Avançar para o conteúdo principal

O culto do corpo

O post, que fiz a semana passada sobre a Kristina Pimenova, gerou um pouco de controvérsia.
Claro que se o tema não fosse polémico nem valia a pena ser falado, mas a verdade é que muitas pessoas alegavam que a Kristina Pimenova, estava a perder a infância sob a influencia da mãe e por isso estaria a desperdiçar a infância em prol de coisas como a fama o dinheiro e a beleza.
Apesar de não considerar que estes devam ser os valores que devem ser incutidos a uma criança desde cedo, a verdade é que a meu ver, estes são infelizmente alguns dos valores principais com que qualquer criança vai ter que lidar quando crescer.
Além disso, não sei se me sentiria capaz de culpar a mãe da jovem modelo por lhe incutir desde cedo o culto do corpo. Claro que a alma e o espírito importam, e não nego a sua importância, mas vivemos numa sociedade em que o corpo e a beleza são cartões-de-visita, por isso estará a mãe da criança assim tão errada?! Não será isso uma escola para o futuro?!
fonte
Eu digo isto porque fui criada, na base da infância feliz, das brincadeiras ao ar livre, nos lanches com os amigos, e na crença de que temos que ser honestos e de que o interior é que conta. Não digo que sou má pessoa por isso, porque não o sou, mas lamento que a minha mãe não tenha sido mais rigorosa na parte em que me incutia o culto do corpo.

Fui uma criança obesa e na minha adolescência emagreci bastante, não era escrava do corpo, mas tinha o corpo que queria como queria, depois da faculdade, com a depressão e com um ano de desemprego fechada em casa, voltei a engordar, voltei a aproximar-me da obesidade, e como deixei de fumar é cada vez mais difícil de reconquistar a silhueta de sonho.
Se eu tivesse desde sempre tido uma infância em que era escrava do corpo, esta questão nem se colocava, porque ser magra e bela era tão óbvio, que sacrificar o meu gosto pela comida nem era sacrifício, era rotina...

Neste ponto não sei quem é que está errado!

Comentários

  1. Isy...eu sou a favor de uma excelente educação...onde a criança deve ter um bom equilíbrio mental...rodeada de regras mas de muito amor!
    Só assim...ela será feliz...e um adulto feliz...também!
    Eu sempre fui gordinha...nada complexada...tranquila...cheia de auto estima...e muito amada!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas chegamos a uma fase em que ficamos a pensar...

      Eliminar
  2. Acho que os pais devem incutir o minimo de exercicio aos filhotes

    ResponderEliminar
  3. Isy.... o post foi muito bem feito... e o alerta que você deu está e esteve ótimo....
    Nós nos esquecemos que a infância não deveria nunca sair de dentro da gente.....
    Um pecado esse culto ao corpo e o DINHEIRO que advém disso....

    ResponderEliminar
  4. Isy, não acho que seja mau o culto do corpo mas tudo tem limites. É certo que muitas mães ainda acham que ter filhos gordinhos é sinal que são bem tratados e essas mentalidades são difíceis de mudar. Hoje em dia então nem se fala. Com as novidades tecnológicas, as crianças passam demasiado tempo no computador e pouco tempo na rua a brincar. Com isso engordam, só comem porcarias (porque é mais rápido) e ficam doentes cada vez mais cedo. Acho que o ideal seria encontrar um ponto de equilíbrio entre o culto do corpo (fazer exercício e cuidar da alimentação) e manter uma mente sã com alegria de viver.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. O fundamental é mesmo existir equilíbrio entre a responsabilidade de incutir valores e a permissão de brincar e se ser criança. Não acho que a mãe esteja errada por investir na carreira da filha, desde que nada seja exagerado ao ponto de apenas confinar a criança àquele meio, da mesma maneira que não a poderá deixar brincar todo o dia porque tem que aprender que há responsabilidades.

    ResponderEliminar
  6. É um tema polémico.

    Penso que como em tudo tem que haver um equilíbrio e não um culto!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Isy, as coisas são como são...não te lastimes por não teres crescido com o culto do corpo incutido, gosta de ti como és a cada momento...se gordinha, linda, se magrinha, linda, se outros não gostam...que ponham na beira do prato...gosta de ti e o mundo é teu!
    Beijinho e bom fim de semana;)***

    ResponderEliminar
  8. É um assunto complicado, mas eu sou a favor de criança ser criança, eu adorava brincar de boneca, com brinquedos...Quando mais velhos temos mesmo que encarar esses padrões, questionar, se encaixar ou não.

