Bodycon Dresses, como usar em qualquer altura?

Não existem motivos para não usar esta tendência!

Como manter o estilo nos dias frios?

3 camisolas bem quentes e com muito estilo.

Mudar de visual nunca foi tão fácil!

As perucas são cada vez uma boa opção para mudar de visual e apostar em looks mais arrojados.

Como sobreviver ao frio com estilo?

Vestir por camadas é a melhor opção, para nunca ter nem muito frio nem muito calor.

Elas vieram para ficar

As perucas estão ai e vieram para ficar

domingo, 16 de dezembro de 2018

Guest Post: Resgatar todas as Histórias de Amor

Primeiro quero agradecer à Teresa por este convite carinhoso para a rubrica Guest Post.
Chamo-me Sandra Reis, sou Professora do 1º Ciclo, não estou colocada há alguns anos, mas sim, sou, o meu coração continua nesse sítio, cheio de mesas, crianças e um quadro negro cheio de letras a giz. Tenho duas #PrincesasSereiasFadasReguilasFofinhas. Muitos me conhecem #desdesempre como defensora #atéàsúltimasconsequências dos Animais e das Crianças. Os primeiros blogues que criei têm sido direcionados para ajudar, de alguma forma, os Animais e as Crianças em Portugal. Adoro escrever e pintar, e um dia decidi juntar as paixões todas e comecei a escrever e a ilustrar livros infantis, para ajudar associações e sensibilizar as crianças para o respeito por todos os seres vivos, e foi aí que a minha viagem começou.
Uns anos mais tarde, decidi criar um blogue pessoal, onde podia partilhar o que escrevo, o que sinto, penso, entre outras coisas minhas, e criei o  "Deliciosamente Quase Cinderela". Escolhi o nome Quase Cinderela e não Cinderela apenas, porque as Mulheres não são desenhos animados, mas sim a versão Melhorada e Humana da Cinderela. Não acredito em Príncipes Encantados, mas acredito que podem ser Príncipes Quase Encantados.
Sempre acreditei no amor eterno, no amor que transcende tudo e todos, no amor para além do tempo, no amor verdadeiro. Gostava de o poder acordar no coração de todos porque sinto que se perdeu algures no tempo.
Já não se ama com sofreguidão, com desespero, com dedicação, com a intensidade dos romances, dos poemas e das histórias de antigamente.
Amar com a paixão de Camões, amar com o desassossego de Pessoa e às vezes amar com a tristeza de Pessanha, sermos feliz como somos, é assim que a vida tem o seu valor, em lutarmos pelo mais nobre amor, mesmo que tenha que ser a nado, em sentirmos tudo de todas as maneiras, em aguentarmos quando os passos são mais pesados que as pedras da calçada, em sermos nós próprios, mesmo quando nos sentimos mil pessoas numa só, em sermos capazes de ver até os mais pequenos pormenores, até aqueles que se tornam vulgares no dia-a-dia, em sermos capazes de criar histórias de amor de que nunca ouvimos falar, em sermos capazes de sonhar com Príncipes Encantados mesmo sabendo que não existe nenhum, em voarmos para qualquer lado sem sequer termos asas para voar.
Já não se ama como antigamente, com a dedicação devota, com a cegueira, com cartas de amor, com sonatas e poemas, com a força de um vulcão.
Já não há amores de perdição como o de Simão Botelho por Teresa, não há amores platónicos como o de Camões por Leonor. Já ninguém ama perdidamente como nos sonetos de Florbela Espanca, com as cores e os aromas de Pascoaes, com o romantismo sofrido de Bocage, e é por isso que escrevemos poemas, porque procuramos esse amor que não tem limites no tempo nem no espaço, e a cada verso que o escrevemos, a nossa alma quase que o alcança, quase que o sente por alguns segundos.
Quem me dera poder resgatar todas essas histórias de amor, protegê-las dentro de um frasco de cristal, guardá-las com pétalas santas, da Rainha Santa Isabel, e transformá-las em amores que jamais murchariam com aroma a rosas vermelhas, eternamente belas.
Todas as histórias de amor que a terra viu, dentro do frasco de cristal, seguras, imortalizadas como o amor de Pedro por Inês, beijadas na mão com uma vénia de respeito. E deixá-las libertar a sua fragância, permitindo que vivam eternamente onde as podemos ver e sentir, ouvir, tão intensamente, como o amor de Romeu e Julieta.
Resgatar todas as histórias de amor e dar-lhes um final feliz, mesmo que tenham vivido de sonhos, de desejos, de tristeza e solidão, como uma Gata Borralheira, mas saberem que um dia vão finalmente encontrar um Príncipe ou uma Cinderela Verdadeiramente (quase) Encantados, que irão lutar por vocês, tal como Bartolomeu Dias contra o Adamastor, e tornarão qualquer cabo das Tormentas em Esperança, e vos irão amar para sempre, aconteça o que acontecer.


Muito obrigada Sandra pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sábado, 15 de dezembro de 2018

Tinha tudo para correr mal (15º Capítulo)

Tenho ficado com a sensação, que algumas pessoas estão a perder o interesse na história, principalmente porque quem comenta diz muitas vezes que são muitas coincidências que acontecem. Para já vou tentar acabar com essas coincidências todas e depois logo vejo dependendo do vosso feedback se vale ou não a pena continuar com a história, porque a última coisa que eu quero são leitores aborrecidos.


