Bodycon Dresses, como usar em qualquer altura?

Não existem motivos para não usar esta tendência!

Como manter o estilo nos dias frios?

3 camisolas bem quentes e com muito estilo.

Mudar de visual nunca foi tão fácil!

As perucas são cada vez uma boa opção para mudar de visual e apostar em looks mais arrojados.

Como sobreviver ao frio com estilo?

Vestir por camadas é a melhor opção, para nunca ter nem muito frio nem muito calor.

Elas vieram para ficar

As perucas estão ai e vieram para ficar

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

#Resumo da Semana nº03/2019

E foi assim que, de um momento para o outro eu cheguei aos trinta anos. Confesso que nunca tinha imaginado como estaria nesta fase da minha vida, mas confesso que tendo em conta tudo o que me aconteceu, até estou melhor do que seria de esperar. Cheguei aos 30 anos com rugas e peso a mais, mas cheguei mais confiante e orgulhosa de mim, e acho que psicologicamente isso é mais importante porque vai definir a minha personalidade ao longo dos próximo anos.
Legenda:

1. Só não se mete dentro da minha mala porque não cabe!
2. Costelinhas de porco estufadas com legumes. Alguém quer a receita no blog?
3. Não sei se deva ter medo...
4. Se um dia quiserem ter uma perspetiva de cidade de Lisboa e do Tejo, visitem o Castelo de São Jorge... Acreditem vale a pena, e se mesmo assim não vos convenci, talvez o post de hoje no blog (link na bio) vos faça mudar de ideias!
5. Acreditam que este globo já tem quase oito anos?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

Azul ou vermelho?

Dizem que aquilo que é bom acaba depressa, mas nem sempre isso se aplica, e hoje venho trazer a prova viva disso.
Tenho falado muito de vestidos, mas o vestido perfeito não é só uma questão de cor, modelo e feitio. Existe um fator decisivo na hora de escolher um vestido, e esse fator é o preço.
Claro que os conceitos de caro e barato são relativos de pessoa para pessoa, mas sejamos sinceros, cerca de 45€ num vestido de gala ou festa, não é nada de mais nos dias que correm (pessoalmente já vi preços muito mais assustadores).
E onde é que eu encontrei estes preços? Pois bem, apresento-vos a Ever Pretty (www.ever-pretty.com), uma loja online repleta de vestidos para todos os gostos, e carteiras.

Tirando o preto (porque de preto nem eu nem ninguém se compromete), as cores mais usuais de se utilizarem em vestidos de noite são o azul e o vermelho, mas será que estamos a pensar bem na hora de usarmos um vestido azul ou um vestido vermelho.
Nesta caso caso estamos de falar de cores que são completamente diferentes e que socialmente tem impactos diferentes. O vermelho é uma cor ardente e apaixonada, o azul é uma cor que transmite paz e serenidade... Qual é a imagem que, procuram quando usam um vestido?

Confesso que adoro vestidos neste tom de azul, pessoalmente não sei se seria uma cor que me fosse favorecer, mas adoro ver. Os sapphire blue evening dress transmitem-me uma sensação de coerência em qualquer look, porque esta é uma cor que só por si chama a atenção, mas mesmo assim não deixa de ser elegante. Provavelmente só uma mulher muito confiante usaria de forma ousada um vestido destes sem parecer ridícula, pois é preciso ter muita postura para usar um modelo desta cor, sem o fazer perder a beleza.
https://www.ever-pretty.com/us/halter-neck-evening-dress-with-sweetheart-neckline-ep08487.htmlhttps://www.ever-pretty.com/us/love-sparkles-sexy-v-neck-long-sequins-evening-dress-ep07109.html
Os  sexy red evening dress apesar de parecerem óbvios, são sempre a escolha ideal para uma mulher que quer transmitir sensualidade. O vermelho está sempre associado à sensualidade por isso, além de um vestido preto, quase todas as mulheres tem no armário um vestido vermelho (se vocês não tem, então aproveitem estes modelos baratos de que vos vou falar). Claro que o vermelho não é uma cor que fique bem a todas as mulheres, e muito menos é uma cor que qualquer mulher se sinta confortável a usar, mas o ideal é experimentarem e verem o resultado final.
https://www.ever-pretty.com/us/strapless-long-evening-dress-with-sweetheart-neckline-ep08864.htmlhttps://www.ever-pretty.com/us/one-shoulder-evening-dress-ep09816.htmlhttps://www.ever-pretty.com/us/sexy-high-collar-velvet-evening-gown-ep07180.html

Claro que, tal como digo sempre, é imperativo ter bom gosto na hora de comprar e usar um vestido. Não por estar na moda que determinada cor ou modelo é ideal para vocês. O ideal é vestirem algo com que se sintam bem física e psicologicamente. Lembrem-se, a roupa deve ser uma segunda pele e nunca o contrário.

Espero que tenham gostado destas minhas sugestões.
E vocês preferem a coerência dos vestidos azuis, ou a sensualidade dos vermelhos?


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

domingo, 20 de janeiro de 2019

Amanhã vou estar oficialmente nos 30!

Eu bem sei que dá azar celebrar o aniversário antes, mas vou aproveitar que o fim de semana vai ser prolongado para fazer algumas coisas que tenho pendentes e claro, entrar nos 30 com calma, isto porque não estou a aceitar muito bem que já vou fazer 30 anos amanhã.
Confesso que já começo a ver rugas, a sentir que deixei algumas coisas por fazer porque pensava que ia ter tempo, mas também sei que esta nova fase vai trazer muitas coisas novas, diferentes e que podem ser boas.
Também tinha pensado em fazer uma grande festa com os amigos e família, mas com a aproximação da data percebi que não me apetece celebrar o facto de me ter tornado trintona.

Quanto à minha lista de 30 coisas para fazer antes dos trinta... Bem, apesar de alguns objetivos serem surreais a verdade é que nem me sai nada mal...