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também, mas acho que muitas criaanças deviam de ser preparadas para o futuro mais nada!

      Eliminar
  9. É um assunto polêmico realmente; cabe a cada um saber o que é melhor pra si, pois sentir-se bem consigo é o que conta.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  10. Nunca deixa de ser um sacrifício, acredita...e se foi assim, era porque assim tinha de ser :) Ainda vais a tempo querida ^^
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  11. Eu acho que deve de haver um equilíbrio entre o culto do corpo e uma infância feliz e com as suas "gordices" :)

    ResponderEliminar
  12. desde que haja equilíbrio... o problema quando muitas incutam o culto do corpo nas crianças, é que estas ficam obcecadas que esquecem que o mais importante é o interior...

    beijinhosss

    ResponderEliminar
  13. r: foi a semana mais stressante na minha vida nunca tinha estudado tanto na minha vida :s

    ResponderEliminar
  14. Como se costuma dizer, há que ver os dois lados da moeda :)

    ResponderEliminar
  15. Acho que isso depende da educação da base que os pais dão ao seus filhos, o modo como lhe incutem certos valores, não sei se conheces mas há uma série que se chama tiaras and toddlers não sei se conheces mas não gosto nada do conceito.
    Em relação a ti não desanimes se nos sentimos bem com o corpo que temos não há problema, podes sempre conciliar com um pouco de desporto, eu desde de miúda que me chamam de magricela e de esparguete mas sinto me bem comigo mesma.
    bjs
    tiaras and toddlers

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Detesto esse programa, acho que isso é um extremo e uma exploração!

      Eliminar
  16. Nada acontece por acaso, é só isso que te digo :))

    beijinho *

    ResponderEliminar
  17. Aqui estás um ponto em que o certo e o errado são difíceis de definir. Por um lado a criança pode estar a sofrer restrições ao seu desenvolvimento como criança, mas numa sociedade onde a aparência parece ter cada vez mais importância e o intelecto passou a ser quase marginalizado, não consigo condenar uma mãe que zela pelo futuro da filha.
    Então e nós, os "rapazes e raparigas" da minha geração, que éramos considerados quase um fardo para a família, onde a escola era muitas vezes substituída pelo trabalho, éramos escravos de quê? :/

    ResponderEliminar
  18. Ainda assim, este exagero não é bom a meu ver. Claro que desde cedo os pais devem instruir os filhos à importância do comer saudável e da prática desportiva, mas de resto, não concordo.

    ResponderEliminar
  19. Oi Isy , adorei teus questionamentos, é isso, se for polêmico, significa que podemos fazer escolhas.
    Eeu também fui uma criança e adolescente meio gordinha, mas na idade adulta, consegui atingir um peso que cultivei muitos anos, e hoje me cuido não por vaidade, mas necessidade, porque parei de consumir muitos farináceos e açúcar. Mas acho que cada um pode fazer suas escolhas, e na vida, tudo é relativo.
    Bom final de semana.
    Apareça. bjks

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isso também é uma verdade, mas quando se tem o culto tudo se torna mais simples!

      Eliminar
  20. Penso que aqui a palavra chave é equilibro.

    ResponderEliminar
  21. Concordo com a tua opinião, no entanto, acho que não é necessário extremismos. Quando se está perante uma criança tende-se a embelezar tudo e esta acaba por não ter uma noção correcta do mundo que a espera e acabará por se aperceber desse mundo «à força» da pior maneira um dia mais tarde. Acho sim, que devemos educar uma criança para que esta, desde cedo, saiba ver o mundo como ele realmente o é mas também sou apologista de que com o passar do tempo e com esta realidade presente, a própria criança/adolescente deverá ter a liberdade necessária para fazer as suas próprias escolhas

    ResponderEliminar
  22. Para tudo na vida é preciso ter equilíbrio.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  23. Concordo com o culto do corpo desde que seja de forma saudável. Tudo o que é extremo só nos prejudica e por isso temos de encontrar um equilíbrio dentro de nós mesmos. O meu problema é exactamente o oposto, sempre sofri de magreza excessiva porque tenho um metabolismo muito acelerado, nunca tive um distúrbio alimentar mas as pessoas confundiam a minha magreza com anorexia. Decidi que ia ter um corpo mais cheinho e, com o acompanhamento certo, consegui atingir um peso normal. De qualquer forma, acho que vivo esse culto do corpo de forma saudável.

