Atualidade:

Todos os anos vários animais são abandonados, e as associações não conseguem acolher todos

Já Conhecem a Wigsbuy?

Se gostam de mimar o vosso cabelo, esta loja é para vocês.

Vestidos é na MillyBrifal

Conheçam uma das minhas lojas online favoritas

Moda e Beleza

6 modelos plus size para vos inspirar

Elas vieram para ficar

As perucas estão ai e vieram para ficar

domingo, 14 de outubro de 2018

Guest Post: Avós

Olá
Sou a Magui do blog "Este blog tem dias". Um blog que explora essencialmente a minha veia humorística, porque não concebo a vida sem humor.
Um blog despretensioso, simples, particularmente colorido, mas que também tem dias cinzentos e amargos, porque os meus dias são tudo isso, um turbilhão de cores alegres e tristes e de sentimentos à flor da pele, sem esconder a palhaça que existe em mim e a pessoa inquieta, ansiosa, tímida, insegura que sou.
Agradeço à Teresa o convite para participar no seu Guest Post, onde decidi abordar um tema que me é muito caro.
A importância dos avós na vida dos netos, porque fui uma privilegiada nesse aspecto, assim como as minhas filhas o são.

Tenho saudades dos meus avós maternos.
Os meus pais trabalhavam, sou filha única, a minha casa durante o dia era a casa dos meus avós, onde almoçava, onde estava até à chegada dos meus pais.
Brincava-se na rua até tarde, com os amigos de sempre e com aqueles que conhecíamos no Verão, os “banhistas”, que vinham dos arredores com as famílias para apanhar banhos de sol e de mar. Quando íamos para a escola os pais não nos acompanhavam, entrávamos e saíamos em grupo.
Tenho muitas lembranças dos meus avós, lembro-me de ouvir fado e música popular com o meu avô (aprendi a gostar de Tristão da Silva, Tony de Matos, Francisco José), num grande gira discos que ele tinha, lembro-me de ir passear com a minha avó em “excursões”, lembro-me de estar com ela grandes temporadas em casa do meu tio em Lisboa e de brincar com a filha da porteira do prédio, menina da minha idade.
Lembro-me de escrever cartas ditadas pela minha avó (que era analfabeta) para os irmãos e sobrinha, emigrantes em França.
Lembro-me da comida em casa dos meus avós; do bacalhau guisado, de comer gaivota. Lembro-me da minha avó me dar dinheiro para comprar bombocas.
Lembro-me do grande brinco-de-princesa que pendia pela parede, na entrada de casa deles, lembro-me do poço no pátio, das escadas para o terraço.
Lembro-me da companhia que eles me faziam e que eu lhes fazia, principalmente a minha avó, pequenina, mas uma mulher rija. Lembro as tardes de Verão passadas com ela em casa da Sra. Aurora a ver passar os turistas.
Lembro-me do meu avô nos últimos anos de vida, beber vinho quente às refeições.
Lembro-me da minha avó quando se chateava com ele, chamar-lhe “velho da cadela”.
Apenas o meu avô não conheceu a minha filha mais nova.
Gostava (gosto) muito deles, foram uma parte muito importante da minha vida, foram uns avós presentes e amigos, sonho muitas vezes com eles e é um sonho bom.
Devia ser proibido os avós morrerem aos netos, sem estes ficarem com uma recordação, uma memória deles, com os seus rostos gravados no coração.
Sorte a minha que os tive até tarde.
Tenho saudades dos meus avós todos os dias, mas é uma saudade que não dói, é uma lembrança bonita e feliz.


Muito obrigada Magui pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.

Acompanhem também as novidades no Instagram (@pequenabonecadetrapos) ou no Google+.

sábado, 13 de outubro de 2018

Tinha tudo para correr mal (6º Capítulo)

Prontos para mais um episódio de TTPCM? Hoje entramos numa nova aventura, espero que gostem. Aproveito para vos perguntar novamente, o que acham da ideia escrever alguns capítulos em flashback a contar como é que o grupo de amigos se conheceu? Acham boa ideia? Gostavam de saber como é que tudo começou?


"Não sei ao certo o que é que aconteceu, nem como aconteceu. Geralmente é sempre assim, os meus amigos, aquele grupo de pessoas normais que pontualmente decidem ser anormais, tem o dom de parecer ilusionistas. De repente eles já tinham ligado ao Ivo e ao Rodrigo que já estavam a caminho, isto porque alguém achou que eu e o Roberto deveríamos fingir que estávamos juntos, só para mostrar ao meu ex que já tinha arranjado melhor partido.
Bem, lá isso é verdade, o Roberto é muito melhor partido... Quer dizer se partido é assim tão bom imaginem inteiro! Digamos apenas que ele tem outros e mais interessantes atributos. De qualquer forma eu teria optado por agir como uma pessoa adulta e ignorar, mas a ideia de mostrar que estava com um homem como o Roberto agradou-me. E muito!
Sim, eu sei, sou uma pessoa horrível!
Estávamos a ver um expositor calmamente, porque o segredo é agir calmamente, quando de repente sinto os olhos do meu ex nas minhas costas.
- Não olhes agora... - Avisou a Ana - Mas ele está acompanhado...
- E bem acompanhado! - Exclamou a Carlota, em apenas meio segundo ela sentiu que todos a fitávamos mal dispostos - Quer dizer, ela é gira e nova...
- Cala-te! - Ordenou a Joana dando-lhe um cachaço.
Subitamente, vindo do nada, como o Songoku na sua nuvem mágica eis que o Roberto chega com todo o seu charme e sensualidade, encarando este teatro todos como se esta fosse a peça da sua vida. 
Ao seu lado o Ivo não consegue esconder o sorriso, porém percebo que o seu sorriso desaparece quando nos vê e percebe que no expositor ao lado está o meu ex.
Ninguém teve tempo para nada! Num segundo o Roberto estava na entrada, noutro já estava a agarrar-me, a inclinar-me e a beijar-me. Uma verdadeira cena de filme!
Eu bem disse que este teatro era a peça da vida dele!
Quando o beijo acabou percebi que toda a gente, e repito TODA A GENTE, que estava presente tinha parado o que estava a fazer para olhar para nós. Só queria fugir... Mas não podia, primeiro porque não ia dar o braço a torcer, segundo porque o Roberto ainda me estava a agarrar.
- É incrível como eu ainda fico maluco contigo! E já lá vão cinco anos... Dás comigo em maluco desde o primeiro dia! - Dizia ele.
Alguém o mande calar! Alguém lhe dê um murro e o deixe inconsciente! Alguém faça alguma coisa, que o faça ficar calado!
- Calma Romeu! - Diz o Ivo aproximando-se do primo numa tentativa de exorcizar o espírito de Shakespeare que tinha possuído o Roberto.
- E que tal irmos ver vestidos de noiva? - Pergunta o Artur numa tentativa de aliviar os ânimos.
- Oh meu Cyrano de Bergerac, o que raio se passa contigo? - Perguntei assim que começamos a andar para longe das pessoas que tinha visto toda a cena do beijo.
- Estive bem, não estive? Eu disse que ia ser o namorado perfeito...
- Foste uma perfeita besta! - Atacou a Ana - A Eduarda só se divorciou à quatro anos!
- E tu disseste cinco anos! Há cinco anos atrás ela ainda estava casada! - Explicou o Ivo.
- E agora? - Perguntou o Roberto.
Pela segunda vez no dia, soltou uma gargalhada sonora.
- E agora? Vamos deixa-lo pensar que tem um lindo par de cornos! - Respondo.
- Por acaso estou a precisar de um estendal para a roupa! - Brincou a Joana.
Não consigo deixar de achar engraçado que aquilo que era suposto ser "uma cena de gajas" se tornou em mais uma saída de grupo... A vida tem desta ironias e... Alto!!! O que é que...
- Roberto! - Digo chateada, depois percebo que estamos a ser observados - Querido - Corrijo - Tira a tua mão do meu rabo.
- Shiu estou a tornar as coisas mais realistas.
- Realista para quem? - Perguntou com um sorriso forçado.
- Para o teu ex que está a olhar! - Diz ele tentando dar-me um beijo. Mas para mim já chega de beijos por hoje. Como me safar desta vez? Ah sim, o típico falso pudor!
- E se fossemos experimentar vestidos de noiva?! - Perguntou a Ana.
- Força, a noiva és tu! - Respondeu rapidamente a Joana.
- Não, vamos todas, vai ser mais realista se a Eduarda também experimentar.
Pela segunda vez no mesmo dia vi-me forçada a perguntar: "realista para quem?"
- Oh, vamos, vai ser divertido! - Exclamou a Carlota.
- Tenho que concordar com elas. Ia ser mais realista se... - Acrescentou o Ivo.
- Não usei vestido no meu casamento real, não vou usar para o meu casamento imaginário. - Defendo.
Ao longe vejo o meu ex-marido a fitar-me, percebo pela sua postura que está chateado e isso diverte-me, ele sempre desejou casar pela igreja e ter um casamento enorme, eu não. Foi uma das guerras que eu ganhei. Imagino o que estará ele a pensar neste momento e volto a rir. É mesmo engraçado ver como a vida da voltas."