1. Ver um casal amigo ter um filho(a).
2. Comprar carro.
3. Ter um emprego que me orgulhe.
4. Casar-me.
5. Saber estar sozinha.
6. Viajar sozinha.
7. Chegar aos trinta com um corpo elegante.
8. Organizar as minhas finanças.
9. Ter um "one nigth stand".
10. Fazer algo proibido.
11. Viajar para fora de Portugal.
12. Tirar a virgindade a  um rapaz (se é que ainda existem virgens maiores de idade)
13. Cantar num Karaoke sem vergonha.
14. Ajudar algo ou alguém.
15. Dar um presente caro a mim mesma.
16. Atirar e partir qualquer coisa num ato de raiva.
17. Levar os meus pais a jantar fora e pagar a conta.
18. Passar uma noite num hotel só para relaxar e dormir.
19. Perdoar alguém.
20. Ir a um concerto.
21. Aparecer na TV.
22. Plantar uma planta.
23. Enfrentar um medo.
24. Deixar de esperar a aprovação dos outros.
25. Fazer o test drive de um carro que eu adore, mas que não posso comprar.
26. Desistir do eu trabalho, para trabalhar naquilo que realmente gosto.
27. Escrever um novo livro.
28. Mudar a vida de alguém.
29. Ensinar algo a alguém.
30. Fazer algo e arrepender-me depois.

Vou tentar habituar-me à ideia que tenho 30 anos, volto na terça-feira com mais um Resumo da Semana.

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sábado, 19 de janeiro de 2019

Tinha tudo para correr mal (19º Capítulo)

Tal como prometido hoje vão ficar a saber como é que a Eduarda e Ana se conheceram, estão curiosos?
Espero que estejam a gostar da história, e estejam curiosos com que vai acontecer a seguir, até porque ando aqui a pensar em algumas reviravoltas, por isso deixo já uma dica, estejam atentos à entrelinhas.


"Apesar de atualmente nos darmos todos muito bem a verdade é que durante anos eu e a Ana éramos uma espécie de arqui-inimigas, não que tivéssemos motivos para tal, simplesmente não gostávamos uma da outra. De qualquer forma eu e ela já estudávamos juntas na mesma turma à mais de cinco anos quando a ironia do destino nos uniu.  

Algures em 2004

Sentei-me a fumar o meu cigarro num dos bancos da escola enquanto esperava pelo Artur, não conseguia acreditar no azar que tinha tido quando o professor de sociologia escolheu a Ana para meu par no trabalho final. 
Quer dizer até compreendo, o trabalho é sobre as diferenças, e sobre compreender e conhecer melhor os outros, por isso ele teve o genial cuidado de agrupar os elementos que são mais diferentes entre si, mas a Ana... Quer dizer, eu sou banana no meio das maças, podia fazer este trabalho com qualquer outra pessoa, mas ele escolheu a Ana!
- Desculpa incomodar... - Disse a Ana aproximando-se de mim já abanando os braços para afastar o fumo do cigarro. - Sei que não somos as melhores amigas, aliás nunca nos demos bem, mas ambas precisamos desta nota para a média final, por isso vamos fazer um esforço.
- Na boa! - Respondo, ainda estou a tentar acreditar que estou a ter um sonho muito esquisito ou uma alucinação muito fora do comum. - Preciso desta nota para entrar na faculdade, por isso acredita que não tenho interesse em em te sabotar.
- Boa! - Disse ela abanado a cabeça cheia de cabelos loiros bem penteados. - Vamos aproveitar que ainda não temos testes, para adiantar o trabalho, o que me dizes de logo à tarde passares por minha casa, e começarmos a adiantar as coisas?
- Sim, pode ser... - Respondo. 
Isto está mesmo a acontecer não está?

Nessa tarde

OK, isto é pior do que eu pensava, estou à porta de uma casa estupidamente grande e luxuosa. Além de ser beta é também rica, vejam bem, um mal nunca vem só. 
Algum tempo depois de tocar à campainha, eis que a porta se abre e para minha surpresa, não é a Barbie que me abre a porta, mas sim uma versão assustadora de olhos inchados, lágrimas no rosto e cabelo preso no topo da cabeça.
- Desculpa, entra... - Disse ela tentando disfarçar. 
Confesso que tentei ignorar, não me queria meter na vida dela, mas quando a vi sem aquele brilho habitual, tão humana e menos protótipo de boneca fiquei verdadeiramente com pena.
- Hum... Hum... Quer dizer... Hum... Estás bem? 
- Sim. - Respondeu ela.
- Suponho que seja então habitual estares nesse estado quando não estás em publico...
- Não, mas não é nada... - Disse ela sem me fitar.
- Olha que não me queiras contar é uma coisa, agora não insultes a minha inteligência ao dizeres que não é nada... Se quiseres podemos fazer o trabalho noutro dia, e vais falar com as tuas amigas a Nancy e a Stacy... Ou seja lá qual é o nome das amigas da Barbie.
- Não posso, elas não iam acreditar em mim...
- Então e um psicólogo... Tens pinta de quem recorre a um!
- Não ia servir de nada... - Choramingou ela. E pronto desatou a chorar. 
Senhoras e senhores, depois do sucesso da Barbie que fala, da Barbie sereia, da Barbie médica, eis que chegou a Barbie chorona!
- Hum... Bem... Hum... - Não queria nada fazer isto, mas cá vai. - Posso ajudar?
- Bem, amanhã quem já não sabe vai saber. - Disse ela agarrando-me pela mão e arrastando-me para o quarto dela, que surpresa das surpresas não era cor-de-rosa! Era apenas roxo! - Como sabes o Nelson, o meu namorado está em casa adoentado, e ontem à noite fui levar-lhe alguns apontamentos para ele estudar. Hoje ele andou a espalhar na escola que eu fui lá para termos relações sexuais e está a inventar muita coisa detalhada que não aconteceu.
- E não aconteceu?!
- Não! Eu ainda sou virgem! E não queria este tipo de boatos à minha volta... Sei que não passo essa imagem, mas é tudo fachada... - Chorou ela, estranhamente não só acreditei nela, como me identifiquei com ela.
- Acho que tenho um plano para resolver essa situação. - Sorri para ela quando me fitou com os olhos cheios de esperança, pedi que me contasse detalhadamente os boatos.
- Qual é o teu plano?

