talvez não sejam todas as mulheres, até porque esta é uma tendência que apesar de ter vindo para ficar, é algo que não se enquadra em qualquer silhueta.
Sejamos honestos, qualquer mulher pode usar um vestido estilo bodycon e se sentir bem com ele mesmo que a sua silhueta não se enquadre (se esse é o vosso caso, então força nisso miúdas"!), contudo e pessoalmente, esta é uma daquelas tendências que se enquadra bem apenas em algumas fisionomias.
Hoje venho aqui falar-vos de uma loja online que tem modelos de Cheap bodycon dresses perfeitos para qualquer ocasião, isto porque uma mulher não tem que se sentir sexy e destacar as suas curvas só em momentos especiais.

Se vão para o trabalho estes modelos são para vocês:
https://www.chicgostyle.com/collections/bodycon-dresses/products/c37ea7f882eehttps://www.chicgostyle.com/collections/bodycon-dresses/products/3a39e757c2ae

Se por outro lado preferem apenas um bonito vestido para um passeio mais relaxado, estes modelos são uma aposta:
https://www.chicgostyle.com/collections/bodycon-dresses/products/58717c4ce053https://www.chicgostyle.com/collections/bodycon-dresses/products/2e5d74b4abd3

Se a vossa ideia é um vestido elegante e sexy para uma saída com os amigos, estes modelos podem ser uma inspiração:
https://www.chicgostyle.com/collections/bodycon-dresses/products/9bdf8147b317https://www.chicgostyle.com/collections/bodycon-dresses/products/ydg18100901

Se nenhuma das opções anteriores serviu para vocês, o que me dizem destes modelos, para um evento mais elegante:

https://www.chicgostyle.com/collections/bodycon-dresses/products/d3a93dbbda5bhttps://www.chicgostyle.com/collections/bodycon-dresses/products/c35e0d08200b

Se gostaram das sugestões que vos dei, deixem então que eu vos apresente a loja que me inspirou a fazer este post. Chicgostyle, é uma loja online recente que está já a afirmar-se no que diz respeito à moda feminina. Aqui podem não só encontrar os famosos vestidos bodycon, como várias peças, desde calças, camisolas (muito boas para os dias frios que temos tido), tops, e ainda vários modelos de vestidos (entre eles uma adorável secção de womens shift dresses), por isso não deixem de visitar e tirar as vossas próprias conclusões.

O que acharam destes modelos? Já conheciam a loja?


Facebook ChicgoStyle | Site ChicgoStyle




Este texto foi pago ou patrocinado.

Receita #10 - Rojões

Se existe um prato que eu adoro é Rojões à moda do Porto, por isso é uma das receitas que faço com alguma frequência e que fui adaptando. Querem saber a receita?
Ingredientes:
Preparação:
Façam um refogado num tacho grande, com uma cebola média picada, um dente de alho, uma folha de louro e azeite. Assim que a cebola ficar transparente juntem a carne de porco cortada aos cubos e deixem fritar no azeite um pouco antes de temperar com sal e pimenta.
Assim que a carne estiver selada, juntei um copo de vinho branco, e deixem refogar em lume médio. Assim que o vinho evaporar podem juntar um novo copo de água e repitam o processo.
Descasquem as batatas e cortem aos cubos médios, fritem e reservem. Cortem o redenho e a tripa em bocados mais pequenos e fritem em óleo abundante.
Juntem o rednho e a tripa aos rojões de porco e misturem bem. Juntem depois as batatas e misturem tudo para ganhar sabor.
Decorem com pickles, acompanhem com arroz branco e sirvam com arroz branco.

Sugestões:
Podem juntar sangue, mas como eu não gosto, nunca tentei cozinhar com esse ingrediente.

Espero que gostem e se experimentarem não se esqueçam de partilhar a vossa opinião comigo.


Espero que tenham gostado desta receita. Para conhecerem mais receitas vejam:

    Bolo de Laranja

    Bolo de Chocolate 
    Bola de Carne 
    Bacalhau Trapalhão
    Bolo de Limão
    Peitos de Frango em molho de sopa de cebola
    Chili com Carne 
    Tarte de Mousse de Chocolate 
    Bolo de Chocolate Húmido 
     

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

47 dias para o Natal

O título não engana, estamos a caminhar a passos largos para o natal. Mas não entrem em pânico, ainda temos muito tempo para fazer tudo o que é preciso.

O que oferecer ao sexo feminino?
Ainda não sabem o que oferecer à vossa tia de 50 anos, à avó de 80, à vossa sobrinha de meses, ou à prima adolescente? Pois bem, este post é para vocês que estão cheios de dúvidas. Tomem nota das sugestões que eu recolhi para todas as idades e carteiras:

Dos 0 aos 9 anos:
- Roupa;
- Kit de produtos de banho;
- Livro "Os mais Belos contos de Anderson"

Dos 10 aos 19 anos:
- Uma mala;
- Conjunto de banho com sabonete, sais de banho, creme de corpo;
- Pulseira em prata;

Dos 20 aos 29:
- Colar de fio simples em prata ou ouro;
- Livro "Escândalo";
- Lenço ou cachecol;


Dos 30 aos 39 anos:
- Porta documentos em pele;
- Anel simples em ouro ou prata
- Ambientador Mikado;

Dos 40 aos 49 anos:
- Brincos em ouro;
- Livro "Uma Mulher em Fuga";
- Uma carteira;

Dos 50 aos 69 anos:
- Porta-retratos;
- Coffrets de cuidados do corpo;
- Livro: "A filha da minha melhor amiga";

A partir dos 70 anos:
- Robe ou casaco de dormir;
- Livro "O segredo";
- Moldura ou quadro.

Mais alguma sugestão que pretendam acrescentar? Que prendas mais gostam de receber?
loading...