 "-Gostava de saber quem é o meu amigo secreto. - Digo sentando-me na mesa do café e acendendo o meu cigarro.
- Eu não sou. - Responde a Joana. - Vou ter que dar a prenda ao Ivo.
- Eu vou ter que dar à Carlota, mas só leva uma caixa de chocolates, ela já teve uma grande prenda à minha custa. - Afirmo dando uma gargalhada sonora.
- Espero que não andes a levar a minha irmã mais nova por maus caminhos. - Reclama o Artur.
- Oh que maus caminhos pelos quais a poderia levar? Sou boa rapariga, sou saudável, bonita, inteligente, vivo bem a minha vida, pago as minhas contas... Sou um exemplo a seguir. - Afirmo no preciso momento em que tenho um ataque de tosse.
- Esquece lá a parte do saudável! - Remata a Ana a rir. 
- Pelo menos assim, sei que nunca vou ser raptada para o tráfico de órgãos! Ninguém vai comprar peças usadas já estragadas!
- Oh Meu Deus! Onde foste buscar essa teoria? - Pergunta o Artur.
Não tenho tempo de lhe responder, e ainda bem. Ninguém ia querer saber a minha teoria. Contudo aquilo que nos tirou a fala, foi chegada do Rodrigo. Acreditem ou não ele vinha acompanhado de um verdadeiro mulherão. Grande, com uma estrutura óssea bem constituída, loira de olhos azuis, e algum botox nos lábios e muito silicone nos peitos.
- Olá pessoal, apresento-vos a Ekatherina. - Disse ele todo orgulhoso da sua conquista. - Ia agora mesmo mostrar-lhe a minha casa, quando vi que vocês estavam aqui e passei para dizer olá.
- Não havia necessidade. - Respondeu o Artur por todos nós.
- Bem, sendo assim até logo! Ou até amanhã... - Ele estava com um sorriso malandro, daqueles sorrisos masculinos, espelhados na cara de um gajo que pensa que vai ter sorte toda a noite.
- Eu diria mais até já! - Exclamou a Joana, todos a fitamos admirados, e ela sorriu, o sorriso de uma mulher que sabe que o homem não vai ter sorte. 
Deixamos que o Rodrigo se afastasse para fitarmos atentamente a Joana à espera de uma explicação.
- O que é que foi aquilo? - Pergunta a Ana.
- A sério que vocês não perceberam nada? - Perguntou a Joana surpreendida. Todos nós abanamos a cabeça. - A criatura que vinha a passear o Rodrigo, não era uma Ekatherina, ou el carnitina, ou keratina...
- Não era? - Perguntou eu admirada, nisto o Artur começou a rir.
- Ekatherino!!!! - Exclamou ele com a concordância da Joana. 
Depois de me sentir estúpida por não ter percebido, também me desatei a rir.
- Qual é a piada? - Perguntou o Ivo chagando à nossa mesa.
Entre gargalhadas fomos resumindo os acontecimentos e as descobertas.
- OH! É melhor ir avisa-lo! - Disse o primo do Rodrigo preocupado com o tipo de impacto que uma situação desta fosse ter na vida do jovem e super macho Rodrigo.
- Ivo... - Digo eu olhando para o meu relógio de pulso. - Neste preciso momento o Rodrigo, deve ter acabado a sua visita guiada pela casa. 
- E de certeza que a visita acabou no quarto. - Rematou a Joana acendendo um cigarro.
- Ou muito me engano ou ele neste momento está a beijar aqueles lábios carnudos, cheios de botox...
Todos nós fazemos uma cara feia a imaginar a cena, mas não desisti e continuei.
- Daqui por uns segundos ele vai meter a mão nas calças da Ekatherina, ou Ekatherino... Ou El carnitina, ou.... - Esta conversa assim fica muito confusa. - E vai perceber a diferença!
- Esperem! Se fizermos silêncio aposto que conseguimos ouvir o grito de terror dele! - Brinca a Joana.
- Vocês são muito más... Coitado do Rodrigo, nenhum homem merece passar por isso... - Defendia o Ivo.
- É justo, o Rodrigo acredita que tudo o que vem à rede é peixe, e que por isso pode comer.... - Disse a Ana. - Aliás ele merece uma boa lição, para aprender a ser seletivo.
- Ele está melhor... Agora só come gajas boas! - Explicou o Ivo, enquanto a Ana o fulminava com o olhar.
- Nem vou perguntar! - Disse ela chateada.
- Não fiques chateada, pelos vistos os homens de hoje em dia consideram gajas boas, os gajos que tem mais botox e silicone que uma mulher normal. - Brincou o Artur.
- Vocês estão ai com tanta coisa, mas às tantas o Rodrigo até pode gostar de brincar às tomadas e às fichas... - Afirmou a Joana. A conversa parou instantaneamente e todos a ficamos a olhar. - Não me digam que voltaram a não perceber? 
Todos abanamos a cabeça. Ela levantou-se, entro no café e saiu passados uns segundo como uma extensão elétrica na mão. Pegou numa ponta e disse:
- Ficha! - Exibiu a outra ponta - Tomada! 
Até aqui tudo bem, mas qual era a lógica da afirmação dela? Onde é que ela quer chegar?
Então, ela pega na ficha e encaixou-a na tomada. Volta a tirar e volta a meter, várias vezes até que um a um vamos todos soltando exclamações e sorrisos.
Segunda vez que me sinto estúpida hoje. 
- Vocês não vão acreditar no que acabou de me acontecer! - Disse o Rodrigo vindo disparado pela entrada do café.
- O que é que foi? - Perguntou a Ana como se estivesse genuinamente preocupada.
- Não falem alto nem façam alarido disto, mas a Ekatherina afinal era um Ekatherino. - Segredou o Ivo.
- Oh! A sério? - Perguntou eu rindo.
- Vocês já sabiam? - Perguntou o Rodrigo ainda mais surpreendido, pelos vistos o facto de nós sabermos antes de ele descobrir foi mais drástico do que a situação em si.
- Eu sabia! - Sorriu a Joana. - Apenas não disse nada porque pensei que querias brincaras às fichas e tomadas. - Ela voltou a inserir a ficha na tomada.
- Isso é muito sexy Joana! - Disse o Rodrigo aproximando-se da Joana. Todos nós nos levantamos antes que a conversa fosse por outros caminhos, mas antes de sair da mesa ainda tive tempo de ouvir a reposta que a Joana lhe deu.
- Sabes... - Começou ela com uma voz ligeiramente sensual. - Existem tomadas, existem triplas, existem as tomadas banais, e depois existem as tomadas feitas por encomenda. Tu és uma ficha banal que nunca vai entrar numa tomada feita por encomenda. - Terminou ela dando-lhe um beijo na face e vindo ao meu encontro. 
Não disse nada quando ela finalmente me alcançou. Nem sabia o que pensar. Não era novidade que o Rodrigo se babava por ela, mas este momento entre eles foi estranho."