Gostaram deste episódio? O que acharam? Contem-me tudo nos comentários.

Acompanhem as novidades no Twitter e no Google +

TAG| Conhecendo Melhor

Apesar de ter uma lista de tags à espera de resposta, não resisto em procurar novas. Foi o que aconteceu com esta TAG que encontrei no blog "Conta tudo Cacau". Vamos a isso?
1 Nome completo:
Teresa Isabel Silva

2. Onde moras?
Gondomar

3. Estado civil/tens filhos?
Divorciada e sem filhos.

4. A tua comida favorita:
Leitão assado.

5. A comida que tu não gostas:
Tudo o que leve pêra.

6. Qual é a tua bebida favorita?
Água.

7. Qual é a bebida que não gostas?
Vinho

8. O que é gostas menos em ti?
Os pés.

9. Qual é o teu pior defeito?
Teimosia.

10. Para ti, o que é que é mais importante numa pessoa?
A inteligência.

11. Que tipo de filme mais gostas?
Terror.

12. Qual é a tua estação do ano favorita?
Outono.

13. Quantos irmãos tens?
Nenhum.

14. Qual é o teu desporto favorito?
Voleibol.

15. A tua equipa?
Não tenho.

16. Doce ou salgado?
Salgado.

17. Qual é o animal que mais gotas, e qual é o que menos gostas?
Gosto de todos os animais.

18. Que tipo de música gostas mais e que gostas menos?
Adoro rock, e dispenso o pimba.

19. Qual é a tua cor favorita?
Preto.

20. Uma frase:
"Keep it simple and stupid"

Agora os felizes nomeados:

1. J* do blog "Jus à Ju";
2. Marta Carvalho do blog "A marca da Marta";
3. Andreia Morais do blog "As gavetas da minha casa encantada";
4. Cristiana Nobrega do blog "A chata de batom";
5. Green do blog "Green Land";
6. Mena Almeida do blog "Entre os meus dias";
7. Matilde do blog "O cantinho da Tily"

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Hora da Póóóchete#108

Sobre aqueles velhotes que organizam orgias nos lares de idosos...
...Até entendo, deve dar muita adrenalina não se saber se se vem, vou se se vai!

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Tendências e vestidos

O termo vestido vem do latim vestitus e consiste numa peça de vestuário destinada ao público feminino, de comprimento variável, que serve para cobrir o corpo. Trata-se de uma roupa inteiriça, com ou sem mangas, que cobre o tronco e as pernas.
Atualmente já usual encontrarmos com frequência várias variações de vestidos, entre eles vestidos de duas peças, vestidos adaptáveis, os high low dresses (mais curtos à frente e longo atrás), entre outros.
Hoje decidi falar-vos um pouco destes modelos que a meu ver são menos usados, mas que podem ser igualmente bonitos e elegantes.
Apresento-vos a loja online Prom Formal onde encontrei verdadeiros e bonitos exemplos destes modelos de vestidos.
Pessoalmente acredito que os vestidos vão evoluir cada vez ao longo dos anos, e que cada vez mais vai ser usual usar estes modelos que parecem menos usuais. Se bem de se lembram à uns anos atrás a os  high low dresses estavam muito em voga e depois essa tendência foi desaparecendo apara começar a surgir novamente. Acho que é essa a tendências para os agora muito falados 2 piece prom dresses (vestidos de duas peças).
1; 2; 3; 4; 5; 6;
Felizmente nos dias que correm já não é difícil encontrar vestidos a preços acessíveis, com modelos para todos os gostos. As tendências vão mudando, mas o melhor de cada moda, fica e com ela temos a possibilidade de criar visuais únicos e diferentes.

E vocês, qual foi a vossa tendência de vestidos que mais vos marcou?
Já conheciam a Prom Formal? Gostaram dos vestidos que escolhi?





Este texto foi pago ou patrocinado.

Inspirações para o Halloween (2ª Parte)

Como vos disse no post anterior sobre o Halloween, a minha ideia este ano é deixar-vos algumas dicas e sugestões para que possam celebrar animadamente o Halloween.
Este é um post só para os mais corajosos que querem celebrar em grande o Halloween, fiz uma breve lista de locais supostamente assombrados que podem visitar em Portugal.
E então sentem-se com coragem de continuar?
1. Palácio de Marques Gomes - Vila Nova de Gaia
Dizem que esta propriedade junto ao rio Douro é um dos locais onde as almas do outro mundo existem. Quem visita o terreno diz que se ouve uma voz metálica e brusca a gritar "Saiam já daqui! Vão se embora!".

2. Pátio do Carrasco - Lisboa
O nome surge porque aparentemente, foi ali que viveu Luís Alves, o ultimo carrasco português. Segundo consta é possível ouvir sons estranhos nomeadamente os lamentos do senhor.

3. Sanatório de Valongo - Gondomar
O antigo sanatório construído em 1910 para abrigar doentes com tuberculose, porém parece que os doentes ainda se mantêm por lá. Segundo alguns relatos, neste lugar ouvem-se barulhos e veem-se vultos.

4. Palácio Beau SéJour - Lisboa
Este palácio foi em tempos a residência do barão da Glória, e atualmente alguns empregados queixam-se que os livros e arquivos aparecem em lugares onde ninguém os colocou.

5. Casa das Pedras - Cascais
Dizem que nesta casa se ouvem barulhos estranhos, se veem vultos nas janelas e luzes a acender e apagar, porém os novos moradores nunca se queixaram.