Dia seguinte

É incrível como um boato voa numa escola, é ainda mais incrível como outro boato voa ainda mais.
- Edu, já sabes o que andam a dizer sobre a Ana? - Perguntou o Artur.
- Qual das partes? - Pergunto com um sorriso.
- Então acho que a Ana foi para a cama o Nelson, mas alguém ouviu a Ana a comentar na casa de banho que ele tipo... Não levantou, estás a ver? Que ele é impotente!
Faço uma cara de choque, como se estivesse verdadeiramente surpreendida. 
- Não me admira! Quem fala muito acerta pouco! - Exclamei rindo, ao longe toda a gente comentava e se ria à passagem do Nelson.

Alguns dias depois, dia da apresentação do trabalho

- Ao longo da história, é usual vermos várias culturas e sociedades unirem esforços pelo um bem maior. A verdade é que normalmente as pessoas diferentes se completam e por isso essas uniões resultam bem. - Explico eu já a em forma de resumo.
- Eu e a Eduarda não tínhamos mesmo nada em comum... Ou pelo menos era o que ambas pensávamos até descobrirmos que ambas somos muito boas a criar verdadeiras histórias! - Rematou a Ana rindo.

Atualidade

E foi assim que o Nelson nunca mais (pelo menos daquele ano e no seguinte) recuperou a sua imagem de macho alfa, e que eu e a Ana nos tornamos amigas. 
E ainda dizem que não se aprende nada na escola."

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

Playlist do mês de janeiro (1ªParte)

Como está a correr este primeiro mês de 2019? Muita música?
Por aqui continuamos a dedicar algumas horas a ouvir rádio e a recordar as músicas dos velhos tempos:

1. Dido - Let Us Move On ft. Kendrick Lamar
2. The Calling - Wherever You Will Go
3. System Of A Down - Toxicity
4. Blue - Curtain Falls
A "curtain falls" é daquelas músicas que sempre que ouço me causa pequenos arrepios... A verdade é que além de eu gostar muito dela, ela me lembra uma fase da minha vida muito especial.

5. Placebo - Every You Every Me
6. Rascal Flatts - What Hurts The Most
7. Alanis Morissette - You Oughta Know 
E cada vez mais esta música da Alanis Morissette faz sentido para mim... Por vários motivos.

8. Gabrielle - Out Of Reach
9. S Club 7 - Natural
10. Sugababes - Too Lost In You
11. Disturbed - Down With The Sickness
12. Anouk - Nobody's Wife
13. Korn - System
No outro sem motivo aparente lembrei-me desta música e desde então não tenho parado de a ouvir.

14. Christina Aguilera, Lil' Kim, Mya, Pink - Lady Marmalade
15. The Cardigans - Erase / Rewind
16. Remy Zero - Save Me
17. JoJo - Leave (Get Out)
18. The Prodigy - Spitfire
19. Bryan Adams - When You're Gone ft. Melanie C

E vocês, qual é a música que tem marcado dos vossos dia?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Hora da Póóóchete #122

Como é ser eu e viver em sociedade?
Pessoa: És sempre assim tão irónica e sarcástica?
Eu: Não! Geralmente depende do grau de estupidez da pessoa com quem estou a falar!

Sinceramente não sei como é que ainda não me trancaram a sete chaves, para que eu não viva em sociedade com outras pessoas!

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Já a pensar na próxima estação...

Sabem aquela expressão "chegou tarde, mas chegou"? Pois bem acho que se aplica às mil maravilhas a este inverno.
Já andava toda a gente a dizer que o natal ia ser passado na praia e eis que bastou tirar as decorações de natal para que o frio viesse e não visse a hora de ir embora.
A verdade é que estes dias frios fazem-me sonhar com aqueles primeiros dias de primavera, em que o sol é mais brilhante, os dias são um pouco maiores, e aos poucos a espessura das roupas que usamos vai diminuindo.
A pensar nesses dias tão bonitos e agradáveis passei pela loja Luvyle e vi algumas peças que são perfeitas para esses tão desejados dias:
https://www.luvyle.com/high-neck-plain-bell-sleeve-blouses-p-47016.htmlhttps://www.luvyle.com/v-neck-zipper-patchwork-plain-blouses-p-33450.html
Como vocês sabem eu adoro usar blusas e camisas, gosto da elegância que elas transmitem a qualquer look, mesmo que ele seja combinado com calças de ganga, botas ou até sapatilhas. As cheap blouses online, para mim são uma peça obrigatória no guarda-roupa e não as dispenso no dia-a-dia.
https://www.luvyle.com/off-shoulder-gingham-blouses-p-46284.htmlhttps://www.luvyle.com/off-shoulder-gingham-blouses-p-46284.html
Claro que no fim de semana e nas férias procuro visuais mais relaxados e descontraídos, por isso também gosto de ter à mão uma ou duas sweaters. As sweaters for women, são outra peça obrigatória, seja para um dia passado em casa, um passeio a pé com os amigos, ou até mesmo para um convívio em família. Lembrem-se que cada vez mais existem modelos de sweaters, o que permite transformar esta peça em algo mais que uma camisola para andar prática e relaxada.

E vocês, como é que gostam de conjugar as blusas e a sweaters?




Este texto foi pago ou patrocinado.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

7 dicas para cuidar dos lábios

Os lábios são muito sensíveis, contudo são áreas que recebem poucos cuidados e atenções.
Se analisarmos bem, os lábios estão sempre expostos ao clima. É perfeitamente normal que por vezes eles estejam ressecados, rachados, feridos ou até mesmo com problemas cutâneos característicos desta área.