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

O que é que eu levo na carteira?

Já vi muitos bloggers fazerem este tipo de post, então pensei que me devia deixar levar e fazer um post do género.

Pois bem, o que é que eu levo na minha carteira todos os dias?


1. Porta-moedas, chaves de casa, tabaco e garrafa de água.
Estes são itens sem os quais eu nunca saio de de casa, nesta categoria também está sempre incluído o telemóvel.

2. Bolsa de medicação, lenços de papel, óculos de sol, cartões-de-visita, bloco de notas, kit SOS bateria.
Apesar de a minha medicação SOS para a enxaqueca estar sempre no meu porta-moedas, gosto sempre de ter comigo uma bolsa com alguma medicação, nomeadamente aqueles clássicos como o ben-u-ron, voltaren e pastilhas para as dores de garganta. Já o kit SOS bateria, inclui sempre uma ligação à tomada de eletricidade, ao isqueiro do carro, um cabo USB e uma power bank.

3. Agenda, estojo, creme de mãos, bolsa de maquilhagem, post-its.
Como podem ver na altura em que tirei esta fotografia não tinha nem a bolsa de maquilhagem nem o creme de mãos, isto porque a carteira era mais pequena do que habitual e porque tinha deixado o meu creme de mãos no escritório.

Espero que tenham gostado desta minha partilha, temos alguma coisa em comum?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Como é que eu realizei o desafio das 52 semanas

O desafio das 52 semanas é apontado por muitos como uma das melhores maneiras de poupar dinheiro. Mas como é que este desafio que permite poupar mais de 1300€ funciona?
Toda a gente sabe que o ano tem 52 semanas, o que temos que fazer é poupar o correspondente em euros ao numero da semana em questão, por exemplo na semana nº1, poupamos 1€, na semana nº2, poupamos 2€ e assim sucessivamente.
Claro que no inicio é muito fácil colocar estes montantes mais pequenos de lado, porém no final do ano torna-se quase impossível essa proeza. Contudo eu consegui adaptar este desafio à minha realidade e leva-lo até ao fim, mantendo sempre a sua essência.
1º Fiz uma lista com o numero das semanas e os montantes correspondentes.
2º Realizei pagamentos aleatórios - ou seja, não segui uma ordem especifica. Colocava um montante de lado de acordo com aquilo que eu conseguia poupar naquela semana, ou seja tão depressa colocava 50€ como na semana seguinte só colocava 10€.
Ao longo do ano, tentei sempre equilibrar os pagamentos para que os montantes mais altos não fossem todos pagos no mesmo mês. Depois, assim que o montante era colocado na poupança, eu colocava no meu bloco-notas que aquela semana e aquele montante estavam pagos.
3º Apesar de evitar pagar as semanas mais avultadas todas juntas, o meu foco era fazê-lo sempre o mais cedo possível e em meses que fossem mais favoráveis.
4º Ao contrário da maioria das pessoas não comecei o desafio na primeira semana do ano, uma vez que faço o desafio através de uma lista não precisava de seguir uma ordem já determinada.

O que é que vos parece este desafio? Já conheciam? Acharam as minhas dicas úteis?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

13 dias para o natal

Bem sei que a maioria das pessoas, nesta altura já realizou as suas decorações de natal, contudo e porque existe sempre aquela pessoa que deixa tudo para a última hora, e aquelas pessoas que procuram dar os últimos retoques hoje vou partilhar com vocês algumas inspirações de decorações para o natal.
1; 2; 3;
4; 5; 6;
Pessoalmente acho que a beleza das decorações, está não nas cores (essas nunca variam de ano para ano), mas sim na estrutura das peças que utilizamos. Acho que a conjugação entre o mais antigo (aquelas peças que eram das das nossas avós) com peças modernas, quando feito com gosto pode ficar simplesmente perfeita na decoração de natal.
7; 8; 9;
10; 11; 12;
O natal também é aquela época em que juntar os doces às decorações é sempre boa ideia, se tiverem essas possibilidades porque não decorar a árvore com chocolates coloridos? Ou então porque não encher um suporte de velas com doces? Experimentem!
13; 14;15
Gostaram destas inspirações? O que é que não pode faltar nas vossas decorações de natal?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

4 fatores que devem ter em conta se querem comprar stilettos

Não é a primeira vez, e provavelmente não vai ser a última que vos falo de sapatos, principalmente de saltos altos, isto porque, além de nos últimos tempos, ter voltado a descobrir o prazer dos saltos altos, também sou apologista que um bonito sapato de salto alto é sempre muito elegante.

Um dos modelos mais sensuais e femininos que existem são os sitilletos, contudo a maioria das pessoas associa estes sapatos a dores nos pés e problemas de coluna. A verdade é que a escolha deve ser cuidadosa, e o uso moderado, se assim for podem ficar confortáveis, e sentirem-se capazes de conquistar o mundo.
1; 2; 3;
Uma das lojas que associo aos stilettos é a FSJshoes. Não sei bem por que motivo, até porque eles tem vários tipo de calçado, ma por algum motivo, os stilettos desta loja, deixam-me sempre um brilhozinho nos olhos.
4; 5; 6.
Mas afinal o que é que torna os stilettos num calçado confortável?

Existem quatro fatores que devem ser tidos em consideração no que toca a comprar e a usar os famosos stiletto heels, entre eles:

1. Sentir-se confortável desde o primeiro momento.
Se no momento em que experimenta o sapato não se sentirem confortáveis, então aquele stiletto não é para vocês. Qualquer calçado deve ser sentido como uma segunda pele.
2. Atenção ao material.
Deve ser de qualidade, maleável e suave.
3. Comprem sempre o vosso tamanho.
4. Escolham saltos confortáveis.
Todas as mulheres são diferentes, por isso o modelo que deixa uma mulher confortável, pode não deixar outra, por isso, e porque o uso de saltos altos altera o centro de gravidade, o ideal é usar um tipo de salto que se ajuste a vocês.

E vocês usam stilettos com frequência? Gostam destes modelos?