6. Palácio de Valenças - Sintra
A antiga residência do conde de Valenças é aparentemente assombrada por uma antiga criada chamada Palmira que se terá suicidado.

7. Sanatório da Serra da Estrela - Seia
Dizem que este local é assombrado pelos espíritos dos doentes que lá morreram, contudo em breve o local vai ser reabilitado para dar lugar a uma pousada da juventude.

Conheciam estes locais assombrados? Já visitaram algum? Tinham coragem de visitar um destes sítios na noite de Halloween?

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Uma questão de peso

Quem segue o blog desde o inicio facilmente se lembra dos posts onde eu falava da minha luta contra o peso. Devem também ter reparado que deixei de abordar o assunto, isto porque mudei a minha maneira de ver as coisas.
Durante muito tempo ouvi frases como "casou, desleixou-se", "foi por estar gorda que o marido a deixou" ou ainda "ela é gorda porque não tem cuidado", que me deixavam muito magoada porque na verdade só eu sabia o que estava ou não estava a passar no meu corpo.
Durante muito tempo ponderei se me deveria expor no blog e falar abertamente sobre o que aconteceu, e agora, dois anos depois e 40kg a menos, ganhei coragem para contar tudo.
Ao contrario do que as pessoas dizem, o meu aumento de peso não foi desmazelo ou descuido, depois de vários exames os médicos descobriram que o meu aumento de peso num tão curto espaço de tempo se devia a problemas hormonais.
Segundo os especialistas eu tenho um ovário deficitário, porém só quando mudei de pílula é que as coisas vieram ao de cima, entre eles o aumento de peso e dos pelos corporais.
Também devo dizer que não sou uma santa no que toca a alimentação, gosto de comer bem e tirar prazer disso, mas... Não podia estar a pesar 140kg só pelo que comia, era impossível, apesar de ser um garfo, não comia assim tanto quanto para se justificar um peso daqueles.
Apesar de estar em regressão, este não é um processo fácil, durante cerca de três anos vivi com vergonha de mim, não ia a festas porque odiava o meu corpo,  e ainda hoje não sei se o meu casamento acabou por eu não ser atraente. Simplesmente não me suportava, sentia-me feia.
Cheguei ao ponto de durante o banho me esfregar tanto com uma luva exfoliante que fiquei com a pele em ferida. Eu só queria que a gordura desaparecesse!
Acabei por ir para uma psicóloga, para tentar lidar com esta situação. Não é fácil lidar com um problema quando ele não é totalmente nossa culpa, e muito menos quando ele faz com que nós não consigamos olhar para o espelho.

Demorei dois anos para perder cerca de 40kg e apesar de ainda não estar no meu melhor, aliás estou longe disso, sei que estou no caminho certo e com o tempo vou lá chegar. Trata-se de paciência e esforço. Aceitar que cada grama a menos é uma vitória, e aprender a gostar de mim aos poucos.

Hoje em dia, já consigo ter prazer quando vou comprar roupa e já não tenho vergonha de sair e me divertir, este ano, ao fim de seis anos fui à praia, claro que ainda usei uns calções e fui para uma praia deserta, mas já foi uma grande vitória para mim. Finalmente sei que se gostar de mim, vou fazer cada vez mais para melhorar.

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Sobre a Saga "A Guerra dos Primos"

Quando comecei a ler as obras da Phillippa Gregory, nunca pensei vir a ficar tão viciada.
A saga "A Guerra dos Primos" são seis romances históricos que nos levam a viajar até a corte inglesa de 1327, num período de instabilidade monárquica marcada pela Guerra das Rosas. Esta é a história do trono antes da dinastia Tudor.

Para ler Phillippa Gregory é preciso ter em atenção uma coisa que eu acho importante: a data da edição do livro vs a ordem cronológica das obras.
Inicialmente comecei por ler pela data de edição, mas a leitura tornou-se difícil, primeiro porque gerava muita confusão, e porque existem muitas, mas mesmo muitas personagens com os mesmos nome, por isso, se estivermos a saltar alguns anos na história, não sabemos ao certo qual é a Isabel ou o Eduardo ao qual a autora se refere. Por isso além de vos sugerir que façam a leitura por ordem cronológica, vou também fazer este resumo seguindo essa mesma ordem.
 A Senhora dos Rios
Este livro conta a história da Jacquetta de Luxemburgo em pleno auge da Guerra dos Cem Anos. Depois de sofrer muito preconceito, uma vez que ela conhecida por ser descendente da Melusina, Jacquetta acaba por se tornar amiga da rainha porém sua lealdade não mantém a Casa de Lancaster no trono: o rei cai doente e Ricardo, duque de York, ameaça se rebelar contra o reino. Nomeada Lady Rivers, ela vive conforme seus princípios, mas sempre atenta ao que futuro lhe pode trazer.

A Rainha Vermelha
Conhecemos finalmente a história da Margaret Beaufort, numa época em que a Inglaterra está prestes a enfrentar uma guerra civil. O rei, Henrique VI de Lancaster, apresenta os primeiros sinais de loucura, e a linhagem dos duques de York assume o trono. Herdeira da antiga casa real, viúva com apenas 15 anos, Margaret Beaufort decide dedicar sua vida solitária a pôr o filho, Henrique Tudor, no trono, e para isso estabelece alianças perigosas e lidera uma das maiores rebeliões de seu tempo.

A Rainha Branca
Elizabeth Woodville, é a filha mais velha de Jacqueta que com dois filhos pequenos, e viúva decide recorrer ao jovem rei para reaver suas propriedades, usurpadas pela família do marido. No entanto ela acaba por despertar a atenção do monarca, os dois apaixonam-se e casam-se em segredo, levando a jovem a ascender ao trono contra todas as expectativas.
Mas após a morte do rei, seu marido, a Rainha da Casa de York não olha a meios para proteger seus filhos mais novos, herdeiros do trono inglês, mas nada evita que eles sejam sequestrados pelo tio, Ricardo III, e acabem trancados na Torre de Londres.
Encontramos aqui, muito bem explorado pela autora, um dos mistérios mais intrigantes da história: o desaparecimento dos príncipes algo que ainda hoje é um acontecimento que confunde os pesquisadores.

A Filha do Conspirador
Neste volume, Phillippa Gregory apresenta-nos Isabel e Anne Neville, as duas filhas de um dos maiores conspiradores da época.
Richard Neville, conde de Warwick, é conhecido como “Fazedor de Reis”, o homem mais poderoso da Inglaterra no século XV. Ele usa as suas filhas, Anne e Isabel, como peões para os seus jogos políticos, mas apesar dos seus esforços, a influência é reduzida na corte de seu antigo amigo e aliado, Eduardo IV.
Porém após a sua morte, as suas filhas aprendem a ter que manter o jogo em andamento, e fazem tudo para manter a antiga ambição do pai viva.

A Princesa Branca
Isabel de Iorque é a filha mais velha de Isabel Woodville e do rei Eduardo IV que após o desaparecimento dos irmãos é prometida ao jovem Henrique Tudor para unificar um país dividido pela guerra por aproximadamente duas décadas.
Ao longo do livro, Isabel tem que escolher entre Tudor e York, entre o seu novo marido e o menino que declara ser seu amado irmão perdido....