Para minimizar essas situações é importante ter em atenção:

1. Beber muita água
A hidratação começa de dentro para fora, por isso o recomendado é beber 2 a 3 litros de líquidos, entre eles chás e sumos claros, e claro, água.

2. Protejam-se dos climas extremos
A falta de humidade em climas extremos é um dos maiores responsáveis pela perda de hidratação. Mantenham os lábios protegidos com bálsamos, vaselina ou geleias reais.

3. Optem por batons com agentes de hidratação

4. Não humedeçam os lábios com saliva
No caso dos lábios ressequidos é quase instintivo levar aos lábios, porém este é um erro muito grande, isto porque a saliva tem um pH ácido o que causa ainda mais feridas.

5. Não arranquem as peles
Tal como acontece com a saliva, arrancar as peles além de causar mais feridas pode também causar infeções.

6. Evitem tomar bango e/ou lavar a cara com água muito fria

7. Apostem na vitamina E
A vitamina E é muito importantes para os lábios pois ajuda a fortalecer os tecidos e a circulação.

E vocês, como é que cuidam dos vossos lábios?


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Uma manhã no Castelo de São Jorge

Se bem se lembram, o mês passado fui passar um fim de semana a Lisboa com umas amigas, e eu tinha prometido que vos ia contar tudo sobre os locais que visitei.
Além de ter visita do Wonderland, o Bairro Alto e passeado um pouco pela cidade tive ainda tempo para visitar o Castelo de São Jorge antes de regressar ao Porto.

Localizado na freguesia de Santa Maria Maior (concelho de Lisboa), o Castelo de São Jorge sofreu várias remodelações ao longo dos anos, por isso e ao contrário daquilo que a maioria das pessoas podem pensar, o "caráter medieval" deste conjunto militar deve-se a uma campanha de reconstrução, e não à preservação do espaço do castelo desde a Idade Média até aos nossos dias.
Este castelo ergue-se numa das colinas mais altas da nossa capital, e para quem não sabe, a presença humana na área leva-nos até à Idade do Ferro. Contudo só a partir de 139 a.C. é que esta fortaleza serviu como base das operações do Cônsul Décimo Júnio Bruto, contra os núcleos de Lusitanos dispersos após o assassinato de seu líder, Viriato, por esse motivo, é que se coloca a hipótese de ter existido algum tipo de estrutura defensiva na altura. Posteriormente, em 60 a.C., tendo o então Júlio César concluído a conquista definitiva da Lusitânia, concedeu à povoação o título de Felicidade Júlia (Felicitas Julia), permitindo aos seus habitantes o privilégio da cidadania romana.
Já durante as reconquistas cristãs, o castelo foi conquistado inicialmente por Afonso II das Astúrias, em contraofensiva em 796, mas a sua conquista teve várias oscilações, pelo que só a partir do século XIII, quando se alcançou Lisboa, o castelo conheceu o seu apogeu.
Anos mais tarde surgiu uma lenda que reza que o cavaleiro Martim Moniz, que se destacara durante o cerco de três meses a Lisboa, ao perceber que uma das portas do castelo estava entreaberta, sacrificou a própria vida ao interpor o próprio corpo no vão, impedindo o seu encerramento pelos mouros e permitindo o acesso e a vitória dos companheiros.
Classificado como Monumento Nacional por Decreto de 16 de junho de 1910, sofreu importantes intervenções de restauro na década de 1940 e no final da década de 1990, que tiveram o mérito de reabilitar o monumento, recuperando-lhe as características medievais.
Para quem ainda não visitou posso ainda acrescentar que este monumento oferece ainda os jardins e miradouros (com destaque para a Praça de Armas com a estátua de D. Afonso Henriques), o castelo, a cidadela e a esplanada, uma câmara escura (Torre de Ulisses, antiga Torre do Tombo), espaço de exposições, sala de reuniões/receções (Casa do Governador) e loja temática aos seus visitantes.

Já tiveram a oportunidade de visitar o castelo de São Jorge?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Qual é a cor ideal para um vestido?

Prom Dresses 2019 UK
Vestidos...
Muita coisa se pode dizer sobre vestidos...
Mas afinal o que é que relevante dizer? Basicamente nada, todas as mulheres (todas é um exagero, mas aquela maioria de mulheres que tem bom senso) sabem como usar um vestido sem fazerem uma figura ridícula.

A questão que se coloca é: que cores, posso e devo usar?
Existem várias ciências sobre as cores que uma mulher deve usar, mas etiquetas e dress code à parte, a verdade é que cada uma deve usar a cor que mais realce o tom de pele e vice-versa. O ideal é criar um casamento perfeito entre a nossa pele e o vestido.
O segredo está em abrir o leque de escolhas, e para isso desafio-vos a visitar o site da MillyBridal e tirarem as vossas próprias conclusões.
1; 2; 3;
Mas ainda restam dúvidas?
Se ainda restam dúvidas, então o ideal é, apostaram em vestidos azuis (blue prom dresses). Mas calma, não é um azul qualquer. Segundo um artigo que li recentemente o azul-turquesa é a cor ideal para qualquer tipo de pele, pelo que em caso de dúvida esta é a melhor solução.
4; 5; 6
E eu?
Pessoalmente gosto de vestidos pretos (outra cor que quase nunca falha), mas se pretender algum destaque e se tal for possível gosto de vestidos vermelhos (red prom dresses). Claro que esta é uma cor que não favorece todas as pessoas, mas esta é uma das cores mais femininas e elegantes que conheço, não concordam?

E vocês, qual é a cor que vos fica melhor?