Este texto foi pago ou patrocinado.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Hora da Póóóchete #117

No outro dia em conversa com a BFF.
BFF: Então, ainda andas a falar com o B?
Eu: Sim, ele parece ser uma pessoa interessante...
BFF: Realmente deve ser para a conversa ainda durar...
Eu: Além disso ele é daqueles contactos que convém ter presentes.
BFF: Não percebi!
Eu: Ele é engenheiro químico, ou seja, sabe fazer bombas, e nos dias de hoje nunca sabemos quando é que uma bomba vai ser necessária.
BFF: Um verdadeiro investimento para o futuro!

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

#Resumo da Semana nº49/2018

Por este andar acho que só vou conseguir descansar como deve ser no natal. Os meus fins de semana tem sido uma correria, entre festas, compras de natal, estar com alguns amigos, e trabalhar. Acreditam que tenho acordado as 08h00 sábados e domingos? Pois nem eu, mas tem sido isso que tenho feito desde o final de novembro.
Para o próximo fim de semana vou estar fora, aproveitar para visitar a capital com umas amigas e quem sabe trazer algumas novidades para o blog.
Mas não se preocupem, já está agendado para sábado mais uma edição "Tinha tudo para correr mal" e no domingo do "Guest Post". Como eu ainda não sei vou chegar a tempo de editar o post, é apenas provável que na segunda-feira dia 17-12-2018 não existam publicações, mas vou fazer todos os possíveis para que na terça-feira seja publicado o resumo da da semana.
De qualquer forma eu vou dando novidades pelas redes sociais, por isso basta ficarem atentos.
Legenda:

1. Sorrir é o melhor remédio, pelo menos para enfrentar a primeira segunda-feira de dezembro. E é um pouco sobre esta semana que vos falo no blog (link na bio).
2. Continuando a saga "Eu coleciono Globos de Neves", apresento-vos o globo que a BFF me trouxe de Praga!
3. É óbvio que ela teve um dia muito cansativo, entre comer, dormir e brincar!
4. É só apara avisar que faltam apenas 21 dias para o natal, por isso publiquei no blog (link na bio), a minha melhor e mais engraçada memória de natal!
5. Eis a expressão da Egas quando eu lhe digo "Deixa a árvore de Natal!"
6. Finalmente acabei as decorações de natal. O que acham da minha árvore e da minha vila natal?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

domingo, 9 de dezembro de 2018

Guest Post: Viver e conviver com o desconhecido

 "Olá a todos, chamo-me Patrícia e sou uma jovem estudante que a custo tenta vingar no mundo da escrita. Autora do livro “Viver e Conviver com o Desconhecido” e mais recentemente do blog “Uma pequena parte de mim...”, fui desafiada pela Teresa a escrever sobre um tema à minha escolha, para ela postar no blog. Pois bem, escolhi como tema o meu primeiro livro, mas simultaneamente escolhi também as diferenças.
Vivemos numa sociedade em que tudo é motivo para se comentar, ser-se diferente é cada vez mais difícil, é cada vez mais correr o risco de ser olhado de lado, julgado, ou até mesmo de não ser aceite na sociedade...uma sociedade em que o que está na moda, é ser igual!
Este meu primeiro livro fala disso mesmo, de SER DIFERENTE. Há 25 anos, descobri ser portadora de uma doença metabólica rara, acidúria orgânica 3hidroxi 3metilglutárica. Esta é uma doença deve-se a uma deficiência na enzima 3hidroxi 3metilglutaril, que não degrada bem as proteínas, deste modo, a minha alimentação é baseada em fruta, legumes, e hidratos de carbono, uma vez que não me é permitido alimentar-me com alimentos de origem animal (carne,peixe,ovo).
Como é uma patologia extremamente rara, descobri desde cedo que era diferente, ainda que, inicialmente isso não me incomodasse, os meus amigos aceitavam-me e nunca em momento algum me colocaram de parte devido ás minhas diferenças. Já na fase da adolescência, afastava-me do grupo no momento das refeições, não queria que ninguém conhecesse as minhas diferenças, e queria evitar ao máximo ter de responder a perguntas que me deixariam constrangida.
Hoje em dia, ainda me incomoda fazer refeições fora do ambiente familiar, é horrível sentires as pessoas à tua volta olharem para a tua refeição e fazerem comentários, muitas vezes maldosos, mas eu tenho a certeza de ser igual a eles, com defeitos e qualidades, mas mais importante ainda é ter a certeza de que são as minhas diferenças que me tornam especial.
Afinal, se olharmos à nossa volta somos todos diferentes, pela cor do cabelo, pela raça, cor dos olhos, pela língua, e são essas diferenças que tornam cada um de nós especial."


Muito obrigada Patrícia pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sábado, 8 de dezembro de 2018

Tinha tudo para correr mal (14º Capítulo)

Espero que tenham ficado curiosos com o acidente da semana passada... Esta semana vamos ter mais novidades sobre a Eduarda e sobre o "amigo comprometido", por isso fiquem bem atentos, porque muitas coisa pode acontecer antes do natal.