    L*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamenteo, tu vives do outro lado da situação, mas não deixas de ter que estar nesta situação em que tens que viver agarrada à necessidade de cultivar o teu corpo!

      Eliminar
  24. Concordo em muito com o teu texto, não concordo a 100% com as atitudes tomadas pela mãe, mas não a condeno. A miuda tem idade para dizer que não quer continuar nesta vida caso seja esse o seu desejo, no entanto a preocupação e educação para, não digo o culto do corpo, mas sim o controlo alimentar acho que é importante e que todos os pais, deveriam ter atenção!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

TAG| 100 perguntas que ninguém pergunta

Sabendo como eu gosto de responder a TAGs a Matilde do blog "O Cantinho da Tily", nomeou-me para este desafio bem simples e divertido. As regras são simples, responder às 100 perguntas, e nomear quem quisermos. Vamos a isso? 1. Você dorme com as portas do seu armário aberta ou fechada? Prefiro fechada por uma questão de organização, mas não me faz diferença. 2. Você leva embora os shampoos e condicionadores dos hotéis? Sim!!! 3. Você dorme com seu edredão dobrado para dentro ou apra fora? Tanto faz! 4. Você já roubou uma placa de rua? não, mas confesso que gostava de ter uma! 5. Você gosta de usar post-it? Adoro! 6. Você corta cupões, mas depois nunca usa? Sim! 7. Você prefere ser atacado por um urso ou um enxame de abelhas? Venha o diabo e escolha! 8. Você tem sardas? Nop. 9. Você sempre sorri para fotos? Quase sempre! 10. Qual é a sua maior neura? Ui se as coisas não levarem o rumo que eu quero fico do pior! 11. Você já contou seus passos enquanto você andava? Sim. 12. Você já fez x…

A menina bonita

Decerto que lhe conhecem a imagem, a menina de nove anos, chama-se Kristina Pimenova, e é já considerada uma das raparigas mais belas dos últimos tempos.
A criança, é modelo para marcas como Armani, Vougue e Dolce & Gabanna, e desde os 3 anos que assina contratos milionários. Kristina Pimenova, nasceu em Moscovo, e está inscrita em agências de modelos desde tenra idade. Quem patrocinou tudo isto?! A sua mãe, Glikeriya Pimenova, também uma ex-modelo, tem levado a filha à ascensão, porém, tem também sido criticada por isso. Além de muita gente a criticar por não permitir que Kristina tenha a vida de uma criança normal, a mãe da mesma é ainda mais criticada por ter permitido que recentemente a filha pousasse maquilhada e vestida de forma pouco própria para a sua idade. Glikeriya Pimenova, gere os contratos milionários da filha, bem como as redes sociais da mesma que já tem mais de 300 mil seguidores. Porém não é o numero de seguidores que vai determinar a infância que muitos dizem p…

As férias acabaram... Como é que ficaram os animais abandonados?

Existe uma dura realidade que após as férias de verão fica esquecida. Se no inicio do verão as campanhas de sensibilização são muitas (e mesmo assim não são suficientes), a verdade é que depois dos dias dourados de verão, já ninguém pergunta o que aconteceu ao cão idoso que abandonaram às portas de uma instituição, ou então como está aquele cachorrinho que deixaram na beira da estrada.
A minha pergunta para vocês é: Afinal o abandono está a diminuir?
E infelizmente a resposta é não! No final do verão contactei várias instituições que recolhem animais e as respostas são sempre iguais: Não! Não diminuiu.
Para vos ilustrar esta realidade, pedi a várias instituições dados sobre o abandono de animais durante os meses de verão, porém só a Associação Midas no Porto é que se ofereceu para disponibilizar dados concretos:

2015 - 53 animais acolhidos pela instituição.
2016 - 107 animais acolhidos pela instituição. 
2017 - 71 animais acolhidos pela instituição.

Porém antes de começarem a bater palma…