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

20 inspirações para tatuagens

Devo confessar que não sou a maior fã de tatuagens. Pessoalmente não gosto de ver aquelas tatuagens enormes e cheias de cor, e também não gosto muito de ver corpos cobertos de tatuagens.
Porém, e porque toda a regra tem a sua exeção, acho que aquelas tatuagens pequeninas a preto e branco são bonitas e super femininas quando são bem feitas e se feitas nos lugares certos.
1; 2; 3; 4; 5; 6; 7; 8; 9; 10; 11;
Sou apologista que devemos tatuar algo que tenha significado permanente para nós, seja um lema, seja um nome ou imagem, devemos sempre ter em conta que ela nos vai acompanhar para sempre.
12; 13; 14; 15; 16; 17; 18; 19; 20
E porque vivemos numa sociedade que ainda penaliza as tatuagens, além de pequenas optem por as fazer numa parte do corpo onde seja fácil esconder a tatuagem se assim for necessário.

Gostaram das inspirações? Já fizeram alguma tatuagem?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

#Resumo da Semana nº02/2019

A primeira semana completa de 2019 foi cheia de coisas boas, mas também passou a correr. Como sempre estive cheia de trabalho, mas ainda tive tempo para ir à festa de anos do meu primo, estar com os amigos e claro dedicar algum tempo a ler a relaxar.
Esta semana começa com mais uma festa de aniversário, janeiro é mesmo o mês das festas.
Para a próxima semana na segunda-feira não vamos ter publicações, mas o resumo da semana vai para o ar na terça-feira dia 22, por isso estejam atentos. Também vou tentar estar mais ativa nas redes sociais, porque esta semana pouco ou nada publiquei por lá.
Legenda:

1. Não gosto de conversas óbvias.
Não sei como é possível que nos dias que correm algumas mulheres ainda se sintam elogiadas com conversas banais... Como é possível que um homem ache que ao fim de 5 minutos de conversa dizer que a mulher é uma joia, lhe vai render alguma coisa?
Fiz uma Hora da Póóóchete no Ontem é só Memória (link na bio) a falar sobre isto.

2. "Hum como assim, já não há árvore de natal???"
3. "Vamos conversar Fernando. Queres lume?!"
Hoje no Ontem é só Memória, falamos um pouco deste poeta português, mais universal de sempre


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

domingo, 13 de janeiro de 2019

Guest Post: Recordar é viver!

"Antes agradeço à Teresa o convite e tendo o blog no nome “memória” porque não falar delas,  recuando à infância.

Fui criado pelos meus avós no campo.
Quando lá dormia, a rotina matinal era dar as “sopas” ao cão – café, leite e pão. Um pequeno almoço muito reforçado, que de pequeno não tinha nada.
Depois, dar o pasto aos coelhos, milho às galinhas e a meio da manhã, mal se ouvia os primeiros carcarejares, ir a correr com uma cesta aos esconderijos. Os ovos tinham de ser colhidos antes que as galinhas marotas os comessem. Lembro-me de se lhes cortar o bico e dar casca de ostra como prevenção.
 A apanha das couves era uma das coisas mais engraçadas de se fazer e de ouvir o “plic” das folhas a serem cortadas.
Para entreter, a avó destinou-me uma tira do quintal, o qual intitulou o “teu campo”. A minha missão seria cultivar aquele pedacinho. A variedade era naturalmente a que a minha avó plantava, foi ela quem deu as primeiras sementes. Essencialmente salsa, couves, favas e feijão. Até direito a uma mini-enxada tive. No entanto, marquei a diferença ao experimentar diferentes variedades de feijão, com pequenos feijoeiros que ia trazendo no “feijão ao peso” da feira de Espinho. O mais excentrico era o feijão-burro pela sua dimensão e altura com que cresce. E assim, comecei a vender-lhe e à minha mãe os produtos que de lá saíam. À distância, admiro a minha veia empreendedora
Na altura não havia playstation, muito menos telemovel ou tablets.
A vida era simples, feliz, despreocupada. Hoje as hortas urbanas (assim são chamadas) mais do que auto sustento, são encaradas como uma terapia para o stress.
Diz-se que recordar é viver!"



Muito obrigada Último pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sábado, 12 de janeiro de 2019

Tinha tudo para correr mal (18º Capítulo)

Parece que está na hora de regressar à rotina. Voltamos aos episódios "normais" de Tinha Tudo Para Correr Mal, e aproveito para vos perguntar se querem um capitulo especial a contar como é que a Eduarda conheceu a Ana?
Espero que gostem, já sabem que estou à espera do vosso feedback.