"O pijama... A maioria das pessoas não dá o devido valor a esta peça de roupa, mas acreditem em mim, o pijama é o melhor amigo da mulher, principalmente daquela que não pode comprar diamantes.
Estava então eu em casa, esticada no meu sofá, com o meu sofá a pensar no que tinha acontecido e a pensar no que deveria fazer quanto a isso, quando sou retirada dos meus pensamentos profundos pelo toque irritante e estridente da campainha.
Não gosto de receber visitas, muito menos quando estou de pijama. Fiz a minha penosa caminhada até ao intercomunicador tão mal dispostas que a própria Wendy da Família Adams  teria muito que aprender comigo.
OH DEUS!!! O pânico! O horror! Assim que levanto o auscultador surge na imagem a fronha do "meu amigo comprometido" no ecrã.
Devia ter ficado no sofá e fingido que não estava... Mas agora... OH o horror! Já tinha o auscultador na orelha.
Vamos lá manter a postura e agir dignamente.
- Sim? 
- Posso falar contigo?
- Não me apetece! - Respondo, só por isto já mereço o prémio de maturidade do ano.
- Deixa-te de coisas Eduarda... Acho que temos que falar.
- Estou de pijama! - Por algum motivo estou praticamente aos gritos com os intercomunicador, mais uma atitude muito madura, além disso este foi o meu melhor argumento de sempre, foi de génio!
- Deixa-me falar contigo. Quero lá saber se estás de pijama.
- Mas quero eu, ora essa! - Mais um argumento brilhante. Mas se eu mudar o assunto deixo de fazer figuras parvas. - Ei! Como é que sabes onde eu moro? Andaste-me a seguir?
- Hoje realmente não estás bem.
Pelo menos eu e ele estamos de acordo em alguma coisa, desde que esta conversa ridícula começou.
- Responde! - Juro que tentei falar, mas fiquei com a sensação que rosnei.
- Puxa Eduarda, a tua morada estava na declaração amigável que assinaste esta tarde... Lembras-te?
Agora sim, sinto-me estúpida e começo a questionar a minha inteligência. Vamos mudar de assunto outra vez para não dar a entender que me sinto parva. Melhor vamos acabar com a conversa para eu voltar a deprimir.
- Não me apetece falar. Depois um dia destes marcamos um café, saímos e falamos...
- Ambos sabemos que nunca vais marcar nada comigo... Se não falares comigo juro que não saio da tua porta!
Será que ele era capaz? Seria assim tão louco?
Eventualmente ele vai ter que ir à casa de banho, por isso posso sempre esperar tipo raposa matreira e depois posso fugir... Quem sabe mudar de casa... Dizem que o Alasca é muito bonito nesta altura do ano.
Seja como for, ele não pode ser louco ao ponto de esperar... Ou pode? Quer dizer, ele está à minha porta para falar comigo mesmo depois de ter namorada.
Palavrão! Desligo o intercomunicador e acendo um cigarro. Vou lentamente até à varanda.
Porque é que estou a andar tão devagar? Moro num 6º andar, duvido que ele me consiga ouvir.
Espreito lá para baixo. Lá está ele, à espera.
Desisto. Vou até ao intercomunicador e abro a porta. Minutos depois ele está na minha porta da entrada.
- Obrigada! - Diz ele.
- Só te deixei entrar para ter o prazer de te mandar embora!
Ele sorri, sabe que isso pode muito bem acontecer. O pior é que ele gosta disso.
- A sala é alí ao fundo, fica à vontade, vou mudar de roupa, não quero ter esta conversa de pijama. 
Volto cinco minutos depois, mais apresentável e decidida.
- Não te quero a menos um metro de mim! - Começo, simplesmente não confio em mim à beira dele.
- OK, posso ficar aqui. - Disse ele onde estava. - Queria saber como é que tu estás...
- Estou bem, obrigada.
- Eduarda, sabes muito bem o que eu quero dizer.
- Não tenho que me sentir mal com nada, eu sempre soube que eras comprometido.
Comprometido, giro, podre de bom, inteligente, bom como o milho...
- Queres pipocas? - Pergunto.
- O quê? Que raio Eduarda, o que é que se passa contigo?
- Queres mesmo saber? - Perguntou, mas não espero pela resposta. - Vê-la tornou-a real, e eu não consigo fazer isto se ela for real. Nem sei como é que te consegues... É estranho, é mau e é real!
- Também não sei, mas tens razão é horrível. - Diz ele, eu fico a fita-lo com cara de parva. - É horrível adorar duas pessoas ao mesmo tempo. Credo, pensava que o que sentia por ti era só química, mas hoje percebi que me preocupava contigo, que te queria bem...
Levantei a mão para acabar com o discurso lamechas, aproximei-me dele e beijei-o calorosamente e odiei-me por isso. Odiei-me por gostar tanto. Levei-o naquele beijo para fora da sala e depois para a porta da entrada. Abri-a.
- É melhor ires embora, pelo menos até não estares tão confuso - Disse fechando a porta na cara dele."

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

Playlist do mês de novembro (2ªParte)

Novembro já acabou, mas nem por isso deixou de ser um mês musical. Acreditem que estou a voltar a descobrir um novo prazer ao ouvir músicas novas, mas acima de tudo a recordar músicas que já não ouvia à bastante tempo.
Por isso vou partilhar com vocês a segunda parte da minha playlist de novembro:

17. Dido - White Flag
18. Aerosmith - Crazy
19.  Katrina & The Waves - Walking On Sunshine
Toda a gente tem aquela música que lhe transmite boas vibrações, não é verdade?
Para mim a Walking On Sunshine é essa música. Sempre que ela passa na rádio o meu estado de espírito muda completamente e eu sei, que aquele dia vai ser bom

20. Rádio Macau - Amanhã é sempre longe demais
21. Per7ume - Intervalo
22. The Communards - Don't Leave Me This Way
Nos último dias dei comigo a cantar esta música várias vezes e nem eu sei bem porque motivo. Mas a verdade é que ela não me saía do ouvido. Por isso se ouvirem alguém a cantarolar esta música fiquem atentos, posso ser eu.

23. Madredeus - O Pastor
24. Disturbed - Stricken
25. The Rembrandts - I'll be there for you
Quem nunca se deixou contagiar por esta música que atire a primeira pedra!

26. Brian Adams - It's only love
27. AC/DC - Thunderstruck
28. Natalie Imbruglia - Torn
Comecei a identificar-me muito com esta música, até porque existem partes da letra que são "mesmo eu".

29. Bloodsimple - Path to Prevail
30. Joss Stone - Right To Be Wrong
Caso queiram, podem sempre clicar aqui e ir diretamente para a lista que criei no canal do blog youtube.

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Receita #11 - Costelinhas no forno com batatas crocantes

Vocês pedem, e eu dou, é este o mote do blog, por isso, e depois de ter publicado a foto deste petisco nas redes sociais, muitas pessoas vieram aqui pedir para eu partilhar a receita, por isso cá vai, tomem nota:
Ingredientes:
1kg de costelinhas de porco.
1 frasco pequeno de molho de leitão.
5 a 7 batatas médias.