A Maldição Do Rei
Este livro é o olhar de Margarida Pole, que passa a sua vida a lutar para libertar o irmão, preso desde criança, da Torre de Londres. Porém esta sua batalha termina quando Henrique VII ordena a execução do jovem que cresceu fechado na torre.
Considerada como mais uma ameaça para a volátil reivindicação do rei Henrique VII ao trono, Margarida está enterrada em um casamento com um seguro e típico apoiante Tudor. Entre a rápida deterioração da corte dos Tudor, Margarida deve escolher se sua lealdade é para com o rei cada vez mais tirânico, Henrique VIII, ou para sua amada rainha e princesa. Presa entre o velho mundo e o novo, Margarida tem que encontrar seu próprio caminho e ocultar seu conhecimento de uma antiga maldição que abrange todos os Tudors.

Já conheciam esta saga? Gostaram? Tencionam ler?

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

PSOOTD - Look do Casamento

Bem sei que algumas pessoas estavam curiosas em relação ao vestido que falei neste post sobre os recebidos da Dresslilly. Confesso que quando o vi e o encomendei a minha ideia não era usa o vestido no casamento, mas assim que o vi e experimentei soube que ele seria o tal para usar na cerimónia.
Optei por um visual simples, mas elegante. A minha ideia era estar simples e elegante sem dar muito nas vistas. 
O penteado foi escolhido no ultimo momento, inicialmente queria apenas uma trança ou o cabelo preso, por causa do decote do vestido, mas acabei por optar por algo mais elaborado, o que a meu ver até nem foi mal postado.
Já a maquilhagem, optei por algo que destacasse a cor dos meus olhos e claro num batom vermelho escuro. 
A parte melhor do meu look, foi que acima de tudo ele era muito confortável e feminino. O comprimento do vestido não era incomodativo por ser longo de mais, e também não me limitava os movimentos por ser curto. Já o decote... Bem digamos que pontualmente tinha que ter cuidado, principalmente se tivesse que me dobrar para a frente, mas mesmo assim não foi de todo uma situação alarmante.
Claro que depois da cerimónia e das fotografias, tirei os saltos altos e substitui-os por uma sabrinas bem mais confortáveis, ideais para passear pela quinta e dançar.
Escolhi completar o look com um blazer azul-escuro, ou seja, a mesma cor do vestido, uma clutch também azul escura, um colar de prata com brilhos, um relógio (nunca saio de casa sem relógio), e duas pulseiras também azuis.

Vamos agora falar do que interessa. Quanto é que eu gastei para produzir este look?

Vestido Dresslilly - 26.99€
Sapatos Leftis - 7.00€
Clutch - 5.00€
Blazer - Já tinha cá em casa.
Penteado Anita Cruz Cabeleireiros - 23.00€
Maquilhagem Anita Cruz Cabeleireiros - 10.00€
Meias - 1.00€
Relógio Swatch - Já era antiguinho e foi oferecido
Pulseiras e colar e anel - Também já tinham algum tempo no armário e na altura foram prendas.

Total = 72.99€

Contem-me lá, gostaram do look que escolhi? O que acham? Mudavam alguma coisa?
Se quiserem ver mais fotografias sobre este look, cliquem aqui e vejam o álbum que criei no facebook.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

#Resumo da Semana nº40/2018

Sem dúvida alguma que o casamento do meu primo foi o ponto alto da semana que passou. Confesso que ele e a namorada fazem parte daquele pequeno grupo de casais que fazem acreditar no amor, e ao ver a felicidade deles percebi que não estava enganada quanto a eles. Espero mesmo que sejam muito felizes por muitos anos e que façam muito feliz a filha.
Ainda esta semana aproveitei para estar com umas amigas do tempo do secundário, fomos comer crepes e meter a conversa em dia, falar com elas foi bom principalmente porque me deram algumas perspetivas diferentes sobre o facto de ter voltado a estudar tendo já uma licenciatura, e acabaram por me dar mais algumas sugestões sobre as quais terei de pensar.
Hoje foi dia de voltar à rotina das aulas, vamos lá ver como corre a semana! 
Legenda:

1. Já tirou o funil da cabeça... Já está a fazer asneiras!
2. "Olha uma coisa qualquer, completamente aleatória que eu posso estragar, só para irritar a minha dona!"
3. Facto da vida nº63: As pessoas querem voar, mas os pombos que tem asas andam pelo chão... Que vida injusta!
4. 06.10.2018 casamento Ana&Sérgio
5. Ah e tal hoje vou fazer dieta... Hum não espera hoje não dá. hoje é dia de sushi!
6. Sou a única a ver uma lua desenhada no café? Ou já estou a ter alucinações pela falta do sono? Será uma mensagem do além para me mandar ir dormir?
7. 06.10.2018
8. Eu tenho uma criança dentro de mim que adora balões
9. Não estou psicologicamente preparada para começar a acordar estupidamente cedo!

Recordo que podem ver todas as fotografias nas redes sociais, mas ultimamente também tenho feito algumas publicações no instastories, por isso e se não querem perder nada, comecem já a seguir o blog no Instagram (@pequenabonecadetrapos).

E por ai, quais são os vossos planos para esta semana?
AH!!! Lembrar-se de eu ter falado que este vestido ainda ia ser falado? Esta semana vamos ter um post com o meu look no casamento do meu primo com esse mesmo vestido, fiquem atentos!


Acompanhem também as novidades no Twitter e no Google +

domingo, 7 de outubro de 2018

Guest Post: A piscina… (dava um filme)

Olá, sou Alberto Flores , e comecei neste mundo de partilha e conhecimento/blogs no ano de 2004...
Mesmo com esta "avançada idade" fiquei emocionado com o convite da Teresa, para um Guest Post.
Espero que gostem e sejam bem vindos ao meu blog.
Não sei como nem por onde iniciar este texto, mas sei que até o finalizar vou ter que arranjar um título.
… se calhar dava um filme.  

Foi naquela piscina que os meus filhos aprenderam há muitos anos atrás, a nadar. Foram muitos os sábados a levá-los ás aulas, vê-los a aprender e a evoluir numa modalidade saudável, necessária e óptima para o crescimento deles.
… alto, já temos um começo. 
Anos depois, foi no mesmo complexo desportivo que eu comecei a usar o ginásio (de início uma vez por semana) procurando algum bem estar físico, psíquico e mental, combatendo assim e em boa parte uma situação de desemprego, numa idade em que era “novo para a reforma e velho para o trabalho”.
  … e aqui até temos “pano para mangas” com imensas histórias por contar. 

Mais tarde foi nesse mesmo complexo desportivo/ piscina/ginásio, ou simplesmente ‘A piscina’ como eu e a maioria diz, numa tarde de sol maravilhoso de uma quinta-feira do mês de Maio, que a minha vida parou… e parou mesmo, no verdadeiro sentido da palavra, porque o meu coração (o tal músculo que está permanentemente em movimento) decidiu, sem aviso prévio, parar durante uns minutos (muito longos e eternos para quem tentava salvar-me). … uma PCR (paragem cardio-respiratória) é já de si uma grande/grave história, nem sempre com final feliz. Cinco meses mais tarde, regressei ‘à piscina’ onde continuei com a minha reabilitação, sempre acompanhado (e muito acarinhado) por excelentes profissionais, funcionários e colaboradores, que ajudaram e contribuíram para a minha boa condição física, ao ponto de conseguir participar, 4 anos depois, em três corridas (Dia do Pai, S. João e S. Silvestre).
… só esta oportunidade que me foi “concedida” já dá um filme. 