"Arrisco-me a dizer que existe uma lei universal, que obriga todas as pessoas a fazer resoluções de ano novo no inicio de cada ano novo. Depois existe a clausula A dessa mesma lei, que dita que "este ano vou ser fit". 
- Já não aguento mais! - Queixou-se a Carlota assim que paramos a nossa corrida no parque.
- Eu também, por hoje já chega! - Concordo enquanto me preparo para fazer alongamentos.
- Eu e o Ivo vamos dar mais uma volta, alguém quer vir? - Perguntou a Ana fazendo aquela coisa estúpida que é correr sem sair do sitio.
- Eu também vou. - Disse o Rodrigo arrancando com eles.
- Não sei o que é que eles tomam ao pequeno-almoço, mas que funciona, funciona! - Brincou a Joana.
- Eu só sei que não nasci para isto. O meu exercício ideal é subir e descer escadas... - Digo enquanto estico os braços e os sinto a estalar.
- Desde quando? - Pergunta o Artur surpreendido.
- Desde que inventaram as escadas rolantes. - Respondo rindo.
- Por falar em escadas rolantes! - Disse a Carlota quase gritando. - Alguém leu o texto da Agente desta semana?
- Da quê? - Perguntou a Joana confusa.
- A Agente é uma fulana que escreve crónicas semanais numa revista feminina, e pelos vistos tem muitos fãs por ser tão... - Explicava o Artur.
- Direta! - Terminou a Carlota. - Ela é simplesmente genial, tem as ideias bem definidas e não tem medo de falar sobre isso. Esta semana ela falou do perigo das escadas rolantes e das crianças... Basicamente disse que os encarregado de educação que deixam os miúdos se sentarem nas escadas são umas bestas...
- Acho que não foi bem esse o termo que ela usou... - Rematei.
- Pois não, ela dá aquelas chapadas de luva de pelica que lhe ficam tão bem! Eu adoro-a! Quando for grande quero ser como ela!
- Como é que queres ser como uma pessoa que não conheces? - Perguntei admirada com aquele estranho fascínio que a Carlota sentia pela Agente. 
- Ela não tem medo de dizer o que sente, ela arrisca, ela fala de situações que conhece e viveu, é por isso que as pessoas gostam tanto dela e se identificam com ela. Ela fala dos seus medos, da sua realidade, mas também dá a sua opinião.
- E contudo, ninguém sabe quem ela é... - Disse a Joana. - Até pode ser um gajo a escrever tretas para gajas...
Serei a única a achar esta conversa completamente surreal? 
- Claro que pode ser, mas não acredito. Existe algo que a torna real, apesar de ninguém saber quem ela é.... Mas percam cinco minutos do vosso dia e leiam os textos dela. - Aconselhou a Carlota.
- Confesso que já li alguns e gostei. - Disse o Artur bebendo água. - A Agente é realmente uma personagem carismática.
- Agora fiquei curiosa! - Afirmou a Joana.
- A sério que vocês não tem mais nada para fazer do que se dedicar a essas coisas? - Pergunto aborrecida com a conversa.
- Não sejas assim, eu sinceramente até te acho muito parecida com a Agente, contudo ela não é tão descrente das coisas como tu!
Fantástico sempre desejei ser comparada a uma personagem fictícia de uma revista feminina! Depois disto, os quilos que engordei no natal parecem insignificantes.
- Sabes o que é que ela vai fazer este ano? Ela desafiou-se a conhecer um homem de cada signo ao longo do ano todo. E depois provar se existem ou não diferenças entre os signos! - Disse a Carlota.
- Não precisava de fazer isso, bastava ter perguntado. - Brincou a Joana acendendo um cigarro.
Realmente, que coisa estúpida, quem é que vai testar a diferença entre os homens dos vários signos, quando existem várias acompanhantes de luxo de confiança que o podem comprovar? 
- Realmente, bem que podias escrever um livro! - Brinquei. - Bem vou embora, por hoje chega! Se eu queimar todas as calorias hoje amanhã já não tenho motivação para voltar.
- Eu também, aliás vou comer umas bolachas assim que chegar a casa, pelo menos fico com remorsos e volto amanhã. - Disse o Artur sorrindo."

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

TAG | C.A.V.M.E.

A Andreia do blog "As gavetas da minha casa encantada" desafiou-me o ano passado para responder a um desafio que achei muito original.
O desafio foi criado pela "Rosa Limão", e consiste em partilhar com os leitores uma história real, mas com algum embelezamento. Claro que depois, cabe aos leitores distinguir a realidade da ficção.
Regras:
- Não retirar a autoria do desafio e manter a explicação do mesmo.
- Especial cuidado ao guardar o gif. para que não seja quebrado.
- Terminar o desafio com a expressão: "Inacreditável não é? Eu sei."
- Passar no mínimo a 3 bloggers à escolha.

Esta é a minha história:
Foi no 10º ano que eu e a BFF nos conhecemos, e uma das coisas que nos uniu quase instantaneamente foi o nosso bom gosto por rapazes. E claro, todas as escolas tem o famoso "gajo bom", aquele tipo de rapaz que nos deixa estrábica só de olhar por ser tão giro e jeitoso.
Claro que a minha pessoa gosta de arriscar e esticar a corda, por isso durante as férias de natal arranjei o numero dele e quando as aulas começaram estávamos a trocar mensagens animadamente.
Claro que chegou o dia em que tive que começar a abrir o jogo, e então acabei por dizer que estudava na mesma escola que ele. Obviamente que depois disso ele quis saber qual era a minha turma, eu disse sem problema até porque lhe tinha dito que o meu nome era Isabel (e não era mentira).
Obviamente que não pensei em tudo, porque assim que contei à BFF ela disse "ele vai saber que és tu, não existe mais nenhuma rapariga na turma com Isabel no nome".
Comecei a hiperventilar e assim que aula acabou corri para o pavilhão onde estavam as pautas com as notas para confirmar se era ou não a única Isabel da turma. Claro que  BFF tinha razão.
Sai disparada pela porta, realmente eu via a BFF a gesticular mas confesso que pensei que ela estava a gozar comigo. Estava também alguém a entrar no pavilhão no momento em que estava a sair porque fui contra uma das pessoas. Então nesse momento gritei "eu sou a única Isabel".
Vejo a BFF ficar roxa, azul, verde... Pergunto-lhe o que se passa e ela só tem tempo de me dizer que o rapaz com quem eu andava a falar tinha acabado de entrar e eu tinha ido contra ele.
Moral da história, ele ouviu tudo, pelo menos a situação foi tão hilariante que me poupou a vergonha de ter que explicar tudo.
Na altura acabamos por apenas nos rir do assunto, mas depois ainda fomos muito amigos... (se é que me entendem).

Agora os nomeados:

1. Marta Carvalho do blog "A marca da Marta"
2.  Mena Almeida do blog "Entre os meus dias"
3. Magui do blog "Este blog tem dias"


Quanto à história, talvez um dia conte toda a verdade sobre o que aconteceu naquele dia.

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Uma questão de vergonha

Confesso que quando escrevi o post "Uma questão de peso" não estava à espera receber tantas mensagens de apoio, e isso deixou-me feliz, pois também percebi que existem muitas pessoas a passar por situações idênticas. Esse apoio deu-me coragem para voltar a falar do assunto e responder a algumas perguntas que me foram colocadas. 