Preparação:
Na véspera preparem a marinada para a carne, com um azeite, colorau fumado, alho e especiarias a gosto.
No dia, estendam a peça de costelinhas num tabuleiro grandes de forno. Misturem a marinada com uma parte do molho de leitão e com um pincel espalhem de ambos os lados das costelinhas, e levem ao forno préaquecido a 180º graus durante cerca de uma hora e meia a duas horas.
A meio do tempo tirem, barrem novamente com a mistura do molho e virem as costelinhas, levem novamente ao forno e repitam o processo para que a carne fique tenra de suculenta, o ideal é que a carne saia do osso naturalmente.
Enquanto isso, lavem bem as batas e cortem aos cubos com a respetiva casca e levem a cozer até perceberem que o interior está bem cozido. Escorram a água e reservem. Numa fritadeira com o óleo bem quente, fritem as batatas até ficarem douradas.
Cortem as costelinhas, e coloquem numa travessa, espalhem o restante molho por cima. Podem ainda servir um pouco de molho de leitão aquecido para quem gostar de espalhar pelas batatas. Decorem a gosto e depois é só saborear.

Espero que gostem e se experimentarem não se esqueçam de partilhar a vossa opinião comigo.


Espero que tenham gostado desta receita. Para conhecerem mais receitas vejam:

    Bolo de Laranja

    Bolo de Chocolate 
    Bola de Carne 
    Bacalhau Trapalhão
    Bolo de Limão
    Peitos de Frango em molho de sopa de cebola
    Chili com Carne 
    Tarte de Mousse de Chocolate 
    Bolo de Chocolate Húmido 
    Rojões 
     


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Vestir com estilo desde a maternidade

Já diz o ditado "é de pequenino que se torce o pepino", por isso, sou apologista que o sentido de moda, e de estilo deve ser incutido (com peso e medida) desde a infância, até porque é desde de tenra idade que as crianças imitam os exemplos dos adultos, e se queremos crianças que gostem de si, e que tenham cuidado sua imagem no futuro, devemos ensina-los desde pequeninos a importância do vestir bem, com gosto e elegância.
Como sabem não sou daquelas pessoas que passa muito tempo com crianças, mas adoro quando vejo um menino ou uma menina, com "aquela pinta". Quando eu digo "pinta" não me refiro às crianças que parecem pequenos adultos, acho isso ridículo, mas gosto quando os pais apostam em acessórios ou peças da moda, para que as crianças se destaquem das demais. Mais uma vez, se for algo feito com gosto e elegância, acho que fica sempre muito bem.
Felizmente é cada vez mais fácil encontrar lojas que apostem em roupas de bebés com a tal "pinta" que vos falei, e a PopReal é um bom exemplo disso.
Por isso, e para inspirar os papás e mamãs mais recentes ou aqueles que esperam pela chegada da cegonha em breve, fiz uma breve seleção de roupas para recem nascidos, para que desde de sempre os rebentos estejam no seu melhor todos os dias:

Para os meninos (new born boy clothes):
1; 2; 3;
E agora os meus favoritos!

Para meninas (newborn baby girl clothes sets):
4; 5; 6
Confesso que achei muito amorosas e fofinhas, algumas peças. Espero também que este post vos tenha inspirado. Qual foi a vossa peça favorita?





Este texto foi pago ou patrocinado.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

5 filmes que adoro

Todos nós temos aquele filme que gostamos de ver vezes e vezes sem conta, e que por algum motivos nos marcou, seja pela história, pela idade que tínhamos quando o vimos, pela lição que retiramos dele... Muitos são os fatores que tornam um filme qualquer no "nosso" filme favorito. Hoje venho vos falar dos meus.

1. Estranhas Ligações.
Acho que já falei deste filme aqui, e para mim continua a ser uma lição de vida, principalmente pelo final que para mim, que vi o filme pela primeira vez com uns 10 anos, tem uma mensagem muito poderosa e que não deve ser esquecida.
 2. Joan D'arc, a donzela de Lorena.
Conheci a história da Joana D'arc através deste filme e fiquei completamente rendida a esta heroína. Tinha uns 8 anos quando vi o filme e percebi que apesar de o filme se passar na idade média, já era possível uma mulher mover exércitos, se a sua causa fosse forte o suficiente para unir as nações.
3. A Casa de Cera.
Bem sei que este filme não é nada de mais e a própria critica não gostou deste remake, porém, para mim este é daqueles filmes que vistos pela primeira vez, causam um pequeno nervoso miudinho, principalmente porque todas as pessoas que fazem parte da cidade de cera eram na realidade pessoas.
4. O Amor acontece.
Este é um dos poucos romances que me cativou, principalmente por ser ser um bom exemplo de que o amor surge não só das adversidades mas também quando menos se espera.

5. A Rainha dos Malditos.
O vampiro Lestat é aquela personagem que mesmo má tem uma coerência fantástica, este filme é a prova disso. Além disso o Stuart Townsed é tão sexy que é impossível não desejar ser mordida por ele.

E vocês, quais são os vossos filmes favoritos?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Hora da Póóóchete #116

 Quando eu fico cansada de ouvir dizer que Egas é nome de rapaz e não de rapariga...
Pessoa: A tua gata é muito fofinha como é que se chama?
Eu: Egas!
Pessoa: Egas?! Mais isso é nome de rapaz.
Eu: Nah! Ela é Maria Egas.
(a pessoa fica a olhar para mim confusa)
Eu: Tipo, aquelas raparigas que se chamam Maria João ou Maria José, e toda a gente as trata por João ou Zé... Pois neste caso toda a gente trata a gata por Egas e não por Maria.

Assunto resolvido!