Mas a história, ou o filme, não acaba aqui, porque foi nessa mesma ‘piscina’ que mais recentemente, e já na minha fase Sex… sexagenário (risos) numa manhã de sábado e quando me preparava para mais uma aula de hidro, eu reencontrei alguém que não via nem sabia notícias há mais de trinta anos!
 ... e a história ainda vai no começo. 

Acho que ‘A piscina’ vai mesmo ficar para sempre tatuada na minha vida, uma vida cheia de histórias, momentos, pessoas, oportunidades e (re)começos.
… Agora é tempo de fazer e viver a nossa história.

A piscina… (dava um filme) … finalmente o título.

Muito obrigada Aflores pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

sábado, 6 de outubro de 2018

Tinha tudo para correr mal (5º Capítulo)

Tenho tido um feedback muito bom por parte dos meus leitores, e isso tem sido um fator motivador para continuar a escrever novos episódios todas as semanas.
Agora que a situação com o "amigo comprometido" parece estar resolvida, está na altura de seguir em frente, não acham?


Se ainda não leram...
1º Capítulo | 2º Capítulo | Capítulo | 4º Capítulo |

 "Finalmente encontrei um lugar para estacionar o carro, pelo espelho retrovisor vejo seis olhos brilhantes e cheios de esperança a fitarem-me. Estão tão ansiosos que eu desligue o carro para saírem do carro, que tenho vontade de fazer marcha atrás só para os assustar
Ah ah ah era tão giro!
À minha frente está um enorme pavilhão de exposições, uma enorme faixa anuncia o tema deste mês: "Feira dos Noivos".
Apetece-me fugir. A ideia de fazer marcha atrás é tão tentadora como o bolo foi para a Alice. Mas não o posso fazer. Tenho que enfrentar a realidade...
Se bem que eu preferia estar em fuga com o coelho branco!
Se fugisse agora os passageiros do banco traseiro vão atacar-me com os seus blocos de notas, e muito provavelmente com purpurinas. Pode não parecer assustador, mas já tentaram tirar purpurinas dos estofos do vosso carro? 
Olho para o banco do pendura e a Joana encolhe os ombros. Está redimida, e aposto que o maior medo dela é só ser atacada pelos blocos de notas, uma vez que o carro não é dela, não tem que se preocupar com as purpurinas.
"É uma coisa de gajas" foi o que disse a Ana no outro dia no café. Eu já deveria saber que não ia correr bem, mas aceitei e para não dizerem que sou má pessoa até me ofereci como motorista.
Desligo o motor. Enquanto eu e a Joana nos arrastamos tipo zombie, os passageiros do banco de trás estão tão animados como os miúdos dos anúncios de TV ao regresso às aulas.
- Vamos a isto! - Exclamou a Ana segurando os seus papéis. Se eu não soubesse que ela era advogada apostaria a minha fortuna em como ela ganhava a vida a organizar casamentos.
- A Ana tem razão! - Começou o Artur - Esta exposição é enorme, temos que começar já se não queremos passar aqui a noite!
- Devias ser o ultimo a opinar! - Atacou a Joana acendendo um cigarro - Era suposto isto ser uma cena de gajas!
- Faz todo o sentido! - Defendeu a Carlota - Por amor de Deus, ele percebe mais destas coisas que vocês as duas - Apontou para mim e para a Joana que trocamos olhares.
Fazia sentido! Nem nos atrevemos a refutar o irrefutável. 
Dito isto a Ana, o Artur e a Carlota marcharam para dentro do pavilhão deixando-me para trás com a Joana.
- Pareces mais mal disposta do que eu. O que é que se passa? - Perguntei abertamente.
- Não estou mal disposta, estou revoltada em silêncio!
- Eu sei que não foi simpático da parte da Ana, não nos dizer onde vínhamos, mas... 
Ela soltou uma gargalhada sonora, sei bem que não era por isso que ela estava aborrecida.
- Acreditas que vi o carro de dois dos meus clientes aqui no parque de estacionamento? Um deles esteve comigo ontem!
- E isso incomoda-te? 
- Nem um bocadinho... Mas fico incomodada por elas, ou melhor, fico incomodada por mim. Como é que querem que uma mulher acredite no amor ou numa relação quando a maioria dos meus clientes são homens casados ou comprometidos?
Desato a rir às gargalhadas, ela fita-me e desata a rir também.
- Estás a falar com a gaja que a semana passada foi tomar café com um homem comprometido. - Digo eu e desatamos a rir até às lágrimas. 
- Somos uma devassas!
- Oh, sejamos sinceras é mais fácil ser a outra - Acrescento entre gargalhadas - Pelo menos não lavávamos cuecas sujas!
Nova onda de gargalhadas antes de entrarmos no pavilhão em busca dos nossos soldadinhos de chumbo.
Ainda nos estávamos a rir e a limpar as lágrimas da cara quando no expositor mesmo à nossa frente o vejo, podia ser qualquer homem, mas era aquele que eu não contava ver (É sempre assim não é?!).
- Ei!!! - Exclamou a Joana ao ver a minha expressão. - Está tudo bem?
- Está ali o meu ex-marido!"

Parece que vamos ter muitas novidades... O que é que acham que a Eduarda vai fazer?

Acompanhem também as novidades no Instagram (@pequenabonecadetrapos) ou no Google+.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Uma tarde, nas escadas dos Guindais

Se me seguem pelas redes sociais devem ter percebido que na semana passada a BFF esteve por cá e que eu e ela decidimos ser turistas na nossa cidade. Por isso partimos à aventura e acabamos por percorrer as famosas Escadas do Guindais.


Toda a gente sabe que a cidade do Porto é conhecida pelas suas inúmeras ruas e ruelas, é sem dúvida uma das maiores característica medievais da cidade que sobreviveu até aos dias de hoje.
A cidade situa-se num declive, e foi construída a partir das Muralhas Fernandinas que iam da zona ribeirinha do rio Douro até as partes mais altas, nas regiões da Sé e da Vitória.
É por isso que na zona ribeirinha existem muitas escadas que acompanham as muralhas, estas escadas particularmente serviam como caminho de ronda da Muralha Fernandina do Porto, estabelecendo a ligação ente o convento de Santa Clara e o postigo da Areia da muralha, já junto ao rio Douro.
Falamos de 270m de escadas pitorescas que nos mostram construções e habitações antigas que se fundem com algumas casas mais recentes, e com a uma vista sobre o Douro e sobre a Ponte D. Luís.

Espero que tenham gostado deste passeio, já conheciam as escadas dos Guindais?
Para verem mais fotografias sobre este dia, não deixem de espreitar o álbum disponível na página do facebook do blog.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Hora da Póóóchete#107

No outro dia em conversa com a BFF, sobre um possível candidato aos seus afetos...
BFF: Eu nunca lhe disse que queria uma relação!
Eu: Tecnicamente disseste! Quando lhe disseste que querias conhecer melhor a pessoa e essas coisas...
BFF: Nunca disse especificamente "numa relação" por isso vou negar tudo até à morte! ATÉ À MORTE!!!! E tu como minha amiga devias negar também.
Eu: Sabes muito bem que perante qualquer outra pessoa eu vou negar até à morte, mas à tua frente tenho a obrigação de dizer, que estás a fazer figura de parva, porque não foi essa ideia que passaste e tu sabes bem!
BFF: Devíamos mesmo ter ido para direito, tínhamos sido boas advogadas!