Desta vez não me vou focar na questão do peso, mas sim na vergonha que sentia dia após dia.
Inicialmente começou por ser doloroso sair e conhecer pessoas novas. Raramente saia de casa porque eu sabia que se fosse a algum lado as pessoas me iam julgar. Quando ia a um café com os amigos ou a algum evento via sempre alguém olhar-me com um olhar de critica.
A situação foi-se agravando, evitava comer em publico, optando muitas vezes por ir buscar comida a um drive ou mandando vir entregar em casa e nunca era eu que abria a porta, tinha medo de voltar a ouvir "a tipa gorda está a tentar manter a linha".
Se não ia comer a sítios com os quais não estava familiarizada ia sempre em horários de pouco movimento para me cruzar com o mínimo de pessoas possível. Eu, que adorava comer via agora na comida um ato solitário. Simplesmente tinha vergonha de comer.
O maior problema surgiu quando eu tive que enfrentar a realidade, tinha estado desempregada durante grande parte do meu aumento de peso, mas agora estava na hora de voltar ao trabalho. Tinha de trabalhar, mas tinha vergonha, não queria que as pessoas olhassem para mim e dissessem como muitas vezes ouvi "coitada! Que gorda!", ou então "ela até é bonita, pena ser tão gorda". Nunca vou esquecer estas frases.
O mais difícil foi aceitar que não conseguia ter prazer quando tinha relações sexuais. Evitava ter relações e quando o fazia era sempre vestida e de luz apagada. Tinha vergonha que o meu marido visse o meu corpo, e mesmo depois do divórcio foi complicado envolver-me com alguém. Não conseguia, tinha vergonha.

Estava bem no meio de um buraco negro do qual não conseguia sair, era uma dor tão grande ter vergonha e nojo do meu corpo que sair para caminhar era doloroso.
Só quando a medicação começou a fazer efeito e vi os primeiros quilos desaparecerem é que consegui reunir coragem para procurar um emprego, ir a restaurantes, conhecer pessoas e sair com rapazes, mas mesmo assim existem dias que me lembro dessa vergonha, ainda a sinto, mas sei que estou melhor, sei que aos poucos vou superar.

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

7 do momento... nº50

Nem acredito que cheguei às 50 edições desta rubrica. Dá para acreditar que ao longo de 4 anos vos dei 350 sugestões?
Acreditem que adoro esta rubrica apesar de para mim ela ser uma das mais complicadas de gerir, mas chegar às 50 edições valeu todo o esforço e agora irei continuar com o espírito renovado.
Sou daquelas pessoas que depois de ler um livro, se existir o filme ou a série eu vou a correr ver. Claro que foi isso que aconteceu quando descobri que existia a série "A Rainha Branca", baseada nos livros da Phillipa Gregory. A verdade é que a série não vem acrescentar nada de novo, mas tem um bom elenco e resumo bem a coleção "a guerra dos primos". Se não gostam de ler, mas ficaram curiosos com este romance histórico então esta série é perfeita para vocês.
Quando o ano passado fui a Lisboa, optei por fazer a viagem na rede expressos e ainda bem. Além do preço da viagem ser muito mais vantajoso que o comboio (e estamos a falar quase do dobro), a viagem em si (de quatro horas), foi feita com muita serenidade e conforto. O que mais gostei foi do facto de tanto na ida como no regresso ter chegado no horário estipulado. Contudo não gostei na viagem de regresso não ter existido uma pequena pausa no caminho para esticar as pernas.
Toda a gente dizia que adorava ler livros do Nicholas Sparks, que eram obras muito bonitas e afins, por isso, e porque gosto de conhecer novos autores, pedi emprestado a uma colega que é fã dele para me emprestar um livro à escolha dela. Ela recomendou-me "Dei-te o melhor mim" e eu adorei a história, principalmente pelo final marcante que tem.
Como sabem habitualmente vejo filmes de terror, e "Down the Dark Hall" não é exeção. Dirigido por Rodrigo Cortés, este filme relata a história de cinco adolescentes problemáticas que são enviadas para uma escola onde supostamente os verdadeiros dons delas seriam realçados. O que elas não sabem é que além de serem hipnotizadas pela diretora, os dons que vêem florescer não são delas, mas sim de espíritos de génios artísticos que deixaram obras por terminar.
Não podia ir a Lisboa e não parar num restaurante não é? Eu e as minhas colegas estávamos com vontade de experimentar tapas, e após alguma pesquisa acabamos ir parar ao restaurante Rendezvous, em Alfama onde comemos tapas deliciosas desde tábuas de queijos, a batatas no forno, lulas recheadas e camarões no alho. O ambiente é delicado mas descontraído, e a comida deliciosa, o preço... Bem anda dentro dos preços normais aplicados a este tipo de restaurantes.
Não sou daquelas pessoas que adoram novelas, mas pontualmente existe uma ou outra que me cativam. Sinais de vida, já tinha dado na RTP à uns anos, e recentemente voltou a passar na TV, e eu quando dei por mim já estava sentada a ver, porque além do elenco ser fabuloso e ter nomes de peso, o enredo estava verdadeiramente interessante e cativante. Só tenho pena que tenha acabado tão cedo e de uma forma tão repentina.
No mês passado ganhei vergonha na cara e decidi finalmente comprar um carro. A minha escolha foi um Seat Ibiza de 2016 que adoro. Sempre tive uma boa referencia em relação aos carros da marca Seat, e o feedback que tenho tido é muito bom. Para já posso apenas dizer que a experiência de condução é muito boa, mas além de não ter muita experiência para falar do assunto também não o conduzi assim tanto quanto isso, mas prometo ir dando noticias.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

Dizem que ele era um bom companheiro

Quem me conhece sabe que não sou fã de Fernando Pessoa, talvez porque não gosto muito de poesia, talvez porque quando o estudei na escola, não tive a sorte de ter uma professora que me ajudasse a gostar dele.
Contudo, na minha visita a Lisboa no ano passado, tive a oportunidade de me sentar ao lado da estátua dele, e além de lhe dar um cigarro tive ainda uma "pequena conversinha" e decidi dar uma segunda oportunidade aquele que dizem ser um dos grandes nomes da literatura portuguesa.