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

21 dias para o natal

Já reparei que a maioria das pessoas já entrou no espírito natalício, por isso e para entrar na onda, achei que seria engraçado partilhar com vocês a melhor (e a mais engraçada) memória que tenho do natal.
Devo começar por vos dizer que não me lembro ao certo que idade tinha, mas não tinha mais de sete ou oito anos quando esta história aconteceu, e na altura não só adorava o natal como ainda acreditava que o Pai Natal existia...
Pois bem, era então a noite de natal, e como todas as outras, eu, os meus pais e o meu avô já tínhamos jantado e trocado as prendas da família. Estávamos todos a conviver e claro, eu estava a esperar ansiosamente pela chegada do Pai Natal, pois eu nunca conseguia adormecer sem ele chegar, ou melhor, sem as prendas dele chegarem.
Andava eu pela sala ansiosa à espera de um sinal do velhote de barbas brancas quando subitamente a campainha tocou.
Corri para a porta tão rapidamente que se eu fosse um galgo numa corrida de cães os meus pais tinham feito uma fortuna à minha custa só naqueles segundos.
Abri a porta e qual não é o meu espanto quando vejo literalmente o Pai Natal a descer as escadas e a acenar-me. Ele ainda teve o descaramento de me dizer "Feliz Natal Teresa" enquanto eu tentava não colapsar com a surpresa e alegria.
Como devem imaginar, o meu coração de criança começou a bater com tanta força, que se eventualmente eu sofresse do coração, tinha morrido ali.
Corri para a sala aos gritos "eu vi o Pai Natal!!!", voltei a correr para a porta e apesar de já não ver nenhum borrão vermelho continuei em pura histeria.
Corri outra vez para a sala, e de lá corri outra vez para a porta, corri tantas vezes e com tal velocidade que se um jóquei se tivesse sentado nas minhas costas numa corrida de cavalos, os meus pais tinham ficados ricos pela segunda vez na noite.
Sinceramente, acho que só parei de correr quando a adrenalina acabou, mas andei a falar do assunto durante dias e dias a fio.

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

#Resumo da Semana nº48/2018

Estamos oficialmente na reta final do ano, dá para acreditar? Eu ainda nem acredito que este ano espetacular está a chegar ao fim, espero mesmo que 2019 seja tão bom ou melhor que 2018.
Em breve terei uma novidade para vos contar, mas fiquem atentos às redes sociais que a novidade vai surgir em breve,
Entretanto aproveitei o fim de semana para tratar das decorações de natal cá de casa. Todos os anos passo dias a pensar como vou fazer a decoração e depois demoro sempre um ou dois dias a decorar tudo. Adoro decorações de natal bonitas e elegantes, por isso faço sempre um esforço para que cá em casa tudo esteja bonito.
Legenda:

1. My Endless Love
2. Ainda bem que me avisaram para não gastar dinheiro numa cama para a Egas, é obvio que os meus armários são uma boa opção para passar a noite.
3. Já sou "tia" de um menino!!!
4. Ser "Teresa" durante anos foi uma tortura! Colares com o nome? Não haviam. Pulseiras com o nome? Também não! Canecas com nome? Nem pensar! Era uma chatice nunca havia o meu nome em lado nenhum... Mas calma ainda existe esperança--- Eis que finalmente não só aparece o "Teresa" como aparece o "Isabel". Onde? Numa porta de WC!
É triste, mas é um reconhecimento da m*rda!


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

domingo, 2 de dezembro de 2018

Guest Post: No meu tempo...

Olá. Para quem não me conhece, sou a Elvira, do Sexta-feira. E antes de mais quero agradecer à Teresa o convite para participar desta rubrica. Não sei se tenho algo de interessante para vós, que na maioria podiam ser minhas netas, mas vou tentar.
Há dias no autocarro, duas senhoras conversavam. Dizia uma que o filho ia casar, e se tinha zangado com ela, por ela não querer ir ao casamento. Não é muito normal, convenhamos, e a outra senhora estranhou e perguntou se ela não gostava da futura nora.
Não é isso, é que ele tem 35 anos e este é o quinto casamento. Estou farta de ir a casamentos que não duram mais do que dois três anos. No meu tempo, um casamento era para toda a vida.
Sai na paragem seguinte, não ouvi mais mas fiquei a pensar, naquela frase que decerto já ouviram muitas vezes. “No meu tempo”. Verdade que noutros tempos os casamentos eram para toda a vida, mas quantos deles eram felizes? Os homens procuravam nas mulheres uma companheira a quem amar e partilhar sentimentos? Não. Eles eram educados para serem machos e para se reproduzirem. Eles tinham todos os direitos sobre a mulher com quem casavam até o de lhes baterem, as impedirem de viajar, (sabiam que uma mulher casada só podia viajar para qualquer lado com autorização escrita do marido?) Podiam trair a mulher, e ela tinha que aguentar tudo. Tenho uma prima que foi traída em 1970. Ela largou-o e algum tempo depois juntou-se com outro homem. Teve dois filhos, e foi obrigada a registá-los no nome do marido, apesar de ele nem sequer viver em Portugal na altura. Só depois do 25 de Abril se pôde divorciar, e mudar o registo dos filhos.
Claro que toda a gente deseja uma relação estável e feliz e cinco casamentos aos 35 anos também não é normal. O que leva ao falhanço de tantos casamentos hoje em dia? Querem saber o que eu penso? Muitas pessoas da minha idade pensam que hoje só se pensa em sexo e que a maioria dos casamentos se desfaz por falta, ou excesso de sexo.
Eu não acredito nisso. Um casal pode ter uma química fantástica, e divorciar-se. Isso é essencial casamento mas só por si não chega. O que vemos hoje em dia, é que as pessoas fruto de uma educação errada, amadurecem muito mais tarde, e têm uma baixa estima de si próprios. E num casamento é preciso que os dois sejam pessoas que se amam a si próprias, que tenham uma boa autoestima, (ninguém aposta num cavalo coxo) e que não sejam imaturos. Porque a vida a dois, não é fácil, a história de os dois se tornarem um só, é muito bonita nos romances mas na vida real, não dá, são duas individualidades diferentes, um teria que se anular em função do outro, e ao fazê-lo, o elemento que domina perde o respeito pelo outro. E a maturidade é muito importante. Uma pessoa imatura, não controla emoções, é um analfabeto emocional, e como tal, pode levar a vida entre zappings amorosos, que não há parceiro no mundo capaz de o fazer feliz.
Espero não me ter alongado muito, mas concordarão comigo que isto é tema que não se escreve nada de jeito em poucas linhas.



Muito obrigada Elvira pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sábado, 1 de dezembro de 2018

Tinha tudo para correr mal (13º Capítulo)

Depois da surpresa que foi o post da semana passada, achei que era boa ideia as personagens regressarem às suas rotinas, antes de fazer os capítulos de natal.