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Continuamos a falar de perucas

É cada vez mais usual ver em vários sites e blogs pessoas a falarem de perucas e do quanto cada vez mais elas são bem recebidas um pouco por todo o mundo por questões estéticas.
Existem vários sites onde é possível encontrar perucas de boa qualidade a vários preços. Entre eles um dos mais famosos é o UniWigs e por lá encontramos perucas para todos os gostos, modelos e feitios.
Mas afinal além de serem giras e práticas o que é que nós sabemos sobre elas? Hoje vou tentar explicar alguns conceitos básicos sobre o tema.

O que é uma lace?
Lace é o nome que se dá às perucas normais que imitam na perfeição o crescimento normal do cabelo cujo aspeto tão natural que simula na perfeição o crescimento normal do cabelo.
A diferença entre estas perucas e as tradicionais está no facto de o acabamento ser feito numa tela onde os fios são costurados manualmente.
Por exemplo, para quem tem algumas falhas na parte da frente do cabelo, o ideal é apostar nas famosas lace front wigs.
Posso colocar uma lace wigs sozinha?
Uma das características deste tipo de peruca é que são fáceis de colocar, basta prender o cabelo natural, e depois ajustar o tamanho da peruca ao tamanho da cabeça e ajustar se necessário.

Qual é a diferença entre as  front lace wigs, full lace wigs, top lace wigs, e half wig?
A diferença entre estes tipos de peruca limita-se ao acabamento que cada uma leva. Na full lace a tela é em toda a touca, na front lace, a tela é na parte frontal da touca da peruca, e na top lace a tela está no topo da touca, podendo também eventualmente estar na parte frontal.




Sejam sintéticas ou de cabelo natural natural (human hair wigs), as perucas são, como já disse várias vezes uma boa opção não só para variar no look, mas também para esconder pequenos defeitos.

Já experimentaram? Gostavam?




Este texto foi pago ou patrocinado.

Inspirações para o Halloween (1ª Parte)

Chegou o mês do Halloween!!!
Ainda não foi este ano que tive a oportunidade de visitar os Estado Unidos da América, nesta data, por isso sobrevivi mais um ano aos putos loucos (cujos pais votaram no Trump) com ganas derivadas ao acesso açúcar.
E para celebrar decidi fazer uns quantos posts com ideias e sugestões só para que aqueles que por terras lusas celebram o Halloween se possam divertir.
Hoje vamos falar de decoração de Halloween:


1; 2; 3; 4;

5; 6; 7; 8;

9; 10; 11; 12
Espero que tenham gostado destas sugestões de decoração para o Halloween.
Contem-me tudo, já tem planos para o Halloween?

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

terça-feira, 2 de outubro de 2018

O que é preciso para adotar um animal de estimação?

No outro dia quando fiz aquele questionário aos meus leitores sobre os temas que eles gostariam de ver por aqui abordados, algumas pessoas disseram que gostariam que eu falasse mais um pouco da Becas e da Egas e sobre os cuidados que tenho com elas. Por isso hoje decidi fazer um post sobre todo o processo para adotar um animal.

Como a Egas foi encontrada na rua, não existe muito que eu possa dizer sobre o processo, mas no caso da Becas, que foi resgatada do canil municipal do Porto, existiu ainda alguma burocracia que teve de ser tratada.
Primeiramente tenho que relembrar que a decisão de adotar um animal acata muitas responsabilidades, primeiro e apesar de eu também defender que por muito pequena que a casa seja é sempre melhor que viver numa jaula, existem condições básicas que devem ter em conta: O animal vai ter um espaço dele? Tenho onde o passear todos os dias? Estou preparado para que nos primeiros tempos ele me estrague os móveis, os chinelos e outras coisas? Quero um cachorro ou um cão mais velho?

Respondidas estas questões, podem então ir a vários locais escolher o vosso animal. Existem não só inúmeras instituições que ficariam muito felizes de vos ajudar, e em alguns casos podem já ter a sorte de o vosso animal vir vacinado ou esterilizado, porém o ideal é não esperar que essas coisas estejam já disponíveis. Podem também ir à sociedade protetora dos animais ou ao canil. Acreditem que vão encontrar mais animais com alguma idade do que bebés, mas tudo depende daquilo que procuram por isso não descartem a hipótese de um ou outro. E no caso de não saberem se pretendem um macho ou fêmea, tenham em conta que tanto no caso dos cães como dos gatos a esterilização das fêmeas fica mais cara.

Depois de escolhido o vosso amigo de quatro patas, está na hora da burocracia. Nenhum animal sai do canil sem ser visto pelo veterinário, que além de confirmar se ele está saudável, lhe vai colocar o chip que fica registado em nome do titular.
O titular do animal é responsável por ele, e pode ser alterada com consentimento do próprio.
Depois disso, existem algumas coisas importantes que devem ser feitas:
- Dar um banho ao animal assim que ele chegar a casa;
- Garantir que ele tem ração e água e sabe onde os encontrar facilmente;
- Um lugar confortável para dormir;
- Um pequeno brinquedo para lhe fazer companhia (principalmente se for um bebé);
- Dar o desparasitante interno e externo (que será recomendado no veterinário do canil);
E se quiserem, por questões de segurança:
- Visitar um veterinário de confiança, para salvaguardar que está tudo bem e para agendar a toma de vacinas, bem como calcular qual será a melhor altura para a esterilização.

É também muito importante que nos primeiros dias se dirijam à junta de freguesia e façam o registo do vosso animal, isto vai garantir que em caso de queixas fique registado que ele é um animal de companhia, devidamente tratado e saudável.

Não me vou alongar mais, creio que falei dos pontos principais, porém se tiverem alguma dúvida, basta perguntar que se eu não souber irei informar-me para vos responder da melhor maneira.


segunda-feira, 1 de outubro de 2018

#Resumo da Semana nº39/2018

Foi uma semana em cheio, marcada por momentos intenso e memoráveis.
Primeiro na quarta-feira (como eu já tinha dito), foi o meu último de trabalho, fiquei contente por não ter chorado, porque detesto despedidas. De lá trago não só boas amizades como boas memórias. É incrível como várias pessoas, todas diferentes se podem dar bem e criar laços. Além disso, por lá também aprendi muitas coisas, e a maioria vai acompanhar-me para a vida.
Outro dos pontos altos da semana foi o facto de a BFF estar por cá e termos ido sair as duas (em breve temos um post sobre esse passeio), e termos colocado a conversa em dia. Faz-me sempre tão bem estar com ela. É bom ver que apesar de já não sermos as adolescentes que éramos quando nos conhecemos a amizade prevalece e mesmo apesar da distância conseguimos falar de tudo abertamente.
A semana destaca-se pela positiva, pois no passado sábado a Egas teve finalmente o aval da veterinária para tirar o funil, ou seja está finalmente cicatrizada. 
Esta nova semana também vai ser cheia de novidades, a começar pelo facto de eu ter que me dedicar a uma nova rotina e a acordar ainda mais cedo!
Legenda:
1. Facto da vida n62: Se ex fosse coisa boa, Deus não mandava amar o próximo!
2. Não quero ser má, mas acho que a parabólica está a conspirar alguma coisa... Será problema de sinal?
3. Finalmente mudei de telemóvel! Já posso atender chamadas sem ter medo que o telemóvel expluda!
4. Muito obrigada pelo miminho... Inesquecível, não pelo valor mas sim pelo gesto!
5. Nem todos os animais tem a mesma sorte da Becas e da Egas... E no post de hoje no blog (link na bio) apresento-vos uma dura realidade sobre o abandono!
6. Está oficialmente aberto o fim-de-semana!
7. Depois de começar não conseguia parar! Recomendo sem dúvida alguma!
8. Nada como ser turista na própria cidade

Recordo que podem ver todas as fotografias nas redes sociais, mas ultimamente também tenho feito algumas publicações no instastories, por isso e se não querem perder nada, comecem já a seguir o blog no Instagram (@pequenabonecadetrapos).