Mas afinal quem foi o Fernando Pessoa?
Fernando Pessoa nasceu a 13 de junho de 1888, e apesar de quase toda a gente o conhecer como poeta, ele foi também um dramaturgo, filósofo, tradutor, publicitário, inventor, empresário e ainda astrólogo.
Fernando pessoa foi educado numa escola católica irlandesa na África de Sul, e foi graças a esta experiência, aliada ao facto de ele falar melhor inglês que português, que ele se destacou como um dos poetas portuguesas mais universal de sempre.
Contudo não foi graças a isto que o Fernando Pessoa se destacou. A verdade é que as obras dele se destacam (como bem se devem lembrar), pelo recurso a heterónimos, ou seja, várias personalidades às quais ele recorria para escrever. Entre os heterónimos mais famosos encontramos o Ricardo Reis, Alberto Caeiro, Álvaro de Campos, e Bernardo Soares.
Escreveu obras de destaque como a "Mensagem", contudo existe muito mais para ler sobre este poeta, seja como ortónimo ou com um dos seus heterónimos:
1; 2; 3; 4;
5; 6; 7; 8;
9; 10; 11; 12
E vocês, gostam das obras de Fernando Pessoa? Qual é a vossa favorita?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Hora da Póóóchete #121

2019 ainda agora começou e eu já voltei ao ataque (acho que nunca deixei de estar, mas vocês perceberam a ideia)
Ele: Teresa, tu és uma joia.
Eu (já cansada daquele paleio óbvio): Se eu sou uma joia, tu és aquele gajo que está parado na montra da ourivesaria a ver as peças que nunca vai conseguir ter!

Como devem estar a prever, a conversa morreu aqui!

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

9 carteiras que bem podiam ser minhas

Quase todas as mulheres adoram sapatos e carteiras. Claro que umas gostam mais que as outras, mas carteiras será sempre um ponto fraco para o sexo feminino.

Mais uma vez, não sou exceção. Eu adoro carteiras, posso vos dizer que tenho um armário cheio delas e mesmo assim, tenho sempre a sensação que não tenho as suficientes, contudo, comprar carteiras é um vício caro, por isso opto sempre por ter duas ou três carteiras boas e de marca, e as restantes são sempre modelos mais baratos.
Claro que esta teoria só se justifica se tal como eu, vocês gostam de ter várias carteiras com vários modelos e feitios, nunca na vida pagaria uma pequena fortuna por uma carteira amarela, mas se quiser ter uma, opto por comprar algo mais barato para usar algumas vezes.
Na Wholesale 7, encontrei uma variada seleção de carteiras (china bags) para todos os modelos, cores, feitios e orçamentos.
1; 2; 3;
Continuo a adorar alguns dos modelos de mão (handbags in china), além de elegantes, ficam bem em quase todos os looks.
Contudo, no dia-a-dia não dispenso modelos maiores, pois além de todas as coisas normais, trago sempre comigo a agenda (que ainda é grande), um livro e uma garrafa de água. Claro que, tal como toda a gente sabe, quanto maior for a carteira mais tendência vamos ter de a encher com coisas, e é preciso ter sempre em atenção o peso que usamos para evitarmos problemas na coluna.
4; 5;6;
Por esse motivo é que nos últimos anos tenho conhecido cada vez mais meninas que optam por comprar e usar carteiras mais pequenas, de forma a serem "obrigadas" a usar só o básico e para evitar o peso em excesso.
Felizmente vivemos numa época em que independentemente do tamanho conseguimos encontrar uma vasta opção de escolha, não concordam?
7; 8; 9.
Aproveito para vos dizer que o site tem ainda uma vasta secção de roupas (Wholesale clothes), calçado e muitas outras coisas, por isso divirtam-se a explorar este site e a encontrar coisas que vos agradem.

Espero que tenham gostado deste post. E vocês, qual é o vosso modelo de carteira favorito?





Este texto foi pago ou patrocinado.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

5 mortes inusitadas

Morrer nunca é fácil, principalmente para os que ficam. Porém existem mortes e mortes, e se por um lado existem mortes que uma pessoa até consegue compreender, existem outras que são tão bizarras que nem Hollywood se lembraria de utilizar.
Depois de algumas pesquisas decidi partilhar com vocês, cinco mortes tão bizarras que até custa a acreditar que tenham sido reais.
1. Como inocentar um assassino.
Clement Vallandigham (advogado e politico) estava em tribunal a defender um assassino. O julgamento estava a correr bem, até que decidiu demonstrar que a suposta vitima se podia ter matado sem intenção, com todo o exemplo ele acabou por atirar sobre si próprio morrendo.
O exemplo foi tão "realista" que o arguido foi inocentado.

2. Barba mortal.
No ano de 1567, Hans Steininger era o orgulhoso homem que ostentava uma barba de 1.40m. Habitualmente ele usava uma bolsa de couro para carregar todo este volume de barba, mas no dia em que saiu à rua sem este acessório, tropeçou na barba caindo e partindo o pescoço.

3. Elixir da vida.
Qin Shi Huang Di foi o primeiro imperador da China e era também conhecido pelo seu forte desejo de viver para sempre. Em busca do elixir da vida eterna o imperador contratou um alquimista que após várias tentativas criou um elixir composto por mercúrio. Qin Shi Huang Di morreu algum tempo depois, a causa? Envenenamento por mercúrio.

4. O vidro que não quebrava.
Um advogado no Canadá queria provar aos amigos que as janelas do seu escritório no 24º andar eram inquebráveis, para isso, fez o que sempre fazia e atirou-se com toda a força contra o vidro. 
A verdade é que o vidro não se partiu, mas soltou-se e o advogado acabou por morrer da queda.

5. Antigamente é que era!
Era usual que antigamente as bebidas destiladas fossem vistas como remédios, por isso quando o médico sugeriu que o rei dormisse completamente tapado com um lençol embebido em água ardente ninguém estranhou. A cura foi a causa da morte quando uma vela caiu sobre o lençol carbonizando o rei.

Espero que tenham gostado deste post, gostavam de conhecer mais mortes inusitadas?

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |
loading...