"- Obrigada pela boleia - Disse o Ivo assim que se sentou no banco do pendura.
- Não há problema. Mas o que é que se passou? - Perguntei arrancando.
- Tive uma avaria, alguma coisa com o motor, não sei bem. A Ana tinha uma reunião e não me podia vir buscar, então lembrei-me que trabalhavas para estes lados.
- Na boa, não há problema!
- Nunca soube ao certo onde onde é o teu trabalho...
- Xi! - Exclamei - Sou péssima com indicações, mas é mais ou menos duas ruas acima.
- Já agora trabalhas em quê?
- Hum... Sou agente! - Respondi metendo o carro no transito de sexta-feira ao final do dia.
- De quê?
- Hum... - Qual é a resposta certa? - De tudo um pouco.
- Isso é muito vago... Aliás, agora que penso nisso, acho que nunca te ouvi falar do teu emprego...
A curiosidade dos outros é uma coisas que me irrita tanto que acabei por pisar o acelerador com mais força do que queria e acabei por bater no carro da frente.
- Então Edu, não viste o carro? - Perguntou o Ivo alarmado.
Mas que raio de pergunta estúpida, ou será que ele acha que eu por puro egoísmo e por loucura decidi meter a frente do meu carro velhinho na traseira de um carro desconhecido?
Logo eu que detesto falar com desconhecidos.
Sai do carro ao mesmo tempo que a condutora do carro que eu tinha acabado de atacar.
- Peço imensa desculpa. A senhora magoou-se? - Perguntei eu genuinamente preocupada.
- Estou bem. Como é que isto aconteceu?
- A culpa foi minha... Foi distração da minha parte. Não se preocupe que eu pago os estragos .
A rapariga parecia confusa, será que ela bateu com a cabeça?
- Desculpes, é a primeira vez que estou envolvida num acidente...
E porque eu sou uma pessoa cheia de sorte, tinha que me calhar uma novata.
- Vou ligar ao meu namorado... 
- Esteja à vontade. - Disse o Ivo que do nada apareceu ao lado.
Como seria de esperar, o namorado dela ainda demorou um pouco a chegar e como devem imaginar, esperar seja pelo que for numa sexta-feira ao final da tarde é um tortura, e neste momento eu só me quero flagelar porque a frente do meu querido carro parece uma velha desdentada.
Estava eu preocupada com a prótese dentária da minha viatura, quando ao longe reconheço o rosto do "meu amigo comprometido" que vinha a caminhar na nossa direção.
Ora bem, qual é a probabilidade de eu ter atacado o carro da namorada do "meu amigo comprometido"?
Tendo em conta a minha sorte, era bem provável, até porque ele continuava a a caminhar na nossa direção. Parou à nossa beira com alguma admiração no rosto, não sei se ele estava admirado por me ver, ou por ver o estado em que os carros estavam.
Apetece-me rir às gargalhadas, que ninguém se atreva a dizer que eu não tenho pontaria.
- Boa tarde. - Disse ele estendendo a mão para me comprimentar.
- Boa tarde. - Digo eu num estado de resposta automática, estou tão chocada que ele bem me podia insultar que eu não ia ouvir. 
Será que bati com a cabeça, no mesmo momento em que bati com o carro?
Ora bem, isso é pouco provável porque o continuo a achar apetecível.
Devo ser mesmo uma pessoa horrível por achar apetecível um homem comprometido ainda por cima, depois de ter atacado o carro da namorada.
Oh meu Deus! Estou a divagar e o mundo gira à minha volta, e as três pessoas à minha volta continuam a falar...
- Edu, estás bem? - Perguntou o Ivo.
- Sim, estou!
- Tem a certeza? - Pergunta a namorada do meu amigo comprometido.
- Sim.
- Precisas de alguma coisa? - Perguntou novamente o Ivo já com os papeis da declaração amigável na mão.
- Por acaso preciso! - Digo eu pegando na caneta e nos papeis que o Ivo segurava. Assinei-os e devolvi-os ao Ivo. - Trata tu disto, já me dei como culpada e já assinei. - Entro no carro e pego na minha carteira e atiro as chaves do carro ao Ivo. - Podes ficar com carro durante o fim de semana, trata-me por favor das burocracias. Tenho que ir.
Afastei-me com seis olhos postos em mim."


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

Ho, Ho. Ho, já é dezembro

Hoje é oficialmente dezembro e se por um lado as pessoas já andam eufóricas com a chegada o natal, eu estou a deprimir porque o ano está a chegar ao fim.
Mas ainda faltam 31 dias para a despedida por isso tenho que estabelecer novas metas para acabar em grande.

Quanto a objetivos, não podia deixar de os fazer, por isso cá vai:


Objetivos Pessoais:

Objetivo nº1. Ler o livro "As grandes profecias da história"
Objetivo nº2.  Ler o livro "Os cromos na escola"
Objetivo nº3. Ver a série "Rainha Branca"
Objetivo nº4. Ver a 3ª temporada da série "Breaking Bad"
Objetivo nº5. Emagrecer 2kg
Objetivo nº6. Ver dois filmes


Objetivos do blog:
Objetivo nº7. Atingir os 745 seguidores no blog
Objetivo nº8. Atingir os 3150 seguidores no facebook
Objetivo nº9. Atingir os 2000 seguidores no twitter
Objetivo nº10. Atingir os 635 seguidores no google +
Objetivo nº11. Atingir os 535 seguidores no instagram
Objetivo nº12. Atingir os 1400 seguidores no pinterest
Objetivo nº13. Conseguir uma nova parceria


E vocês já sabem quais vão ser as vossas metas este mês?

Aproveito para vos pedir mais uma vez para darem uma ajuda nos objetivos do blog, se ainda não seguem o "Ontem é só Memória" nem aqui nem nas redes sociais, deem o vosso contributo.
https://twitter.com/Bonecade_Traposhttps://www.facebook.com/ontemesomemoria/
https://www.instagram.com/pequenabonecadetrapos/https://plus.google.com/u/0/+TeresaSilvaIsy/posts
https://www.pinterest.pt/ontemesomemoria/


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |
loading...