Acompanhem também as novidades no Twitter e no Google +

domingo, 30 de setembro de 2018

Guest Post: No meu tempo um blog era assim

Ana Filipa Oliveira. Este é o nome real por detrás d' A Mulher do 31.
Quase perto dos 40, vivo entre Portugal e a Alemanha há 9 anos... mas não estou só neste vai e vém. Tenho a companhia do meu marido e os nossos filhos... um rapaz de 12 anos (quase já homem) e uma menina de 2 anos.
Quando era pequena queria ser "lidista"... a minha profissão de sonho já tinha a ver com as letras: queria ler... ler muito... e ser paga por isso. Formei-me em Ciências da Comunicação, porque apaixonei-me pelo Jornalismo.
Hoje sou uma mulher dedicada à família e sempre com uma vontade imensa de partilhar as minhas ideias&co.
No próximo mês, mais em concreto no dia 23, faz 15 anos que criei o meu primeiro blog. Desde aí até a atualidade muito mudou, e sobretudo nos últimos anos. Queres fazer comigo uma viagem pela blogosfera? Vem daí.

Lá pelo anos 2003 ninguém pensava que aquela nova forma de comunicação disponibilizada de forma gratuita nalgumas plataformas, viria a ser o que é hoje. Nunca me passou pela cabeça poder ter como profissão: blogger. Mas hoje é uma realidade. Não para todos – que dá muito trabalho, mas é uma possibilidade à mão daqueles que são persistentes, apaixonados e criativos.

Objetivos Diferentes
Naquela altura via-se nos blogs um meio de publicar textos - que antes seriam apenas para guardar num caderno dentro de uma gaveta qualquer, ou divulgar uma opinião que de outra forma seria apenas partilhada entre amigos. Com o aparecimento desta ferramenta de comunicação de massas abriam-se novos horizontes. Podíamos chegar a mais pessoas de uma só vez.

Recordo-me bem de quando fui, em 2004, para Angola em missão de voluntariado, o quanto o blog foi meu amigo, pois poupava-me tempo e dinheiro. Bastava-me escrever textos num computador, os quais guardava numa disquete, com a qual de seguida ia a um cibercafé para passar para o backoffice do blog, e assim todos os meus familiares e amigos podiam acompanhar a minha (nossa, que fui acompanhada!) viagem através de um único post.
Este processo parece simples, mas por vezes acabava em frustração! Pois a ligação da internet era péssima, e muitas vezes o servidor do blog estava em baixo, ou ainda a disquete sofria subitamente de algum defeito. No entanto permitia-me poupar dinheiro, no uso do cibercafé, e tempo, pois não enviava um email a cada um, mas um único post para todos. (Se és deste tempo, deixa um comentário com a tua história! Vou gostar imensamente de ler.)
O primeiro blog que tive A Onde a Lua Anda
Hoje vê-se os blogs de outra forma, inclusive muitas pessoas criam um blog com o interesse primeiro de ganhar influência sobre os leitores e assim poderem ser pagos por isso. Longe vão os anos de se querer apenas comunicar. Nos primórdios seria quase impensável que uma marca viesse a patrocinar um blogger, no entanto atualmente muitas são as empresas que encontram vantagem em usar os blogs como meio de comunicação para o seus produtos e nome.

Mundo Competitivo
Se há 15 anos era difícil de encontrar outros bloggers, quando se encontrava e gostava, ficava-se fiel à leitura dos seus post e existia incentivo de parte a parte. Nos dias em que vivemos já não é bem assim. Movimentos como “blogagem colectiva” e outros do género promoviam temas comuns e relações entre bloggers. Possivelmente porque como era ainda um meio a florescer e muito era desconhecido, quem estava dentro dele, apoiava-se, sem interesse, até porque na época ninguém ganhava dinheiro, era mesmo e só apenas uma paixão.

Os nossos leitores eram sobretudo pessoas que conhecíamos: familiares, amigos e amigos dos amigos. Construir uma comunidade com milhares ou milhões de seguidores não era um objetivo primordial do blogger. Normalmente a comunidade reunia pessoas que gostavam ou de nós ou do que partilhávamos. Hoje, entre esses, existem os “caça passatempos”, que só estão interessados em ganhar algo que o blogger está a sortear, e os haters, aqueles seguidores que o fazem apenas pelo prazer de destilar ódio. O blogger passou a ter de saber lidar com uma realidade que ficava fora do cantinho acolhedor e familiar no espaço digital de antigamente.

Personalização e Dinamismo
E por referir os comentários... atualmente os comentários apresentam imagens dos avatares de quem dedica algum do seu tempo a acrescentar valor ao post com a sua opinião (por favor, deixem a vossa! Vamos apreciar muito o vosso carinho.), mas há 15 anos eram apenas letras: para o nome, para o email, para o site, para o comentário. Muito evoluíram os templates desde então!

Se hoje podes personalizar um template, naquela época era impensável. Atualmente podes deslocar colunas, widgets, etc. E isso é um avanço enorme, mais ainda quando no layout te é permitido colocar slides, vídeos, gifs, etc. Em 2003 a maioria dos blogs gratuitos eram uma espécie de folha de papel com duas a três colunas no máximo, em que a área maior dedicava-se ao post, no qual era muito difícil de introduzir imagens tanto fotos como vídeos, pois a internet era lenta e os servidores nem sempre estavam preparados. Além disso não se tinha acesso facilitado que se tem hoje à captação de imagem, nomeadamente através do telemóvel. O blog era, então, sobretudo palavras e pouco personalizado. Hoje ocupa a tela toda, telas grandes; há 15 anos eram bem mais pequenos em termos visuais, pois os tamanhos do écran de computador também tinham dimensões menores.

Para além das diferenças nas dimensões e divisão de espaço no layout, também existiam nas paletes de cores. No início da blogosfera o preto, o branco e as cores padrões tomavam conta do terreno. Aos poucos os blogs começaram a ter colunas de tons diferentes, com linhas de cores para além das básicas. Deixou-se apenas de ter disponíveis as cores sólidas, e passou-se a ter também padrões, e tonalidades personalizáveis. E o mais engraçado, é que entretanto o design tornou-se muito mais clean, e realmente o preto e o branco tem sido a cor mais escolhida pelos bloggers, não te parece?

Inúmeras Possibilidades
Muitos dos blogs de hoje possuem páginas fixas, nomeadamente para o “about”, “categorias” e “contactos”, o que é uma evolução em relação aos primeiros anos na blogosfera. Muito do que hoje é permitido nos blogs está relacionado de forma direta com o desenvolvimento da própria internet, quer no aspeto de ligação (rapidez e qualidade), como do que foi entretanto criado através dela. Por exemplo, quando criei o meu primeiro blog, e ao longo dos primeiros anos, para divulgar os post, eu usava o email. Fazia o que hoje seria ilegal: guardava os endereços de emails pessoais e de amigos (e de amigos dos amigos), e envia-lhes uma mensagem a indicar-lhes que existiam novidades no blog. Algo que hoje teria muito pouco efeito com a caixa de mensagens sempre entupida de mil e uma coisas, certo? Com a criação e popularização das redes sociais, e com a possibilidade de inserir ícones nos nossos layouts, permitiu-se que cada post fosse rapidamente partilhado em redes sociais como o Facebook ou o Twitter, bem como que a presença do blog nessas, fosse divulgada ao leitor do blog, com a distância de um clique.

Mais, se antes era difícil receber a sugestão de blogs, hoje existe diretórios bem conhecidos de todos como o Blogs Portugal, ou a própria sugestão das páginas do Facebook ou perfis no Instagram. E, saltando de avatar em avatar, também se descobre novos companheiros de  viagem pela blogosfera. Se os comentários no início eram sobretudo de pessoas que não eram bloggers, apenas leitores, hoje muitos dos comentadores são outros bloggers.

Lá pelos anos 2003/04 os blogs começaram a ser alvo de estudos académicos, pois reconheceu-se que iriam ter impacto no espaço público, por serem uma nova forma de comunicar: do privado para o público. Já não eram apenas os jornalistas que viam os seus textos publicados, ou escritores, mas começava-se a abrir um campo novo de possibilidades a qualquer pessoa. Mas será que alguém imaginava que iria dar no que é hoje? E como será, então, daqui a 15 anos? Estejamos todos cá para ver, que é bom sinal.


Muito obrigada Ana pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

sábado, 29 de setembro de 2018

Tinha tudo para correr mal (4º Capítulo)

Antes de mais tenho que agradecer a todos pelo incentivo que me tem dado para continuar esta história.
Estou a pensar fazer alguns posts onde vou explicar como é que os sete amigos se conheceram, o que acham da ideia? Gostaria de ver a história escrita no passado?


Se ainda não leram...
1º Capítulo | 2º Capítulo | Capítulo | 



"Cheguei ao café ainda com as calças nos joelhos por ter estado ajoelhada por baixo da mesa do café. Pelo menos tinha conseguido dar um jeito ao cabelo e já não parecia um ouriço mal disposto. Agora só parecia uma mulher mal disposta (nada de novo, não é?)
A Carlota e o Artur conversavam animadamente na esplanada habitual e fitaram-me com um misto de curiosidade e choque.
- O que é que te aconteceu? - Perguntou o Artur assim que me aproximei da mesa.
- Acredita que nem te passa pela cabeça, as voltas que dei hoje. - Respondi sentando-me.
- Andaste a arrumar a casa? - Questionou a Carlota com um sorriso malandro.
- Não propriamente, mas andei a limpar algum pó... Literalmente - Achei melhor colocar o literalmente na frase não fosse a Carlota pensar que me aquilo era alguma metáfora ordinária. - Então Artur como é que correu o teu dia?
- Correu bem, comprei uns sapatos!
Os malditos sapatos!
- E mais nada?
- Não, mas a que é que se deve tanta simpatia? Nem parece teu.
Limitei-me a fazer uma careta e deixar a conversa morrer ali.
Morreu a conversa e a minha esperança de descobrir mais alguma coisa sobre o "meu amigo comprometido".
- Ei!!! Vistes da guerra? - Perguntou a Joana assim que se sentou na cadeira à minha frente.
- A nossa menina anda cheia de mistérios. - Acrescentou o Artur levantando-se e despedindo-se de nós as três. Nem ele imagina o tamanho destes mistérios!
- O que é que andaste a fazer de joelhos minha menina? - Perguntou a Joana assim que o Artur se afastou.
- Hum vou dar duas pistas. - Disse eu com sarcasmo - Não foi sexo oral nem estive a rezar!
A Carlota não controlou a gargalhada, deixando a Joana ainda mais curiosa, por isso acabei por lhe resumir o meu encontro com o "amigo comprometido". O resumo foi fácil de fazer tendo em conta que passei o encontro todo escondida por baixo da mesa, com o Artur a tagarelar.
E se por um lado a Joana se ria a bandeiras despregadas, a Carlota fitava-me com uma expressão que variava entre a incredulidade e o divertido, passando por vezes pelo choque. Mas não sei bem!
- Não faças essa cara. - Pedi-lhe.
- Mas e depois do beijo o que é que aconteceu? - Perguntou a Joana ainda a rir.
É óbvio que a minha história é divertida... Pelo menos apara alguém. Ao menos isso!
- Meti-me no carro e vim embora!
- Assim, sem mais nem menos? - Perguntou a Carlota arregalando os olhos.
Olha aqui a sua expressão de choque. Outra vez! Até parece que eu cometi um crime.
- Claro que não, aproveitei para mandar um vasinho para decorar a casa que ele tem com a namorada!
- Oh não era isso que eu queria dizer! Mas nem lhe ofereceste boleia nem nada? - Continuou a Carlota.
Não sei onde é que ela vai buscar estas coisas, mas é um dom natural.
- Ia ser giro dar-lhe boleia até casa e ver como é que ele ia explicar isso, caso a namorada o visse sair do carro. - Brinquei.
- Podia sempre dizer que eras da Uber! - Gozou a Joana.
- O carro da Eduarda não dava a a Uber! - Exclamou a Carlota numa óbvia critica ao meu carro velhinho - O carro da Joana é que dava para a Uber - Agora referia-se ao bruto Volvo que a Joana tinha. Foi mesmo que comprar o Bucha ao Estica!
- Sabes, nem toda a gente é acompanhante de luxo! - Respondi eu, depois fitei a Joana que estava a divertir-se com a situação e acrescentei. - Sem ofensa!
- Não ofendeste!
- Mas quando é que o vais voltar a ver?
- Eu sei lá...
- Quando ele e a namorada terminarem as mudanças. - Brincou a Joana fazendo-me rir.
- Então o que é que vais fazer agora?
- Hum... Fumar um cigarro e tomar o meu café? - Perguntei com sarcasmo.
- Tu percebeste...
- Não há muito que possa fazer pois não? Por isso, como em tudo na vida, nem me vou chatear com o assunto. - Encosto-me à cadeira e relaxo.
- Bem, vou embora, tenho um cliente daqui por uma hora e ainda tenho que arranjar. - Disse a Joana levantando-se depois fitou-me e acrescentou. - Sabes como é, ele é casado, mas felizmente não corro o risco de me cruzar com a mulher dele... Ela mora em Coimbra e ele está cá em negócios.
Tive que me rir, enquanto a Carlota soltava uma exclamação admirada.
- Admiro a normalidade com que ela fala do seu trabalho... Quer dizer ela fala dos seus clientes com a mesma facilidade com que eu registo um saco de batatas!"

Espero que tenham deste novo capítulo. Fico à espera do vosso feedback.

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)
loading...